Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Audi lidera, mas Mercedes-Benz é a marca premium que mais cresceu

Mercado | 08/01/2016 | 18h35

Audi lidera, mas Mercedes-Benz é a marca premium que mais cresceu

Concorrência entre alemãs de luxo foi acirrada no Brasil em 2015

GIOVANNA RIATO, AB

A briga pelo consumidor no segmento de carros premium no Brasil foi bastante acirrada em 2015. As marcas alemãs se estapearam para fechar o ano com a maior fatia das vendas. A Mercedes-Benz, que até novembro mantinha a liderança da categoria, foi passada para trás na última hora e acabou superada pela Audi por apenas 14 unidades. Já a BMW, que nos últimos anos estava à frente do segmento, ficou em terceiro lugar justamente no momento em que cumpriu o programa de produção nacional da fábrica de Araquari (SC).

Os emplacamentos da Audi somaram 17,5 mil unidades, com evolução de 40,4% na comparação com 2014. O volume recorde foi impulsionado principalmete pelos preços atraentes do A3 Sedan, que já nop fim de 2015 passou a ser montado na planta do Grupo Volkswagen em São José dos Pinhais. A expansão da companhia no mercado nacional acontece sobre base forte, já que em 2014 a Audi alcançou crescimento de 90% nos negócios locais.

A maré positiva faz parte do que a marca chama de sua nova era no Brasil, iniciada em 2013 com a decisão de voltar a produzir automóveis no País. Na época, a empresa revisou a sua estratégia e, ao se inscrever no Inovar-Auto como investidora, passou a contar com cotas de importação de veículos sem a sobretaxação do IPI. Agora, com a produção local, a oferta da gama da marca permanece competitiva.

Ainda assim, a companhia é acusada de pagar um preço alto pelo seu crescimento, usando práticas anticoncorrenciais. Em dezembro, Arturo Piñeiro, que se despedia da presidência da BMW Brasil para assumir um cargo nos Estados Unidos, disse acreditar que a Audi pratica dumping. Segundo ele, a marca oferece no Brasil carros a preços inferiores aos verificados na Alemanha (leia aqui). O executivo declarou ainda que a empresa faz rapel para ganhar posições no ranking de vendas, com o emplacamento dos carros que estão no estoque da rede de concessionárias antes que eles tenham sido efetivamente vendidos para o consumidor final.

MERCEDES-BENZ CRESCE COM COTAS DE IMPORTAÇÃO

Enquanto a Audi terminou 2015 com a liderança entre as marcas premium alemãs conquistada de última hora, a Mercedes-Benz alcançou o maior crescimento na comparação com as concorrentes. As vendas da companhia avançaram 47% no ano, para 17,5 mil unidades. Com a perspectiva de iniciar até abril próximo a produção de automóveis em Iracemápolis (SP), a empresa aproveitou ao longo do ano passado as cotas de importação sem os 30 pontos adicionais de IPI.

Na gama da marca, só o Classe C sedã - o primeiro a ser montado no Brasil e dentro da cota isenta sobretaxação - foi responsável por 7,5 mil emplacamentos, respondendo por 43% do total vendido pela companhia no Brasil. A fabricante também destaca o aumento do peso dos utilitários esportivos em seus negócios. Os SUVs adicionaram 5,8 mil unidades ao volume de licenciamentos da Mercedes-Benz em 2015, encabeçados pelo GLA, o segundo previsto para sair da linha de Iracemápolis.

A meta é seguir com investimentos em modelos da categoria ao longo deste ano. “Para 2016 teremos lançamentos de utilitários esportivos que chegam para completar a linha neste segmento com objetivo de atrair novos clientes. Este será o ano do SUV para a Mercedes-Benz no Brasil”, apontou Holger Marquardt, diretor geral de automóveis da empresa na América Latina, em comunicado.

BMW TEM ALTA, MAS PERDE PARTICIPAÇÃO

A BMW encerrou 2015 sem os mesmos motivos das concorrentes para comemorar. A empresa registrou crescimento bem menor em suas vendas, de 5,3%, para 15,8 mil carros. A companhia não oferece produtos de entrada do segmento premium, como faz a Audi com o A3 Sedan, por exemplo e, portanto, sai em desvantagem. A marca também teve de enfrentar a investida consistente da Mercedes-Benz em 2015.

Apesar do resultado menos expressivo que o das concorrentes, a companhia concluiu no ano passado o programa de nacionalização de carros na fábrica de Araquari, inaugurada no fim de 2014. Lá já são montados os BMW Série 1, Série 3, X1 e X3. Além disso, também é feito na unidade o Mini Countryman.



Tags: Mercedes-Benz, Audi, BMW, premium, mercado.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência