Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 04/08/2016 | 16h45

Vendas de caminhões crescem 11,5% em julho contra junho

Segmento tem 2ª alta mensal, mas segue com queda de 31% no acumulado

SUELI REIS, AB

Com 4,6 mil unidades emplacadas em julho, as vendas de caminhões cresceram 11,5% na comparação com as 4,2 mil registradas em junho, embora o volume ainda esteja em nível muito abaixo da média histórica. O volume marca o segundo mês consecutivo de alta dos licenciamentos do segmento em comparativos mensais, segundo dados divulgados na quinta-feira, 4, pela Anfavea, associação das fabricantes. O total licenciado em julho também é o segundo melhor do ano, perdendo apenas para março, quando o mercado interno absorveu 4,8 mil unidades. Apesar disso, as vendas no acumulado de janeiro a julho seguem com queda de 31% sobre mesmo período do ano passado.

-Veja aqui os dados da Anfavea
-Leia também: Veja os resultados da indústria até julho

“Continuamos trabalhando para reduzir os níveis de estoque, mas o desafio maior é gerenciar o alto nível de ociosidade [que está acima dos 70%]. A indústria está usando todos os instrumentos de flexibilidade para controlar esse momento”, afirma Marco Antonio Saltini, vice-presidente da Anfavea, que responde pela área de veículos comerciais pesados.

Segundo Saltini, há oscilações causadas por diferentes fatores, como a paralisação dos Detrans em junho que podem ter represado os licenciamentos daquele mês, tendo-os empurrados para o mês seguinte, inflando um pouco o resultado de julho. Outro fator é a sazonalidade, diferente para cada segmento.

No caso dos extrapesados, que serve ao agronegócio, ainda continua apresentando resultados negativos: “Há dois anos foi o segmento que mais cresceu e hoje é o que está mais retraído”, observa Saltini. A categoria chegou a registrar queda expressiva de 60% em meados do ano passado, embora agora registre queda de menor intensidade: entre janeiro e julho, as vendas destes caminhões totalizaram 9,4 mil unidades, 13% abaixo do volume de iguais meses de 2015, o que pode sinalizar, segundo ele, algum volume sazonal ou algum negócio pontual realizado no mês passado.

“As vendas ainda menores não têm efeito direto com a queda que tivemos da safra. O que explica essa contínua baixa nos volumes são as frotas [de extrapesados] que ainda estão relativamente novas e, além disso, com a falta de perspectiva de crescimento do transporte, parte das frotas está parada”, acrescenta Saltini.

Outros segmentos também persistem com resultados negativos, como os médios e semipesados, que diminuíram seus volumes em 39,5% e 41,3% respectivamente no acumulado com relação ao ano passado. Os semileves diminuíram suas vendas em 10,1% e os leves, em 35,2%.

Acompanhando o cenário ainda negativo do mercado interno, a produção de caminhões segue extremamente baixa. Com ociosidade acima dos 70%, a indústria montou 36,3 mil unidades em sete meses, volume 24,5% abaixo do apurado há um ano, quando as linhas entregaram 48,2 mil caminhões.

As exportações seguem com quedas menos acentuadas. No acumulado janeiro-julho, foram embarcadas 11,2 mil unidades, 5,6% a menos do que nos mesmos sete meses do ano passado. Em julho contra junho, as vendas ao exterior subiram 9,4%, ao totalizar pouco mais de 1,8 unidades, volume que também ficou 6% acima do apurado em igual mês de 2015.

ÔNIBUS E PROJEÇÕES

Não muito diferente do mercado de caminhões, as vendas de chassi de ônibus recuaram 33,4% no acumulado dos sete meses na comparação com mesmo período de 2015 ao totalizar 7,3 mil unidades. Com isso, a produção caiu praticamente na mesma proporção, de 31%, com a entrega de 10,8 mil unidades. Na direção contrária, as exportações de chassis tiveram aumento de 23,2%, com quase 5 mil chassis.

Com este cenário, a Anfavea mantém as projeções para o ano: as montadoras esperam encerrar 2016 com as vendas de 66 mil veículos pesados, entre caminhões e ônibus. Se confirmado, o volume representará queda de 25,4% sobre as 88,4 mil unidades emplacadas em 2015.

Assista abaixo a cobertura exclusiva da ABTV sobre o desempenho do mercado



Tags: Caminhões, vendas, Anfavea, mercado, Marco Antonio Saltini.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência