Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 26/01/2016 | 15h30

Autopeças fecham 2015 com déficit de US$ 5,59 bi

Número foi 38% menor que o de 2014; Argentina ainda é o maior comprador

REDAÇÃO AB

A balança comercial do setor de autopeças, elaborada com os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), registrou déficit de US$ 5,59 bilhões no ano de 2015. O valor foi 37,9% inferior ao de 2014, de acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças).

- Veja aqui o estudo do Sindipeças.

Tanto exportações como importações recuaram no período em 9,4% e 24,2%, respectivamente. Os embarques de componentes rumaram para 187 países e totalizaram US$ 7,56 bilhões. As compras vieram de 160 nações e somaram US$ 13,15 bilhões.

A Argentina se manteve como o maior destino, mas em 2015 absorveu US$ 2,46 bilhões em componentes brasileiros, valor 10,3% menor que o anotado em 2014. O segundo maior comprador foram os Estados Unidos, com US$ 1,22 bilhão e recuo de 4,4% ante 2014.

No caminho inverso, as importações, os EUA lideraram os negócios com o Brasil, com US$ 1,7 bilhão em componentes. O segundo lugar coube à China, com US$ 1,37 bilhão. O terceiro ficou com o Japão, com US$ 1,28 bilhão. A Alemanha, que havia fechado 2014 com o segundo posto, terminou 2014 na quarta colocação, com US$ 1,27 bilhão em embarques ao Brasil.

A análise por macrorregiões mostra que quase 40% das importações de autopeças tiveram a Ásia e Oceania como origem, crescimento de 2,4 pontos porcentuais sobre 2014. Já a a participação da Europa caiu de 36,1% em 2014 para 32% em 2015.



Tags: Autopeças, Sindipeças, MDIC, exportações, importações, Estados Unidos, China, Japão.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência