Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
International quer voltar a montar caminhões em Canoas

Indústria | 17/06/2016 | 20h31

International quer voltar a montar caminhões em Canoas

Fábrica está parada, mas empresa renovou habilitação no Inovar-Auto

PEDRO KUTNEY, AB

A Navistar garante que não desistiu de montar os caminhões International no Brasil. Apesar de ter suspendido completamente a produção de veículos na fábrica de Canoas (RS) desde outubro do ano passado (leia aqui), a empresa comprovou que quer voltar a produzir ao renovar por um ano, até maio de 2017, sua habilitação de fabricante no Inovar-Auto, depois de ficar um ano fora do programa. De forma despercebida, a habilitação foi aprovada pelo Ministério da Indústria por meio da Portaria 129 publicada em 31 de maio último no Diário Oficial da União (veja aqui).

“Sempre tivemos a intenção de retomar a produção assim que o mercado melhorar. Interrompemos a linha para ajustar os estoques que cresceram em função da queda abrupta das vendas. Se existir demanda, podemos rapidamente colocar a fábrica para funcionar outra vez”, explica José Eduardo Luzzi, presidente da Navistar América do Sul. “A renovação da nossa habilitação no Inovar-Auto comprova o interesse em voltar a produzir”, destaca.

Com capacidade para fazer até 5 mil caminhões/ano, a linha de montagem da International foi inaugurada na fábrica de Canoas em junho de 2013 – antes disso os dois modelos nacionais, o pesado 9800i e o semipesado Durastar, eram montados em área alugada da Agrale em Caxias do Sul (RS). No primeiro ano de operação em Canoas, as vendas foram sustentadas basicamente pela vitória de uma licitação pública para o fornecimento de quase 900 unidades do Durastar ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). De 2014 para 2015 os negócios desabaram de 954 para 67 unidades vendidas, inviabilizando o empreendimento.

Depois de parar a linha de produção no ano passado, a International continuou vendendo os caminhões que tinha em estoque, por meio de três concessionárias que seguiram abertas e vendas diretas do fabricante. Este ano, de janeiro a maio, foram emplacados 25 veículos da marca. E neste mês a empresa até investiu em campanha publicitária em TV regional no Rio Grande do Sul, onde tem boa reputação com os clientes.

FÁBRICA PARADA

Depois de paralisar a linha de montagem de caminhões, a Navistar desmobilizou todas as demais áreas da unidade de Canoas. O centro de distribuição de peças foi transferido em novembro para São Paulo, na planta de Santo Amaro, e o contrato de produção de motores MWM para a picape Chevrolet S10 da GM foi encerrado em março passado. Com isso, quase todos os funcionários foram demitidos, mas ainda ficou uma equipe que cuida da manutenção da fábrica e dos caminhões ainda em estoque.

Segundo fontes, a Navistar negociou a locação ou parcerias com todas as fabricantes chinesas de caminhões que tinham planos de produzir no Brasil, incluindo Foton, Sinotruk, JAC e Shacman. Contudo, nenhuma proposta foi considerada viável, especialmente do ponto de vista financeiro, pois as matrizes na China não demonstraram interesse em investir no País depois da derrocada do mercado de caminhões. A Foton, que tinha assumido compromisso de erguer fábrica no mesmo Estado, em Guaíba, acabou fechando acordo para alugar uma área na Agrale de Caxias do Sul – ironicamente, a mesma que por mais de uma década foi utilizada pela International.



Tags: Navistar, International, Canoas, RS, fábrica, caminhão, produção, indústria.

Comentários

  • Fabio Costa

    Vamos lá, International, quero comprar um Durastar.

  • CRISTIANO LEITE

    BOA TARDE ,ESPERO QUE VOLTE TRABALHEI PRA INTERNACIONAL POR TRES ANOS E UMA OTIMA E MARCA SEMPRE CUMPRIU COM AS GARANTIAS DOS CAMINHOES E ATENDIMENTO ,DIGO PELO SERVISO QUE PRESTAVA EM BH NA INTERFORCE TAMO JUNTO

  • Rogério Ferreira Mendes

    Gosto dos caminhões da marca, mas ela adota a política do SOL, só aparece quando o dia está bonito. Ela precisa mostrar a que veio, mostrar serviço, decidir o quer realmente. Se ela quiser queimar o filme de uma vez por todas, basta se associar, como vinha pretendendo, a um fabricante chinês. Venha com modelos similares aos americanos, com motores variados, que será muito bem recebida....novamente.

  • Eleandro S. Santos

    É um ótimo caminhão, mas além de tudo os fabricantes tem que ter respeito com os consumidores, o sol não brilha todo dia, ha dias em que a chuva cai e deve-se manter nas boas épocas e também nas ruins, porque pode refletir em imagem negativa....

  • Antonio Jose PEREIRA - Gestor de Processos Gerenciais no Agronegócios

    Segundo nos consta, ñ mais continuarão com a produção dos caminhões INTERNATIONAL no Br. Pelo q apercebemos, desde seu retorno, houve enorme displicência qtº a sua ação no mercado, nomeando frágeis concessionários, em atitude amadora/ gestão. Qto ao produto, ñ se discute qualidade, tendo em vista se tratar de excel. equipamentos, bem acima da concorrência, más que o cl, preventivamente deixou de comprar por ñ confiar na estabilidade da marca no Br, por ser reincidente em se retirar do País, pela aparente incapacidade das equipes nas realizações de negócios, nesse promissor mercado eminente. Sendo os Americanos os nossos gurus, em "vendas", eu mesmo fui e sou um dos seus "macacos-de-auditório" nos laboratórios de "P.S.S.", enquanto atuante nas grandes empresas, más que, sequer consegui me manter como profissional em uma das suas revendas gestadas com elevada primaricidade na relação com pessoas colaboradoras...

  • Silvio

    Boa noite, sou apaixonado pela marca, tenho um international 9800, acredito que passa uma pesima imagem para a marca ser abandonada, fechar a fabrica no Brasil, para depois voltarem de novo, acredito que seria bom se manterem, dando mais segurança e uma boa expectativa para os consumidores, bom caminháo, bom consumo, é uma otima marca para trabalhar, com muita segurança é tecnologia, espero que voltem é que se instalem definitivamente no Brasil, dando um bom suporte aos consumidores, abraço grande Silvio!!!!!!

  • jose luis silva de oliveira

    se eu tivesse condição eu adquiriria um internacional carga pesada para eu trabalhar

  • antónio

    bom dia. Os caminhões international são ótimos a marca e ótima, o problema e que ela não tem estabilidade no pais onde se estabelece ou seja saindo do pais e depois voltando sem dar nenhuma explicação E isso no consumidor gera desconfiança e discredibilidade, ao contrário das outras grandes montadoras de caminhões como: Mercedes Bens, Volkswagem, Scania e até mesmo a Ford que e americana. que sempre confiaram no pais e em seus consumidores com um vasto fornecimento de peças de reposição ampla rede de oficinas de concesionárias.O segredo é se estabelecer no pais de vez e fornecer amplamente peças de reposição em todas as lojas de peças de caminhões do pais. obrigado.

  • MAURICIO S. MOREIRA

    A robustes do INTERNACIONAL e indiscutivel.O barulho do motor e show.E OFREIO MOTOR ENTAO,arrebatador,apaixonante como o barulho de um motor SACANIA V8.o grande problema e como algums comentario,que o pessoal da INTERNACIONAL,so espera dias de sol e nao estao preparados para as tempestades.OLHEM QUANTAS VEXES JA DEIXARAM OS PROPRIETARIOS A VER NAVIOS.Coisa semelhante fez a IVECO em 1985,e se nao tivesse saido,talvez hj seria lider de mercado.A muitos apaixonados pela marca no BRASIL,eu poe exemplo desde minha meninice ,meu tio trabalhava em um KB7.e SO TER CORAGEM DE INVESTIR E NAO ESPERAR NADA A CURTO PRAZO,MAS A LONGO PRAZO SE CONSOLIDANDO NO MERCADO,TRAZENDO PRODUTOS DE PONTA COMO OS PROMETIDOS SEREM LANCCCCCÇADOS EM 2013.

  • JoãoWilson Brito

    Estouquerendo adiquerir um 9800i mas ficou preocupado com reposição de peças para manutenção

  • Beneditofogaça

    Tambémtenho caminhão e tinha vontade de ter um internacional mas o medo de não encontrar peças de reposição como a marca não produz mais no país é grande falo sempre com pessoas que tem e q tiveram dizem q é complicado e preços muito elevados com caminhão q ainda não conquistou o país assim q está fama de não ter peças de reposição sair a coisa vai andar fazendo nele algumas adaptações nele q o brasileiro tá acostumado como aumentar o entre eixo dele sistema de de truk com molas e balança o brasileiro até agora não acostumou com estes sistemas de suspensão destes caminhões moderno como a Scania também tem (suspensão a ar)

  • EzequielNeto

    Élamentável que o governo gaúcho não tenha feito absolutamente nada para manter essa renomada Montadora no Rio Grande do Sul. São caminhões de altíssima qualidade, desempenho e durabilidade. Não é verdade que a Internacional tenha "deixado os proprietários a ver navios"; isso é uma deslavada mentira. A Montadora mesmo depois de encerrar a produção no País tratou de manter sua rede de serviços autorizada bem como venda de peças e componentes.

  • Henriqueschwanck Boff

    Trabalheipor 19 anos e tive a oportunidade de fazer a entrega dos caminhões nos dois últimos anos ,sou apaixonada por caminhoes hoje tenho um MB 914 mas meu sonho é ter um truk internacional . obrigado a internacional por essa oportunidade .

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência