Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Vendas diárias animam fabricantes
Antonio Megale, presidente da Anfavea (foto: Mário Curcio)

Mercado | 06/06/2017 | 17h10

Vendas diárias animam fabricantes

Média de emplacamentos por dia útil vem crescendo desde janeiro

MÁRIO CURCIO, AB

Mais do que o crescimento de 24,6% nas vendas de maio sobre abril ou os 16,8% de alta no confronto com maio do ano passado, o que traz de fato alguma esperança aos fabricantes de veículos do País é a alta na média diária de emplacamentos, que vem crescendo mês a mês desde o início do ano. Começou em janeiro com 6,7 mil unidades e atingiu 8,9 mil veículos em maio.

“Aguardamos a definição do cenário político, mas acreditamos que (a média diária) continuará crescendo”, afirma Antonio Megale, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

A média de janeiro foi 13,8% pior que a do mesmo mês do ano passado, enquanto a de maio foi superou em 11,5% a de maio de 2016.

- Veja aqui os dados de maio da Anfavea
- Veja aqui outros dados da indústria
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência

A ligeira alta de 1,6% nas vendas no acumulado até maio também foi motivo de alívio para as montadoras: “É a primeira vez que ocorre um crescimento no acumulado do ano desde o primeiro bimestre de 2014”, recorda Megale.

O desempenho positivo foi puxado pelos automóveis e comerciais leves, que somaram 803,6 mil veículos, 2,3% a mais do que no mesmo período do ano anterior. Também chama a atenção o crescimento das vendas de modelos 1.0, 235 mil unidades no período e acréscimo de 8,8% sobre os mesmos cinco meses do ano passado, enquanto os veículos de mais de 1.000 cc até 2.000 cc se mantiveram estáveis e os acima de 2.000 cc tiveram retração de 15,6%.

A participação dos carros 1.0 em maio, 37,1%, foi a mais alta desde novembro do ano passado. A média anual de 2016 foi de 33,2% e este ano está em 34,2%. O crescimento pode ter a ver com a melhora do crédito para compradores de menor renda, mas também com a mudança na oferta de produtos: “A maioria dos fabricantes adotou novas tecnologias como motores de três cilindros, às vezes com turbo e injeção direta de combustível. A melhora no desempenho tende a atrair mais consumidores”, estima Megale.

O presidente da entidade admite que a queda dos juros começa a ter impacto positivo nas vendas. “Ainda há certo receio dos bancos, mas os primeiros números positivos começam a surgir (...) Estamos vendo sinais positivos em todos os setores, há um movimento de avançar com a economia. Torcemos para a solução mais rápida possível. Há um problema político, mas a economia tem de rodar”, afirma Megale sobre possibilidade de mudanças na presidência da República.

O executivo recorda que os veículos pesados ainda vivem “uma situação bastante dramática”. No acumulado do ano foram licenciados 17,2 mil caminhões, volume 19,4% menor que o anotado nos mesmos cinco meses de 2016. No caso dos ônibus os licenciamentos somaram 3,6 mil unidades até maio, retração de 22,5% ante os mesmos cinco meses de 2016.

Assista à entrevista com Antonio Megale, presidente da Anfavea



Tags: Automóveis, comerciais leves, Anfavea, Antonio Megale.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência