NOTÍCIAS
07/12/2016 | 19h00

Lançamentos

Hyundai Elantra testa o mercado com cara nova

Nova geração do sedã médio parte de R$ 85 mil e vai até R$ 115 mil


PEDRO KUTNEY, AB | De Florianópolis (SC)

A nova geração do sedã médio Hyundai Elantra, que no mês passado começou a ser importado da Coreia pelo Grupo Caoa, chega para testar o mercado com cara nova e preços mais altos, em três versões: Base (R$ 84.990), Special Edition (R$ 103.990) e Top (R$ 114.990). Sem grandes vantagens de preços, catapultados pela desvalorização cambial do real, o modelo coreano disputa um lugar ao Sol em segmento amplamente dominado por Toyota Corolla e os recém-renovados Honda Civic e Chevrolet Cruze. Em fase de renovação, o Elantra deve ficar abaixo das 900 unidades emplacadas este ano, mas o carro vem perdendo muito espaço nos últimos anos, caindo de 3,5 mil emplacamentos em 2014 para 2,7 mil em 2015.

Para tentar mudar essa trajetória negativa, o novo Elantra preserva todas as boas qualidades da geração passada do modelo, continua bonito, bastante confortável e agradável de dirigir, mas não oferece muito mais do que seus consagrados concorrentes. Tudo vai depender, portanto, da escolha do consumidor de optar por carros parecidos de uma ou outra marca. A Caoa não revela qual a expectativa de vendas do modelo.

Por fora, o novo Elantra ganhou desenho mais em linha com a identidade visual da Hyundai, com a já conhecida grade frontal em formado hexagonal, novos faróis e lanternas traseiras LED, além de vincos marcantes nas laterais, compondo o conjunto da marca conhecido como “escultura fluída”. O comprimento da nova geração cresceu 4 centímetros, para 4,57 metros. A largura de 1,8 m e entre-eixos de 2,7 m garantem confortável espaço interno. No porta malas cabem 407 litros de bagagens.

É agradável dirigir o Elantra, com posição confortável. O motor flex 2.0 desenvolvido para o mercado brasileiro, com duplo comando variável de válvulas, desenvolve suficientes 167 cavalos com etanol ou 157 com gasolina. Todas as versões são equipadas com nova geração da transmissão automática de seis velocidades. Segundo a engenharia da Caoa, o novo powertrain é até 5,9% mais eficiente que o anterior.

Assim como já acontece em outros modelos renovados da Hyundai, a carroceria do novo Elantra é construída com 53% de aços de alta resistência (contra 21% na versão anterior), o que confere rigidez torcional 29,5% maior e 25,3% mais força de flexão, segundo a fabricante.

VERSÕES

A versão Base do novo Elantra não incorpora nada além do que seria básico para este nível de carro: direção elétrica, comandos de áudio no volante, acionamento elétrico de retrovisores, travas e vidros, ar-condicionado manual, vidros e travas elétricas, piloto automático e sistema de som básico. O pacote de segurança ativa também é básico, com os obrigatórios dois airbags frontais e freios com antitravamento (ABS) e distribuição eletrônica de frenagem (EBD). Também tem dispositivo de fixação de cadeirinhas infantis Isofix. A partir da versão intermediária Special Edition é incorporada a central multimídia e navegador GPS com tela tátil de 7 polegadas no painel, além de airbags laterais e cortina, ar-condicionado com dupla zona de temperatura, botão de partida sem chave e destravamento de portas por aproximação, câmera de ré, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, banco do motorista com ajuste elétrico, bancos, manopla de câmbio e volante revestidos em couro e faróis com fita de luz diurna LED.

Só a versão Top tem os sistemas de segurança ativa mais sofisticados, como controle eletrônico de estabilidade (ESP) e tração (TCS), airbag para o joelho do motorista (além dos outros seis), retrovisores com detector de ponto cego e faróis com lâmpadas de xenônio e assistência inteligente de farol alto (que baixa a intensidade do feixe de luz quando detecta outro carro vindo em direção oposta). O painel de instrumentos tem tela colorida LED de 4,2 polegadas. O Elantra Top também tem seletor com três modos de condução (Smart, Eco e Sport), que ajusta a rigidez do volante e as trocas de marcha de acordo com a preferência do motorista por mais esportividade ou economia.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 15/11/2017
Mudança na mobilidade domina discussões do Congresso SAE Brasil

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
DE CARRO POR AÍ | 17/11/2017
Chineses entregam operação brasileira à administração dos brasileiros
INOVAÇÃO | 25/10/2017
Indústria precisa questionar qual será o seu papel no futuro
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
AUTOINFORME | 09/11/2017
Luguez firmou parceria com o governo de Ohio
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro