Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Indústria | 06/06/2017 | 19h02

Exportações de veículos alcançam patamar histórico

Montadoras venderam 307,5 mil unidades em outros mercados até maio

GIOVANNA RIATO, AB

A crise que derrubou as vendas no mercado interno deve deixar um legado importante para a indústria: a maior participação das exportações de veículos nos negócios das montadoras instaladas no Brasil.

De janeiro a maio de 2017 foram vendidas 307,5 mil unidades nacionais a outros mercados, com expressiva alta de 61,8% sobre os mesmos cinco meses do ano passado.

Só em maio foram exportados 73,4 mil veículos, com aumento de 21% sobre abril e de 51,1% na comparação com o mesmo período de 2016.

- Veja aqui os dados da Anfavea
- Confira outros estudos e estatísticas em AB Inteligência
- Leia também: Vendas diárias animam fabricantes
Produção cresce e pode superar expectativa


O volume, além de representar mais um recorde, eleva a importância dos negócios internacionais, que já respondem por 29,6% da produção local de veículos. Este porcentual era de apenas 13,7% em 2012, quando a demanda interna brasileira chegou ao seu melhor volume histórico, ocupando quase toda a capacidade produtiva das montadoras. “Agora as empresas estão fazendo grande esforço para avançar em outros mercados. Este número é resultado disso”, aponta Antonio Megale, presidente da Anfavea, associação que reúne os fabricantes de veículos e divulgou os números na terça-feira, 6.

Os maiores clientes nacionais estão hoje na América Latina, conta. A demanda total da Argentina, maior mercado do Brasil, segue em expansão e deve ficar entre 800 mil e 900 mil unidades este ano, com boa parte deste volume importado do Brasil. “O interessante eles continuam como o principal destino das nossas exportações, mas perdendo participação por causa do aumento do peso de outros países”, destaca Megale.

Ele cita Chile, Uruguai e Colômbia, regiões onde a indústria nacional incrementou bastante a presença. “Isso deve melhorar ainda mais ao longo do ano, quando o acordo automotivo entrar em vigor”, diz, citando a parceria comercial que garante isenção de imposto de importação a determinado volume de veículos exportados ao mercado colombiano. “As vendas para lá cresceram 63% este ano mesmo com a alíquota de 17%. Temos espaço para avançar ainda mais. Nosso market share naquela região era de 3%, agora subiu para 6% e pode chegar a até 20%.”

MELHOR MAIO DESDE 2011 EM FATURAMENTO

O aumento dos negócios no acumulado do ano foi puxado pela demanda por leves, que teve incremento de 63,7%, para 293,8 mil unidades. As vendas de caminhões registraram expansão de 39,6% e chegaram a 10,6 mil veículos. Já as exportações de ônibus avançaram 5,1% e somaram 3 mil chassis.

O crescimento das vendas internacionais de veículos pesados melhorou o faturamento da indústria automotiva com as exportações. De janeiro a maio as receitas chegaram a US$ 6,04 bilhões, montante 52,7% superior do dos mesmos cinco meses de 2016. O mês de maio contribuiu com US$ 1,47 bilhão deste total, o valor mais alto para o período em seis anos.

Confira, em vídeo, o balanço dos resultados da indústria automotiva até maio:




Tags: exportação, veículos, Anfavea, Antonio Megale.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência