Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 01/08/2016 | 18h15

Julho foi melhor, mas baixa persiste

Mês teve maior movimento de vendas de veículos leves do ano

REDAÇÃO AB

O movimento de vendas de veículos leves em julho contabilizou o melhor mês do ano, com 174.792 unidades emplacadas, em alta de 5% sobre junho, segundo números do Renavam apurados pelo jornalista Joel Leite no site Autoinforme.

É o resultado mais robusto de 2016, levando em consideração que o mês teve um dia útil a menos sobre o anterior (21 contra 22) e ainda assim registrou também a maior média diária de licenciamentos, com 8.323 carros e comerciais leves emplacados de segunda a sexta-feira.

Mas a comparação anual continua bastante negativa: as vendas de julho foram 20,3% menores do que as verificadas no mesmo mês de 2015. No acumulado de sete meses a baixa é de 24,4%. Só agora o mercado brasileiro superou casa 1 milhão de veículos emplacados, com 1,12 milhão, apenas um mês depois do que ocorreu no ano passado.

Conforme previa a Anfavea, associação dos fabricantes de veículos, o porcentual anual de queda nas vendas segue em diminuição: a retração era de 25% na comparação do primeiro semestre e caiu para 24,4% no acumulado de janeiro a julho contra igual período de 2015. Ainda assim essa recuperação mostra-se muito lenta. Será preciso um aquecimento do mercado muito acima do ritmo atual para que seja possível superar 2 milhões de unidades em 2016 e chegar aos 2,2 milhões projetados pela Anfavea. Ou seja, os volumes de emplacamentos atuais apontam para um ano ainda pior do que 2015, que já foi também muito ruim.



Tags: Mercado, vendas, julho 2016, emplacamentos, balanço, Renavam, Autoinforme.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência