Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Renault-Nissan deve chegar à liderança mundial neste ano, diz Ghosn

Mercado | 20/06/2017 | 17h45

Renault-Nissan deve chegar à liderança mundial neste ano, diz Ghosn

Presidente prevê superar Volkswagen e Toyota em volume de vendas

REDAÇÃO AB

O presidente do conselho administrativo da Aliança Renault-Nissan, Carlos Ghosn, declarou que seu grupo poderia superar rapidamente os volumes de vendas do Grupo Volkswagen e da Toyota, chegando à liderança do mercado mundial. Segundo a agência de notícias Automotive News, Ghosn acredita que deve alcançar tal feito ainda neste ano. Em 2015, ele afirmou que a aliança seria uma das três maiores montadoras do mundo em 2018.

“Estamos entre os três maiores fabricantes de automóveis desde janeiro em volume de vendas e esperamos estar no primeiro lugar até meio ano, embora esse não fosse nosso objetivo”, disse Ghosn aos acionistas na reunião anual da Renault na semana passada.

A aposta de Ghosn se sustenta não só pelo fato de adicionar aos seus dados a Mitsubishi, que vendeu cerca de 934 mil veículos em 2016 e da qual assumiu o controle em outubro do ano passado (leia aqui). No geral, até abril, as vendas globais da aliança cresceram 8% no comparativo anual, enquanto Toyota registrou alta de 6% e Grupo VW diminuiu 1%. Segundo dados de mercado da Jato Dynamics, a empresa está mesmo perto do líder e do vice-líder globais de vendas de veículos: de janeiro a abril, o Grupo VW vendeu 3,32 milhões de unidades, e a Toyota, 3,06 milhões, enquanto Renault-Nissan somaram 3,02 milhões.

Segundo o analista automotivo da Jato Dynamic, Felipe Munhoz, não há certeza de que a Aliança Renault-Nissan, que agora também conta com Mitsubishi, poderia subir para o pódio do ranking global já neste ano, mas ele classifica o grupo franco-nipônico à frente das concorrentes diretas Volkswagen e Toyota em termos de crescimento futuro, dada a agressividade da empresa em SUVs e veículos elétricos, além do potencial na China e em outros mercados.

“A Renault-Nissan está apontando na direção certa de muitas maneiras. Eles estão gerenciando suas marcas muito bem: quando a Renault é fraca, a Nissan é forte e vice-versa”, disse o analista.

Ele acredita ainda que a aliança poderia permanecer no top três por muito tempo, salvo em caso de novas fusões ou aquisições por outras empresas globais. Em parte porque a General Motors, agora a quarta no ranking global, concentra-se nas operações domésticas (Estados Unidos), com a venda das suas marcas europeias Opel/Vauxhall para o Grupo PSA e sua retirada do mercado indiano.



Tags: Renault-Nissan, Aliança, Carlos Ghosn, mercado, liderança.

Comentários

  • Natanael Passos

    Parabéns, Acredito nesta prevenção e no planejamento, novos lançamentos, design arrojados, preços competitivos e um marketing forte.. As ruas estão evidenciando o aumento na participação de vendas...

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência