Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Lucro líquido da Paccar diminui 67% em 2016

Balanço | 09/02/2017 | 17h32

Lucro líquido da Paccar diminui 67% em 2016

Multa da DAF de US$ 833 milhões à Comissão Europeia reduz ganhos do ano

REDAÇÃO AB

A Paccar encerrou 2016 com lucro líquido 67% menor quando comparado com o ano anterior, passando de US$ 1,60 bilhão para US$ 521,7 milhões, informa em balanço divulgado ao mercado financeiro. Esta diferença resultou em sua maior parte no pagamento de US$ 833 milhões que a DAF, uma das empresas do Grupo Paccar, fez à Comissão Europeia que condenou a montadora ao pagamento deste valor após acordo dentro de um processo investigativo sobre cartéis corporativos na União Europeia (leia aqui).

Excluindo a multa, descrita como gastos indedutíveis e não recorrentes no relatório, o lucro líquido apurado pela companhia resultaria em US$ 1,35 bilhão ou US$ 3,85 por ação diluída, contra os US$ 1,60 bilhão de um antes, quando o valor fechado por ação diluída foi de US$ 4,51. Isto representa uma queda de 15,6% e de 14,6%, respectivamente, no lucro e no valor por ação.

Embora o lucro tenha sido menor, ainda assim é um resultado positivo: “A Paccar registrou seu 78º ano consecutivo de lucro líquido”, afirma o CEO do Grupo Paccar, Ron Armstrong. “Os resultados financeiros da Paccar são decorrentes dos produtos e serviços de alta qualidade, aumento das vendas de caminhões na Europa e maior participação naquele mercado, além de bons resultados no mercado de pós-venda e de serviços financeiros”, completou.

A receita encolheu 11% em um ano, para US$ 17,03 bilhões, em parte pela baixa demanda de caminhões na América do Norte principalmente no último trimestre de 2016. O menor faturamento é resultado da queda de 9% da vendas globais somando as três marcas do grupo: DAF, Kenworth e Peterbilt: foram 140,9 mil unidades em 2016 contra as 154,7 mil do ano anterior.<

Entre as principais regiões de atuação do grupo, os Estados Unidos foram o único a registrar queda nas vendas, de 21,6%, de 91,3 mil em 2015 para 71,5 mil em 2016. Já na Europa, as entregas subiram 11,8%, passando de 47,4 mil para 53 mil unidades, com destaque para vendas recordes da DAF; enquanto em todas as demais regiões mundiais, incluindo a América do Sul, registraram aumento mais tímido, de 2,5%, de 16 mil para 16,4 mil.

No Brasil, a DAF, que concluiu o primeiro ano de produção do motor Paccar MX-13, aumentou suas vendas em expressivos 52%, para 673 unidades, o que elevou sua participação no mercado em 0,72 pontos porcentuais, para 1,34% em 2016.

“Também ficamos contentes que a DAF Brasil foi homenageada pela Fenabrave, a associação nacional de revendedores nacionais, como a marca de caminhão mais desejada no País em 2016”, comemorou Marco Davila, vice-presidente da Paccar.

Por divisão, a de caminhões gerou lucro antes de impostos de US$ 1,12 bilhão, alta de 28%. A de autopeças e componentes Paccar Parts viu seu lucro diminuir 2,1%, de US$ 555,6 milhões para US$ 543,8 milhões em um ano, considerando o resultado antes de impostos. Enquanto isso, a divisão de serviços financeiros viu o lucro recuar 15,5%, para US$ 306,5 milhões.



Tags: Paccar, lucro líquido, DAF, balanço, receita, faturamento.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência