Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
BorgWarner faz corrente de motor em Itatiba
BorgWarner espera aumentar a produção da linha de correntes em Itatiba

Autopeças | 10/08/2016 | 19h09

BorgWarner faz corrente de motor em Itatiba

Empresa é a primeira a nacionalizar a produção do componente no Brasil

GIOVANNA RIATO, AB

Mesmo com a persistência da crise no setor automotivo, a BorgWarner começa a fazer novos produtos na fábrica de Itatiba, no interior de São Paulo. A companhia é a primeira empresa no Brasil a produzir correntes de sincronismo de motor, com foco em atender inicialmente a três contratos de fornecimento. O primeiro é com a Fiat, que usará o componente em seu novo motor 1.0 de três cilindros que já está em produção. A montadora deve comprar de 300 a 400 mil correntes por ano (leia aqui).

A operação vai crescer rapidamente para atender a outros dois clientes que a BorgWarner prefere não revelar quem são no momento. Um deles, segundo a companhia, demandará altíssimo volume, de cerca de 1 milhão de correntes anuais, para atender inclusive a um projeto de exportação a outros países da América Latina. “Este espaço vai ficar totalmente ocupado em breve”, diz Wilson Lentini, que dirige a Morse Systems, divisão da companhia responsável pelo produto, ao apontar para áreas ainda vagas na planta. “Acabamos de ser nomeados e o fornecimento deve começar em pouco mais de um ano”, complementa.

Com os negócios, o executivo prevê que a companhia aumente em mais de três vezes a sua produção até 2019, quando os volumes entregues às montadoras devem alcançar o pico. Lentini avalia que há forte tendência global pelo uso de correntes de sincronismo em substituição às correias dentadas de borracha. Os componentes, segundo ele, já têm presença superior a 80% nos carros vendidos nos Estados Unidos ou na Europa. Entre as vantagens destacadas pela fabricante estão menor nível de ruído e aumento da qualidade, com baixa necessidade de manutenção. “A questão é que o projeto do motor já precisa incluir a corrente desde o início. Não dá para fazer adaptação”, esclarece.

A BorgWarner também espera aumentar nos próximos anos os volumes de vendas da divisão Thermal. A empresa investiu recentemente na modernização das linhas de montagem da operação em Itatiba, que ganhou mais robôs. A capacidade produtiva para a as embreagens viscosas Visctronic chega a 360 mil unidades por ano e a linha é líder de mercado.

MELHORA O HUMOR, MAS CRESCIMENTO FICA PARA 2018

Depois de meses de contração, Lentini aponta já perceber sinais de melhora no humor do mercado brasileiro. Ainda assim, ele acredita que a volta ao crescimento só deve acontecer em 2018. “Devemos ter estabilidade em 2017”, projeta. Para o executivo, a volta aos patamares recorde de 3,8 milhões de veículos anuais só acontecerá entre 2021 e 2022. “Mas temos que lembrar que o Brasil é um país de soluços. Algumas mudanças ou medidas podem provocar a volta dos volumes bem antes disso. Temos demanda reprimida”, avalia.



Tags: BorgWarner, autopeças, negócios, contratos, Fiat.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência