NOTÍCIAS
20/09/2017 | 20h00

Tecnologia

Vem aí 1º caminhão elétrico extrapesado a hidrogênio

Bosch e Nikola se unem para lançar cavalo mecânico em 2021


REDAÇÃO AB

O Nikola Truck 2: extrapesado elétrico de 1.000 cavalos com autonomia de quase 2.000 km
A Bosch se uniu à startup Nikola, nos Estados Unidos, para lançar até 2021 o que deverá ser o primeiro caminhão elétrico de grande porte extrapesado para operações de longas distâncias, com energia fornecida por células de combustível alimentadas por hidrogênio. Dois protótipos, os Nikola Truck One e Two, foram apresentados: são cavalos mecânicos Classe 8 equipados com dois motores elétricos Bosch acoplados ao eixo que geram estratosféricos 1.000 cavalos e torque máximo de 2.700 Nm (ou 276 kgfm). É mais que o dobro da potência de qualquer modelo nessa categoria de peso. Com emissão zero de poluentes ou CO2 – o único subproduto emitido no processo na ponta do escapamento é vapor d’água –, a grande vantagem da tecnologia empregada é a autonomia de quase 2 mil quilômetros antes de precisar reabastecer o tanque com hidrogênio líquido, o que leva apenas 15 minutos em um posto.

No projeto do Nikola Truck, a Bosch fornece soluções que já desenvolveu para eletromobilidade, especialmente o seu eAxle, eixo trator modular que pode ser adaptado a veículos de diversos tamanhos, que integra em uma só peça a os sistemas eletroeletrônicos do powertrain, transmissão e dois motores elétricos que operam em conjunto diretamente acoplados às rodas. Junto com a Nikola, a sistemista alemã desenvolve agora a estrutura das células de hidrogênio para alimentar o caminhão elétrico. Toda a arquitetura eletroeletrônica e de controles veiculares serão baseados no portfólio da Bosch.



“A Bosch é uma incubadora de soluções de eletromobilidade, não importa se para (fornecer a) fabricantes de veículos estabelecidas ou (empresas nascentes) startups”, afirmou em nota sobre a parceria Markus Heyn, membro do conselho de administração da Bosch responsável pelos negócios de veículos comerciais. “Avanços na tecnologia da mobilidade precisam de metas visionárias, velocidade para colocar no mercado e estrutura disciplinada para assegurar sucesso no longo prazo. Juntos com a Nikola, estamos pressionando a nós mesmos a perceber novos níveis de progresso tecnológico e penetração de mercado”, acrescentou Heyn.

“Estamos agressivamente perseguindo nosso objetivo de lançar no mercado o mais avançado cavalo mecânico já construído”, disse Trevor Milton, festejado empreendedor fundador e CEO da Nikola Motor Company. “Nosso powertrain elétrico precisa de um parceiro inovador e flexível, apto a se adaptar rapidamente à velocidade de nosso time. A Bosch nos empodera a ir ao mercado rapidamente com equipamentos e programas de padrão automotivo, assim nossa visão pode se tornar uma realidade”, completou.



Segundo os sócios no projeto, o objetivo é fazer do Nikola Truck uma alternativa viável aos caminhões rodoviários extrapesados de longa distância, com autonomia, operação e custo de propriedade similares aos veículos movidos por motores diesel.

A Nikola está fazendo a pré-venda de seus caminhões elétricos nos Estados Unidos por meio de leasing operacional, com depósito de US$ 1,5 mil para quem quiser fazer a reserva, incluindo no preço o equivalente a 1 milhão de milhas (1,6 milhão de quilômetros) de abastecimento de hidrogênio. A empresa toca em paralelo projeto para dominar e criar uma cadeia sustentável no país de produção e distribuição de hidrogênio, com postos que retiram o gás da água por meio de eletrólise, usando para isso energia fornecida por fazendas de captação solar. O combustível será vendido em alta compressão, na forma líquida.


Comentários: 2
 

Ricardo M. Kaptzan
21/09/2017 | 06h37
Parabéns, projeto visionário! A solução de combustível H2 se torna viável com o uso de energia solar PV. Mas o maior questionamento seria o custo e caracteristicas das baterias vs. sistema convencional.

Alcides
21/09/2017 | 07h54
ótima iniciativa!

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 18/10/2017
Medidas simples e novos estudos ajudam na redução de emissões de CO2

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement
AUTOINFORME | 19/10/2017
Hyundai produz em Ulsan 1,5 milhão de carros por ano
DE CARRO POR AÍ | 13/10/2017
Com Jumpy, marca avança em novo território
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
INOVAÇÃO | 15/08/2017
Indústria automotiva precisa abrir os olhos para novas formas de trabalhar
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes