Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Indústria | 03/12/2015 | 16h05

Rodas de liga leve ganham espaço nas motos

Item vem substituindo aros de aço raiados nos modelos mais vendidos do País

MÁRIO CURCIO, AB

A participação das rodas de liga leve vem aumentando no segmento de duas rodas, fato notado nos modelos mais vendidos do Brasil. Este ano, na transição da linha CG 150 para 160, a Honda passou a vender 100% das versões Fan e Titan com rodas de liga. Juntas, essas versões compõem o modelo mais vendido no Brasil. Em 2014, pouco mais de 25% delas receberam o equipamento.

Também subiu de 39% para 42% a participação das rodas de liga leve na Honda Biz 125, a segunda em volume de vendas da fabricante. “Essa mudança é um reflexo da preferência dos consumidores”, afirma o diretor executivo de relações institucionais da Honda, Paulo Takeuchi.

Em 2014 a Honda deixou de comprar alumínio fundido de um fornecedor em Manaus e passou a fundir o metal dentro da própria fábrica como forma de aumentar a produção dos componentes.

AUTOMAÇÃO CRESCENTE

Parte da montagem das rodas de aço raiadas vem sendo automatizada, em especial nas etapas mais insalubres como soldagem e pintura. O gerente de produção Dolipe Scorissa citou a compra de um equipamento holandês originalmente criado para a montagem de rodas raiadas de bicicleta e adaptado para a fábrica de motos.


Honda produz rodas de liga leve e de aço em Manaus. Parte da montagem das rodas raiadas ainda é manual, mas automação ganha espaço

Nos dois turnos de produção a máquina faria o trabalho de 50 pessoas. “A montagem (manual) dessas rodas é uma das causas de LER”, recorda Scorissa, referindo-se às Lesões por Esforço Repetitivo.

Como outros setores em Manaus, o de produção de rodas vem perdendo mão de obra desde 2012, primeiro de quatro anos consecutivos de retração nas vendas de motocicletas. Segundo Takeuchi, a fábrica tem hoje cerca de 8 mil colaboradores, 2 mil a menos que em 2011, ano recorde em produção e vendas do setor. O diretor administrativo e financeiro da fábrica, João Batista Mezari, confirmou o aumento de automação na montagem das rodas.

Vale dizer que elas ainda têm presença forte na Honda em modelos de entrada como Biz 100 e Pop 110i. E estão em 100% das linhas Cargo 125, Cargo 150 e em modelos de uso misto como NXR Bros e XRE 300. Para essas motos de trabalho ou todo-terreno, a facilidade de reparo em caso de impacto determina a escolha.

TENDÊNCIA EM OUTRAS FABRICANTES

A oferta de liga leve também cresce em modelos de baixa cilindrada da Yamaha. Desde o lançamento da YS 150 Fazer, no segundo semestre de 2013, todas as versões vêm de série com o equipamento. Em outubro deste ano a fabricante lançou a Factor 150, mais acessível que a Fazer, mas ainda assim com a opção de liga. A linha Factor 125 também tem opção de liga leve na versão topo de linha.

Fabricantes locais com maior dependência de peças chinesas como a Dafra utilizam rodas de liga leve até mesmo em ciclomotores. Todas as motos e scooters Dafra em linha utilizam rodas de liga leve. No caso da Shineray, dos 17 modelos mostrados em seu site, apenas dois trazem rodas raiadas.



Tags: Honda, Manaus, Paulo Takeuchi, Dolipe Scorissa, João Batista Mezari, Fan, Titan, Biz, Pop, Dafra, Shineray, ciclomotores.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência