NOTÍCIAS
31/01/2017 | 21h10

Lançamentos

Honda WR-V chega até o fim de março

Utilitário esportivo global concebido em Sumaré deve vir por cerca de R$ 70 mil


MÁRIO CURCIO, AB | De Sumaré (SP)

Novo utilitário esportivo traz vários componentes do Fit, como motorização, portas, vidros e painel
Até o fim de março as concessionárias Honda terão à venda o WR-V, novo utilitário esportivo global concebido pelo centro de pesquisa e desenvolvimento da Honda de Sumaré (SP). O carro foi mostrado pela primeira vez no Salão do Automóvel, em novembro de 2016. O nome vem do inglês Winsome Runabout Vehicle, algo como veículo recreacional e cativante.

Equipado com motor 1.5 flex com até 116 cavalos e câmbio automático CVT, ele deve ter preço inicial próximo a R$ 70 mil. Mais adiante também haverá opção manual de cinco marchas.

Em março a montadora vai revelar versões e preços. O modelo também será vendido pela Honda do Brasil em países da América do Sul e já se sabe que terá produção indiana. O WR-V utiliza vários componentes do Fit, como portas, vidros e painel, mas tem alguns elementos exclusivos como suspensões e itens aparentes como grade, faróis e suspensões.

Assim o projeto é mais do que uma simples versão aventureira. “Em nossas pesquisas, os clientes pediram características conflitantes, como dimensões reduzidas e bom espaço interno; carroceria mais alta e boa dirigibilidade; agilidade e economia de combustível”, afirma o líder de projeto, Luís Marcelo Kuramoto. A fábrica de Sumaré já produziu um lote inicial pré-série de cerca de 100 carros e começa a montá-lo para valer neste mês de fevereiro.

“Ele utiliza os mesmos fornecedores dos outros modelos. São cerca de 120”, dizo vice-presidente da Honda no Brasil, Carlos Eigi Miyakuchi. Também não houve modificação significativa na fábrica para produzir o novo modelo, segundo o executivo.

Honda
Painel de instrumentos vem do Fit, assim como portas, vidros, motor e transmissão. Fotos mostram cores diferentes de tecido combinando com a carroceria. Em março a montadora vai revelar preços e versões.

O WR-V junta-se em Sumaré aos nacionais Fit, City, HR-V e Civic. A aguardada abertura da segunda fábrica de carros da Honda no País, em Itirapina (SP), ainda não está definida. Sumaré consegue montar 620 carros por dia em dois turnos e o ritmo atual sem o WR-V é de 520 unidades, das quais 35% a 40% são do consagrado HR-V, o utilitário esportivo mais vendido em 2015 e 2016.

O sucesso de vendas do novato poderá dar um empurrão para a abertura da nova unidade: “Ainda não dá para fazer uma estimativa (de vendas), tomara que tenha o mesmo nível do HR-V”, diz Miyakuchi.

O WR-V tende a roubar mercado do Fit, já que monovolumes e hatches médios estão em baixa justamente por causa da boa aceitação de utilitários esportivos. Ele também vai impactar o HR-V. Basta lembrar que em 2009, com a chegada do City, o Civic acabou perdendo para o Corolla a liderança entre os sedãs médios.

Assim como o Fit, o WR-V tem interior versátil. Seus bancos dobram e rebatem de forma a criar uma superfície plana para transporte de cargas longas ou para que a área estofada dianteira se encontre com a traseira, permitindo que motorista e passageiro usem o carro para dormir numa parada.

Honda
Interior versátil como o do Fit permite rebatimento total ou parcial dos bancos. Também dá para formar uma linha contínua juntando os estofamentos dianteiros e traseiros, garantindo o descanso total em uma parada.

O WR-V mede 4 metros, tem 2,55 m de distância entre eixos e porta-malas de 363 litros. Já o HR-V tem 4,29 m de comprimento, 2,62 m de entre-eixos e 437 litros no porta-malas.

O motor 1.5 garantiu ao WR-V a letra A no programa de etiquetagem veicular.

Assista ao vídeo com detalhes do WR-V e entrevista a Roberto Akiyama, vice-presidente da Honda para a América do Sul:


Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 18/10/2017
Medidas simples e novos estudos ajudam na redução de emissões de CO2

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement
AUTOINFORME | 19/10/2017
Hyundai produz em Ulsan 1,5 milhão de carros por ano
DE CARRO POR AÍ | 13/10/2017
Com Jumpy, marca avança em novo território
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
INOVAÇÃO | 15/08/2017
Indústria automotiva precisa abrir os olhos para novas formas de trabalhar
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes