Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 01/09/2016 | 17h13

Bridgestone renova família de pneus verdes

Linha consegue reduzir consumo em até 2,7% e equipa leves e pesados

MÁRIO CURCIO, AB

A Bridgestone tem novos pneus verdes Ecopia para automóveis e para carga, com menor resistência ao rolamento que os modelos anteriores. A linha para carros de passeio se chama EP 150 e consegue reduzir o consumo de combustível em 2,7% em relação ao modelo antecessor. Com sete medidas diferentes entre os aros de 14 e 16 polegadas, ele tem preço inicial de R$ 239 e já está disponível no mercado de reposição: “Esperamos vender cerca de 500 mil unidades até o fim do ano”, afirma a diretora de marketing Concheta Feliciano.

A linha EP 150 é fabricada na Bridgestone de Santo André (SP) e equipa 100% dos Chevrolet Onix (o carro mais vendido no País). Também está em 75% dos Chevrolet Cobalt e em 45% dos Renault Logan e Sandero. Os Chevrolet Prisma e Spin também recebem os novos pneus. “Aumentamos nossa participação de mercado no fornecimento às montadoras neste primeiro semestre”, garante Concheta.

A menor resistência ao rolamento decorre da utilização de sílica e de outros compostos mais modernos. Pelo novo Programa Brasileiro de Etiquetagem eles recebem letra C em resistência ao rolamento e também em frenagem no piso molhado (a melhor nota é A e a pior, G).

PARA PESADOS, DOIS MODELOS

A nova linha Ecopia comercial (para caminhões, ônibus e carretas) também é feita em Santo André e tem dois modelos, R268 e M792, sempre com as medidas 295/80 R22.5. O primeiro deles pode ser aplicado em eixos direcionais e reboques. O outro é indicado para eixos de tração. “Eles reduzem em até 2% o consumo de combustível em relação a pneus Bridgestone convencionais”, afirma o gerente de produto Marcelo Cruz.

Pelas contas da Bridgestone, em uma frota de 100 veículos com seis pneus cada, no fim de um ano a economia gerada equivale a 44,2 mil litros de diesel. Esses pneus têm compostos mais modernos (com sílica) e novos desenhos para a banda de rodagem. “Eles chegam ao mercado na segunda quinzena de setembro, diz Cruz. Custam entre 3% e 5% a mais que os convencionais. O fornecimento às montadoras ainda não começou. “Estamos em processo de homologação”, afirma o gerente da Bridgestone.

Pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem, o R268 recebeu letra C em resistência ao rolamento e B em frenagem no molhado. O M792 ganhou D em ambos os critérios. Assim como os pneus de passeio, a melhor nota é A e a pior, G.

“Ocupamos neste momento o primeiro lugar em pneus de carga. Até o fim do ano venderemos mais de 1 milhão de unidades. Tivemos um crescimento de 8% no confronto com 2015 e de 10% sobre o primeiro semestre de 2016”, revela Concheta Feliciano.

A Bridgestone tem quatro unidades no Brasil e cerca de 4 mil colaboradores. A unidade de Santo André é a mais antiga. Existe desde 1939 e produz pneus de para automóveis, utilitários, caminhões, ônibus, máquinas agrícolas e equipamentos industriais. A fábrica de Camaçari (BA) tem portfólio semelhante. Outras duas, em Mafra (SC) e Campinas (SP), fazem bandas de rodagem para reforma de pneus.



Tags: Bridgestone, Ecopia, EP 150, R268, M792, Onix, Cobalt, Prisma, Chevrolet, Spin, Renault, Logan, Sandero, Concheta Feliciano, Marcelo Cruz.

Comentários

  • Irinaldo

    Compreirecentemente os 4 do modelo ecopia para o meu onix 2014. Ainda nao houve tempo de avaliar mas pelo texto acho que nao vou me arrepender. Espero por isso.

  • FlavioEugenio

    Bomdia ; Coloquei 04 pneus Ecopia 150 195 6515 já rodei 3000 km notei diferença na rolagem e menos ruido quanto a desgaste prematuro opinar. Agora a expectativa e para pista molhada nas curvas na serra . A baixa resistência a rolagem se influenciara na aderência

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência