Automotive Business
  
Siga-nos em:

Notícias

Ver todas as notícias
Anfir revisa e melhora projeções para o ano

Comerciais | 14/07/2016 | 18h55

Anfir revisa e melhora projeções para o ano

Entidade estima vendas de 69,3 mil implementos rodoviários em 2016

SUELI REIS, AB

Com o fechamento do primeiro semestre, a Anfir revisou e melhorou as projeções de vendas do setor para o ano, embora ainda espere queda com relação a 2015. A entidade que reúne as fabricantes de implementos rodoviários estima que em 2016 devam ser emplacados cerca de 69,3 mil unidades, o que representaria redução de 21,4% no comparativo anual.

- Veja aqui os dados da Anfir.

Em sua primeira previsão feita em abril as empresas apontavam para vendas de 56,6 mil unidades neste ano, que se confirmada, representaria queda de 36% sobre 2015 (leia aqui).

As novas projeções resultam, entre outros fatores, da análise do desempenho do setor que aponta certa estabilização no índice de queda dos emplacamentos. No primeiro semestre houve retração de 30,6% na comparação com o mesmo período do ano passado, a mesma queda registrada nas vendas acumuladas até maio. Considerando sempre os acumulados, até abril esta queda foi de 31%, enquanto no primeiro trimestre o registro negativo foi de 32,4%. Já no primeiro bimestre a retração estava no nível de 36,2%.

SEGMENTOS

A retração do mercado é mais expressiva no segmento implementos leves, que abrange carroceria sobre chassis. Nos seis primeiros meses do ano, as vendas destes produtos totalizaram 19,2 mil unidades contra as 31,2 mil registradas no mesmo período de 2015, queda de 38,4%.

Já no setor de pesados - reboque e semirreboques - a retração foi de 13,9%, com o total de 12,6 mil unidades emplacadas sobre as 14,6 mil de um ano atrás.

“Em termos de volume de negócios a queda do setor pesado é muito mais impactante do que o de leve devido ao maior valor dos produtos”, explica Mario Rinaldi, diretor executivo da Anfir.

EXPORTAÇÕES

Assim como na economia do País, as exportações da indústria de implementos rodoviários também seguem em ritmo crescente. De janeiro a junho, o setor vendeu pouco mais de 1,8 mil unidades a mercados no exterior, resultando em crescimento de 27,2% sobre iguais meses de 2015.

A atividade deve se acentuar neste segundo semestre uma vez que a Anfir a partir de sua parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) firmada em março deste ano pretende ampliar a atuação de suas associadas por meio do Projeto Vendedor (leia aqui) está realizando missões em diferentes mercados do hemisfério sul a fim de ampliar a gama de clientes.

Na primeira missão realizada no fim de junho na Colômbia, o projeto reuniu na capital Bogotá cerca de cem reuniões entre 14 fabricantes brasileiros de implementos e potenciais compradores naquele país (leia aqui).

Segundo o presidente da Anfir, Alcides Braga, cada empresa teve em média sete encontros durante os dois dias de rodadas de negócio: “A expectativa é que os negócios que poderão ser concretizados atinjam o valor de US$ 8 milhões. Os empresários captaram informações estratégicas importantes como as medidas e modelos mais utilizados no mercado local que servirão de base para futuras ações comerciais.”

O próximo destino é o Chile onde 15 empresas participarão da comitiva comercial, e posteriormente, no Peru, com sete companhias brasileiras focadas no setor de mineração. O projeto também estuda a vinda de potenciais compradores para um encontro no Brasil, para conhecer as instalações das principais fabricantes do setor, mas ainda sem data marcada.

Confira, em vídeo, entrevista exclusiva de Alcides Braga a ABTV:



Tags: Anfir, implementos rodoviários, projeções, vendas, Alcides Braga, exportações.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência