Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Randon tem prejuízo de R$ 24,6 milhões em 2015

Balanço | 23/03/2016 | 18h56

Randon tem prejuízo de R$ 24,6 milhões em 2015

Após lucrar em 2014, empresa sente os efeitos de crise profunda

REDAÇÃO AB

Após lucrar mais de R$ 200 milhões em 2014 (leia aqui) a Randon encerra 2015 com prejuízo de R$ 24,6 milhões, de acordo com balanço divulgado ao mercado financeiro na quarta-feira, 23. “Estamos vivenciando uma das mais longas e profundas crises das últimas décadas no Brasil”, declara no comunicado o diretor presidente da empresa, David Abramo Randon.

O faturamento líquido da companhia reduziu em 18%, passando de R$ 3,8 bilhões em 2014 para R$ 3,1 bilhões no ano passado. O lucro bruto totalizou R$ 640,9 milhões, valor 32% abaixo do apurado no ano anterior e representou 20,7% do faturamento líquido. Há um ano, o resultado era de R$ 943 milhões e 25% do faturamento. Em 2015, as despesas operacionais, que incluem os custos administrativos e comerciais entre outros aumentaram de R$ 573,6 milhões em 2014 para R$ 603,7 milhões em 2015, representaram 19,5% sobre o faturamento líquido contra os 15,2% de antes.

“A crise de confiança instalada no País tem sido determinante para que a economia continue em recessão e reforce os fracos volumes de vendas e produção”, analisa o diretor financeiro e de relações com investidores, Geraldo Santa Catharina. Para o executivo, a já fragilizada demanda por veículos comerciais foi ainda mais prejudicada com a decisão do governo de antecipar a suspensão do Finame PSI no fim de outubro passado. “A busca das montadoras pelo ajuste nos níveis dos estoques de seus pátios e dos seus concessionários derrubou os volumes de produção”, reforça.

Em seu relatório, a Randon destaca que embora a taxa do dólar esteja atrativa para exportações, as crises econômicas nos países dependentes de petróleo e demais commodities têm dificultado o aumento das vendas para estes mercados. As exportações a partir do Brasil geraram receita de US$ 158,1 milhões, queda de 17,4%. Houve retrações das vendas para Europa, África e Oriente Médio, enquanto os países do Mercosul e também o Chile ganharam representatividade, passando de 31% de participação em 2014 para 40% em 2015.

Nas operações do grupo localizadas no exterior o faturamento bruto total (sem eliminações das vendas entre as empresas) em 2015 totalizou US$ 142,8 milhões contra os US$ 117,4 milhões do ano anterior. Enquanto isso, O total entre a soma das exportações e das receitas geradas no exterior foi de US$ 301 milhões no ano passado, 2,6% a menos que o resultado anterior, de US$ 309 milhões.

Na nota, a Randon informa que está implementando diversas ações visando a recuperação das vendas para este s mercados, uma vez que a ampliação dos negócios ao exterior é parte das prioridades da companhia.

SEGMENTOS

Os reboques - carro-chefe do portfólio da Randon – acompanharam o fraco desempenho do mercado de caminhões, registrando queda de 36,3% nos volumes de vendas de 2015 sobre o ano anterior. A participação de mercado da Randon caiu 0,7 ponto porcentual em 2015, para 26,2%, em um mercado representado por 29,6 mil unidades.

Para a divisão de vagões ferroviários, a similaridade existente no processo de fabricação de semirreboques e vagões permitiu um melhor aproveitamento da capacidade instalada. O segmento fechou o ano com 1,9 mil unidades entregues, alta de 47,4% no comparativo anual. Este foi isoladamente o melhor desempenho histórico da companhia neste setor.

Por fim, no de autopeças, a Fras-le, uma das controladas das Empresas Randon, encerrou o ano acumulando alta de 14,4% em seu faturamento líquido em parte por ter a maior fatia de suas vendas nos mercados de reposição e exportação, este último favorecido pelo efeito cambial (leia aqui).



Tags: Randon, prejuízo, balanço, faturamento, receita, caminhões, semirreboques.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência