Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Lançamentos | 20/03/2016 | 03h00

MT-03 é a média que faltava na linha Yamaha

Modelo tem motor de 321 cc e 42 cavalos, mas começa em R$ 18.790

MÁRIO CURCIO, AB |De Mogi Guaçu (SP)

A Yamaha traz para seu time de média cilindrada a MT-03, que chega na primeira quinzena de maio em opções sem ou com freios ABS e preços entre R$ 18.790 e R$ 20.790. A tecnologia e a grande quantidade de componentes importados explicam os valores um tanto altos. Montada em Manaus com peças asiáticas, ela é a versão naked (sem carenagem) da esportiva R3, lançada em agosto (leia aqui). Tem o mesmo motor de 321 cc, 42 cavalos e transmissão de seis marchas. As principais concorrentes da MT-03 são a KTM 390 Duke, com ABS de série por R$ 21.990, e a Kawasaki Z300, com sistema antitravamento opcional e valores entre R$ 17.990 e R$ 19.990.

“Ela vem para preencher um vazio na Yamaha entre a Fazer 250 e a MT-07”, afirma o gerente de marketing, Hélio Ninomiya. A Yamaha não arrisca projeções por causa do fraco desempenho do mercado no primeiro bimestre (que caiu cerca de 25% ante o mesmo período de 2015), mas acredita que a novidade terá procura maior que a R3, a esportiva mais vendida do Brasil nestes dois meses, com 245 unidades licenciadas. A MT-03 foi lançada ao lado do scooter N Max 160, que também começa a ser montado em Manaus com grande conteúdo importado (veja aqui).

Os dois modelos encerram um ciclo iniciado em setembro de 2013, quando a Yamaha prometeu um lançamento a cada seis meses. “Mas ainda teremos novos produtos este ano”, garante Ninomiya. A empresa deve trazer em algumas semanas a linha 125 cc com injeção eletrônica no lugar do carburador. “Os modelos antigos foram produzidos até o fim de 2015”, afirma o diretor de engenharia, Hilário Kobayashi.

BOA DE ASFALTO

A Yamaha MT-03 utiliza não só o motor da esportiva R3, mas também quadro, suspensões, tanque e componentes da traseira. Por causa disso ela mostra muita agilidade em aceleração, frenagens e curvas. A altura do assento (78 centímetros) facilita a pilotagem para quem tem 1,70 metro ou pouco menos que isso.

Yamaha
MT-03 compartilha motor, quadro, suspensões e até painel de instrumentos com a esportiva Yamaha R3. Comportamento na pista foi tão bom quanto, mas também falta força abaixo de 5 mil rpm (fotos: Mário Curcio)

Novamente deu para notar a qualidade do projeto pelo bom quadro e pelas suspensões bem acertadas. O amortecedor traseiro tem seis ajustes. A agilidade vem também do motor bicilíndrico com oito válvulas e duplo comando. Mas esse propulsor gosta mesmo de girar bem alto, pois na faixa de 4,5 mil rpm surgem buracos na aceleração. Dos 6,5 mil giros em diante ele passa a responder como deve. A Yamaha não informa a velocidade máxima, mas é possível esperar algo por volta de 170 km/h.

O painel tem um grande conta-giros analógico, velocímetro digital, lâmpada de alerta para troca de marchas (shift light) com funcionamento programável a partir de 7 mil rpm, indicador de marcha engatada, do nível de combustível, temperatura da água, relógio, hodômetros totalizador e parciais, indicador de troca de óleo, medições média e instantânea de consumo de combustível.

O Consórcio Yamaha tem plano de 60 meses com parcelas a partir de R$ 399,28. O seguro oferecido pela Yamaha custa entre R$ 1.880 e R$ 2.050 para as opções sem e com ABS.

Esta nova MT-03 não tem nada em comum além do nome com aquela moto lançada em 2008, que teve apenas 2,6 mil unidades produzidas no Brasil e somente naquele ano. A antiga utilizava o motor empregado na XT 660 e mais tarde também na linha Ténéré.



Tags: Yamaha, naked, MT-03, R3, Kawasaki, Z300, scooter, N Max, Hélio Ninomiya.

Comentários

  • Everton silva

    Otima materia. estou so esperando maio Chegar, Yamaha MT 03 vai entrar pra familia aqui de casa :P

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência