Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Exportações de veículos são recorde no 1º trimestre

Mercado | 06/04/2017 | 18h41

Exportações de veículos são recorde no 1º trimestre

Vendas ao exterior atingem as 172,6 mil unidades, entre leves e pesados

SUELI REIS, AB

As exportações de veículos fabricados no Brasil atingiram a marca de 172,6 mil unidades no primeiro trimestre, volume recorde para o período, segundo os dados de desempenho das montadoras divulgados pela Anfavea na quinta-feira, 6. Este total representou aumento expressivo de 69,7% sobre o volume embarcado em mesmo período do ano passado, quando foram vendidas 101,7 mil unidades a mercados no exterior, considerando leves e pesados.

- Veja aqui os dados do trimestre da Anfavea
-Veja aqui outros dados da Anfavea
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência

Todos os segmentos apresentaram alta nas exportações do primeiro trimestre. Os veículos leves somaram 165,2 mil unidades embarcadas, 71,9% a mais do que no ano passado. Tanto automóveis quanto comerciais leves registram crescimento acima de 70%, para 140,2 mil e 24,9 mil, respetivamente. Caminhões e ônibus encerraram o período com 5,8 mil e 1,6 mil, altas de 42,4% e 3,9%, respectivamente.

Um dos responsáveis pelo bom momento das exportações é a Argentina, cujo mercado dá sinais de recuperação (leia aqui). A própria Anfavea estima que o país vizinho deva ter novo recorde de vendas neste ano, para algo entre 850 mil a 900 mil veículos vendidos internamente.

“A Argentina é o principal destino das nossas exportações, mas não é o único. Há um foco maior das empresas em atender mais mercados que apresentaram crescimento substancial, como México, Uruguai, Chile e Colômbia. Mesmo sendo mercados não muito grandes, são relevantes”, comenta o presidente da Anfavea, Antonio Megale.

O resultado animou a entidade, que apesar de avaliar ser cedo para revisar as projeções do ano, confirma que deve fazer uma nova projeção posteriormente, no meio do ano, se as exportações continuarem neste ritmo.

Segundo Megale, há fatores que podem contribuir ainda mais para este avanço, como o acordo de livre comércio com a Colômbia que está em negociação via governo e que de acordo com o executivo deve ser assinado em breve. Além disso, outros mercados seguem aquecidos, como o Uruguai: em 2016, quando havia o regime de cotas, o Brasil exportou 11 mil veículos para lá; com o fim do limite, este volume já chegou a 8 mil somente nos três primeiros meses deste ano. “No Chile, cujo mercado é algo em torno de 220 mil unidades/ano, também há uma oportunidade de adentrarmos mais no mercado com produtos que têm maior nível tecnológico, equivalentes aos produzidos em outros países; logisticamente faria mais sentido”, diz Megale.

Já com relação ao México, as mudanças que podem vir a ocorrer naquele mercado por conta dos anúncios do governo Trump ainda estão em análise pela Anfavea. “Nossa previsão no médio prazo, após o acordo atual, é de que volte ao livre comércio”, afirma.

Em valores, as exportações somaram US$ 2,79 bilhões de janeiro a março, aumento de 58,3% sobre o total verificado em iguais meses de 2016. “Estamos chegando aos patamares dos melhores anos em valores de exportações”, comemora Megale. “Resultado que ajuda na balança comercial do País”, completa.



Tags: Exportações, recorde, vendas, produção, Anfavea, Antonio Megale.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência