Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 04/03/2016 | 19h30

Venda de máquinas recua 44,6% no bimestre

Anfavea, porém, já acredita em reversão por causa da safra recorde

MÁRIO CURCIO, AB

Apesar do bom momento do agronegócio no País, as 3,9 mil máquinas agrícolas e rodoviárias vendidas no primeiro bimestre acumulam queda de 44,6% ante o mesmo período do ano passado. “Em algum momento esse movimento deve se reverter e as vendas subirão”, diz Ana Helena de Andrade, vice-presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

- Veja aqui os números da Anfavea

“As safras vêm batendo recordes e esse ciclo não deve ser interrompido. A renovação dos equipamentos é fundamental para que não se perca a produtividade”, recorda a executiva. Ela ressalta que no Brasil uma máquina roda três vezes mais do que em outros países porque o clima permite mais safras e isso resulta em maior desgaste, que compromete a capacidade produtiva.

Fevereiro já trouxe indícios de melhora, com 2,3 mil máquinas vendidas e alta de 50,4% sobre janeiro. O crescimento foi rebocado pelo bom desempenho dos tratores de rodas. “Eles são um retrato do setor porque têm um escopo amplo e atendem do pequeno agricultor às grandes empresas”, diz Ana Helena.

Já a venda de colheitadeiras em fevereiro somou 329 unidades e quase repetiu o resultado de janeiro. No acumulado do ano elas registram queda de 12% ante o mesmo período do ano passado, uma retração menor que a média porque estão em seu pico de sazonalidade.

PRODUÇÃO E EXPORTAÇÕES

A produção de máquinas agrícolas e rodoviárias somou 4,8 mil unidades no primeiro bimestre e recuou 52% ante o mesmo período de 2015. A maior retração ocorreu para as retroescavadeiras, em que as 303 unidades resultaram em queda de 73%. Também é expressiva a redução de volume dos tratores de rodas, 3,8 mil unidades no bimestre e queda de quase 50%. De acordo com a Anfavea, a capacidade ociosa nas indústrias do segmento é de 48%, menor que na de automóveis (50%) e na de caminhões (74%).

Em janeiro e fevereiro o País exportou 832 máquinas, volume 39,8% mais baixo que o do primeiro bimestre de 2015. Ana Helena também acredita na melhora desses números durante o ano: “Temos expectativa de retomada de volume adequado pela melhoria no ambiente regulamentar e operacional com a Argentina. Também haverá aumento de exportações para a África, onde as condições gerais de plantio são semelhantes às brasileiras.



Tags: Anfavea, Ana Helena de Andrade, tratores, colheitadeiras, retroescavadeiras.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência