Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Internacional | 22/09/2016 | 19h39

Dieselgate: VW planeja consertar carros na Europa até o fim de 2017

Empresa negocia acordo com as autoridades da região

REDAÇÃO AB

Pouco a pouco o Grupo Volkswagen tenta consertar o estrago causado pelo dieselgate, o escândalo provocado pela fraude nos motores de 11 milhões de carros vendidos globalmente. A maior parte dos veículos com nível de emissões adulterado foi vendida na Europa. A montadora negocia com as autoridades da região prazo até o fim do ano que vem para consertar todos os automóveis equipados com o software.

A companhia não confirma, mas informações da agência Automotive News indicam que o objetivo é, ainda em 2016, informar os clientes do recall. O plano consiste em adequar os veículos para que eles enfim cumpram as regras de emissões da região.

Os debates para resolver o problema acontecem desde setembro do ano passado, quando o dieselgate foi descoberto. É justamente na Europa que a montadora enfrenta os maiores problemas para definir como fará o recall e a compensação aos proprietários afetados. Nos Estados Unidos a Volkswagen definiu que vai ressarcir os clientes com ações que custarão de US$ 15 bilhões à companhia (leia aqui).

Diante disso, aumentaram as pressões na Europa para que a montadora defina logo uma solução. Autoridades da região chamam a atenção para a necessidade de a empresa se empenhar mais pelos consumidores europeus e destacam que é injusto priorizar os clientes dos Estados Unidos. Enquanto lá os consumidores recebem milhares de dólares pelo transtorno, na Europa a companhia quer apenas oferecer o reparo dos veículos.



Tags: dieselgate, Europa, compensação, recall.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência