NOTÍCIAS
19/09/2016 | 13h52

Segurança

GM Spark GT tem a pior nota em teste do Latin NCAP

Modelo popular na Colômbia e México é avaliado com zero estrela para segurança


REDAÇÃO AB

O modelo compacto Chevrolet Spark GT da General Motors apresenta o pior resultado possível no mais recente teste de segurança realizado pelo Latin NCAP, Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina, e cujo resultado foi apresentado na segunda-feira, 19. Popular em mercados como o México e Colômbia, o veículo recebeu zero estrela tanto para o quesito de proteção de ocupante adulto quanto no de proteção infantil, a menor nota da avaliação. Os carros testados são sempre os da versão mais básica dos modelos: neste caso, o Spark GT não possui nenhum tipo de airbag, apesar de ter reforço nas portas, além de não possuir pré-tensionadores nos cintos de segurança dianteiros. A unidade testada foi fabricada na Índia, embora também seja montado na Colômbia.

“Esta é outra decepção da General Motors, especialmente em um modelo que tem o potencial de oferecer níveis de proteção elevados, quando sua versão básica equipada com seis airbags foi avaliada pelo Euro NCAP em 2009 e atingiu quatro estrelas. É inaceitável que o modelo Spark GT na versão europeia, que inclui airbags, seja oferecido por um valor similar ao da versão básica para América Latina, que não conta com airbags”, declarou o secretário geral do Latin NCAP, Alejandro Furas.

Em nota, o Latin NCAP informa ter sido surpreendido pela General Motors ao decidir colocar o dummy (boneco) de 18 meses no sistema de retenção infantil instalado olhando para frente. “A tendência global é manter os passageiros crianças olhando para trás seja como for. Em 2015, a Toyota colocou o dummy de três anos de idade olhando para trás nos testes do Latin NCAP com excelentes resultados. É uma pena que um fabricante mundial de automóveis como a General Motors não possa oferecer dispositivos de segurança bem conhecidos como os airbags como equipamento padrão. É difícil acreditar como continua este tipo de discriminação com os consumidores da América Latina e do Caribe, enquanto o Global NCAP e toda a comunidade da segurança viária exigem a democratização da segurança veicular”, enfatizou Furas.

Ao apresentar o resultado do teste, a presidente do Latin NCAP, María Fernanda Rodríguez, disse: “Mais uma vez estamos muito decepcionados com a General Motors. Como uma marca global que oferece bons níveis de segurança para outras regiões deve demonstrar que todos os consumidores, independentemente do local de residência, têm a mesma importância inclusive quando se trata de segurança. Esperamos que a GM acompanhe o rumo de outras marcas que realizaram avanços na democratização da segurança. A General Motors disse que seu objetivo é melhorar os níveis de segurança de seus veículos no futuro, porém a mudança tem que ser bem mais rápida, já que estamos muito preocupados pelo número de consumidores que hoje viajam em seus carros inseguros e que continuarão desse jeito nos próximos anos. As medidas de longo prazo não são suficientemente boas, os consumidores da América Latina precisam carros mais seguros agora”.

GLOBAL NCAP TAMBÉM TESTA RENAULT KWID E HONDA MOBILIO

O Global NCAP também reavaliou dois modelos de veículos em sua nova bateria de testes realizada na Índia: o Renault Kwid e duas versões do Honda Mobilio. Em seu relatório, também divulgado na segunda-feira, 19, o Programa Global de Avaliação de Veículos declara surpresa e desapontamento para o SUV da Renault, que foi testado no início deste ano, quando marcou zero estrela para proteção de ocupante adulto, a pior nota possível na avaliação, e duas estrelas numa escala que vai até cinco estrelas no quesito para proteção de ocupante infantil. Agora, no novo teste, após algumas melhorias feitas pela montadora, o modelo conseguiu obter apenas uma estrela no quesito proteção de ocupantes adultos.

Na sua versão mais básica, o Kwid era oferecido sem airbags – a Renault decidiu então equipar a versão mais recente com apenas um airbag para o motorista e pré-tensionador no cinto de segurança também do condutor. Na avaliação atual, esta versão ainda mostrou deflexão alta no peito, o que explica a classificação com apenas uma estrela das cinco possíveis de se obter no banco do motorista.

Já o Honda Mobilio, também testado na versão básica que não oferece airbags, mostra uma estrutura estável, ainda assim foi classificado com zero estrela para a proteção de ocupantes adultos. O Global NCAP solicitou à Honda uma outra unidade do mesmo modelo equipado com airbags duplos, a fim de mostrar os benefícios desse sistema de segurança: neste caso, o carro conseguiu três estrelas no quesito proteção de ocupantes adultos.

“A Renault realizou progressos limitados, eles devem saber que oferecer um carro com apenas uma estrela como a versão padrão não é uma opção. Honda também têm demonstrado que com dois airbags eles podem alcançar três estrelas. Estes sistemas de segurança não devem ser opcionais. Tanto Renault quanto Honda fazem carros seguros em outros mercados, eles têm o know-how para fazer todos os seus carros indianos muito mais seguro. Esperamos que eles comecem a fazer isso agora”, declarou o secretário geral da Global NCAP, David Ward.

Por sua vez, o presidente do Instituto de Estrada e Educação para o Trânsito, Rohit Baluja, disse: “A indústria automobilística na Índia está progredindo rapidamente, no entanto, a abordagem sobre sistemas de segurança ainda não é uma prioridade. Os clientes ainda não estão cientes de quão seguro são os carros que estão comprando para o caso de confrontar-se com colisões frontais, quando em altas velocidades. Nestes testes, tanto a Honda quanto a Renault têm demonstrado que eles podem oferecer carros mais seguros para o mercado indiano. Os fabricantes de automóveis não devem melhorar características de segurança como uma opção, mas a segurança deve ser um padrão inflexível”.

Comentários: 1
 

ANTONIO CARLOS MANTOVANI
20/09/2016 | 09h37
Enquanto nós consumidores Latinos continuarmos a comprar carros somente pela estética, este descaso das montadoras continuará.

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 18/10/2017
Medidas simples e novos estudos ajudam na redução de emissões de CO2

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
AUTOINFORME | 19/10/2017
Hyundai produz em Ulsan 1,5 milhão de carros por ano
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
DE CARRO POR AÍ | 13/10/2017
Com Jumpy, marca avança em novo território
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
INOVAÇÃO | 15/08/2017
Indústria automotiva precisa abrir os olhos para novas formas de trabalhar
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018