Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Conjuntura | 01/07/2016 | 14h17

Produção industrial fica estável em maio com a ajuda de veículos

Contra abril, IBGE aponta alta de 4,8% no setor, incluindo reboques e carrocerias

REDAÇÃO AB

A produção industrial brasileira ficou estável em maio na comparação com abril, de acordo com o IBGE na Pesquisa Industrial Mensal (PIM) divulgada na sexta-feira, 1º. Segundo o levantamento, 12 dos 14 ramos pesquisados apontaram crescimento, com destaque para o avanço de 4,8% no setor de veículos, incluindo reboques e carrocerias. Metalurgia e a indústria extrativa também contribuíram com índices positivos de 3,4% e 1,4% no comparativo mensal, respectivamente.

Ainda sobre o resultado de maio, a atividade industrial ficou 7,8% abaixo da registrada em mesmo mês do ano passado, assinalando o 27º índice negativo consecutivo mensal. Entre as atividades, veículos, reboques e carrocerias tiveram queda de 15,8%, exercendo a maior influência negativa junto com coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis, com recuo de 13,4%, e as indústrias extrativas que tiveram ritmo industrial 11,9% menor do que em maio de 2015.

Embora precedida de duas altas mensais consecutivas – de 1,4% em março e de 0,2% em abril – a atividade industrial acumula queda de 9,8% entre janeiro e maio contra iguais meses de 2015. Neste caso, o setor de veículos também exerceu a maior influência negativa ao registrar recuo de 24,2% na mesma base de comparação, seguido pela indústria extrativa, cuja queda também foi de 14,4%.

“Há um perfil disseminado de queda das atividades investigadas, com destaque para os derivados de petróleo/biocombustíveis, o setor extrativo e o de veículos”, aponta André Macedo, gerente de coordenação de indústria, ao comentar os resultados do PIM de maio. “Observa-se claramente um comportamento de aumento no ritmo de produção especialmente quando se compara com o fim de 2015, mas ainda assim observa-se perdas importantes para a atividade produtiva nos últimos meses. Só a queda registrada em fevereiro foi maior que os ganhos acumulados em março e abril”, analisa Macedo.

Outras contribuições negativas relevantes sobre o total nacional no acumulado vieram de máquinas e equipamentos (-18,3%), metalurgia (-13,4%), equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-29,8%), produtos de metal (-15,6%), produtos de borracha e de material plástico (-12,8%), de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-4,2%).

Por outro lado, entre as três atividades que ampliaram a produção nos cinco meses acumulados de 2016, a principal influência foi observada em produtos alimentícios (2,7%). Os demais resultados positivos foram registrados pelos setores de celulose, papel e produtos de papel (3,1%) e de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (2,4%).



Tags: Produção industrial, IBGE, veículos, atividade industrial.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência