Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Ford tem lucro líquido cinco vezes maior em 2015

Balanço | 28/01/2016 | 17h16

Ford tem lucro líquido cinco vezes maior em 2015

Ganhos chegam a US$ 7,37 bilhões no ano contra US$ 1,23 bilhão de 2014

REDAÇÃO AB

A Ford superou suas próprias expectativas ao quintuplicar o lucro líquido em 2015 com ganhos de US$ 7,37 bilhões sobre US$ 1,23 bilhão apurado em 2014, em parte pelo forte resultado do quarto trimestre, quando a empresa teve lucro líquido de US$ 1,9 bilhão, recorde para o período e maior do que o valor de todo o ano anterior. A empresa atribui o desempenho em parte à alta margem no segmento de SUV’s nos Estados Unidos em ano recorde para aquele mercado (leia aqui).

O lucro antes de impostos foi recorde em 2015 fechando em US$ 10,8 bilhões. No relatório de divulgado na quinta-feira, 28, a Ford afirma sua expectativa de repetir ou superar este resultado em 2016. O balanço também indica que os 53 mil trabalhadores do UAW (sindicato dos metalúrgicos nos Estados Unidos) terão seu maior bônus em participação de lucro, com uma média de US$ 9,3 mil.

As vendas de 6,63 milhões de veículos em todo o mundo subiram 5% com relação as de 2014, enquanto a receita do grupo aumentou 3,8%, para US$ 149,6 bilhões. As margens operacionais na divisão automotiva (que exclui operações do Banco Ford) cresceram 2,2 pontos porcentuais, para 6,8%, a maior desde 2001. O relatório destaca ainda que as margens foram as mais elevadas pelo menos desde a década de 1990.

“Prometemos um grande ano em 2015 e nós o entregamos”, disse o CEO da Ford, Mark Fields, em comunicado. “Em 2016 vamos continuar a desenvolver os nossos pontos fortes e acelerar ainda mais nosso ritmo para o progresso enquanto continuamos o processo de transformação da Ford tanto em uma empresa de automóveis quanto em uma empresa de mobilidade e criação de valor para todos os nossos acionistas”.

A Ford apurou receita de US$ 91,9 bilhões na América do Norte em 2015, alta de 11,5% no comparativo anual. O lucro antes de impostos ficou US$ 9,3 bilhões, 25% a mais do que em 2014. Com mais de 3 milhões de veículos, as vendas subiram 5,3%. Embora o mercado norte-americanas esteja se aproximando de um provável pico depois do novo recorde em 2015, a Ford não prevê uma queda acentuada nos próximos anos. Para o CFO e vice-presidente executivo, Bob Shanks, “o mercado norte americano permanecerá com os mesmos níveis de vendas ao longo deste ano e provavelmente até 2018”, disse ele. “Temos uma estrutura muito forte e robusta. Em último caso, se houver uma nova recessão, a Ford está muito bem e melhor preparada do que da última vez. Continuaremos a ser rentáveis, pagando nosso dividendo regular e a investir no negócio.”

Já na América do Sul a empresa continuou a ter prejuízo em 2015, de US$ 832 milhões, embora menor do que a perda de US$ 1,16 bilhão em 2014. O volume de vendas caiu 17%, para 381 mil unidades, das quais 236,7 mil foram entregues no Brasil, onde a marca verificou queda de 16,3% apesar do leve aumento na participação de mercado, para 10,2% (leia aqui).

Depois da América do Norte, a região mais rentável foi Ásia-Pacífico, onde a Ford registrou lucro recorde de US$ 765 milhões, sendo que mais da metade, US$ 444 milhões, vem do quarto trimestre devido ao forte crescimento na China. As vendas e a receita no continente ficaram praticamente estáveis, com mais de 1,46 milhão e US$ 10,7 bilhões.

Na Europa, a companhia voltou a ter lucro anual com resultado antes de impostos de US$ 259 milhões, revertendo o prejuízo de quase US$ 600 milhões em 2014. Também houve reversão de resultados no Oriente Médio e África, onde a empresa ganhou US$ 31 milhões contra perdas de US$ 20 milhões um ano antes.



Tags: Ford, lucro líquido, receita, vendas globais.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência