Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Tecnologia | 25/09/2017 | 21h38

Marketing e digitalização andam lado a lado

Novas ferramentas são cada vez mais essenciais para traçar estratégias

MAIRA NASCIMENTO, PARA AB

A era digital tornou o mundo mais veloz, mais conectado e mais interativo, alterando a forma como o cliente compra e se relaciona com produtos e serviços. Com isso as equipes de marketing das empresas enfrentam desafios diários para atrair, entender e atender seus clientes, organizando imensos volumes de informações obtidas pelos vários canais de comunicação. Algumas tendências apontadas como soluções para compreensão das mudanças de comportamento desses novos consumidores a fim de antecipar seus anseios fizeram parte das apresentações do V Fórum Marketing Automotivo, realizado por Automotive Business, na segunda-feira, 25, em São Paulo.

Para o CEO da Door International-Leadworks, Danton Veloso, o carro se tornou commodity, são os jovens que dão o tom ao mercado e desta forma as empresas precisam estruturar suas estratégias de marketing considerando aspectos relevantes para esta geração, como comodidade, conveniência e velocidade. Além disso, Danton alerta para o fato de que a mudança pela qual vem passando o comportamento dos consumidores, se tornando cada vez mais digitais, está deixando as concessionárias vazias, obrigando o setor a repensar seu modo de vender. “As concessionárias estão às moscas. O modelo de concessionárias de automóveis que se tem hoje não existirá mais em quatro anos”, alerta.

Em consonância, o CEO da Latam IgnitionOne, Edmardo Galli, também afirma que identificar o cliente de forma detalhada é primordial para entender melhor esse novo comportamento e defende que a tecnologia permite individualizar e enriquecer as informações sobre eles, por exemplo, com a compra de banco de dados de outros setores, como o financeiro. Por isso, na sua visão a integração de informações com CRM é primordial para construir um histórico completo do indivíduo.

Nesta imensidão de dados que chegam de diversos canais, as equipes de marketing já podem contar com soluções de compilação de dados e se concentrarem na estruturação das estratégias de como converter seus leads em vendas efetivas. Para ajudar a compreender esses dados, entra em cena a inteligência artificial (AI), solução apontada pela IBM, que oferece ao mercado tecnologias que extraem das informações que a empresa tem os dados necessários para a tomada de decisão, reduzindo as horas de trabalho operacional. Segundo Patrícia Lorenzino, com o Watson Customer Engagement, o marketing caminha lado a lado com a tecnologia, mas é o ser humano que toma as decisões.

MULTIPLATAFORMA ESTRATÉGICA

Para o lançamento do Kwid, a Renault montou sua estratégia tendo como pilares o contato constante com seus clientes e potenciais clientes. A montadora utilizou plataformas digitais e offline, mas planejou peças publicitárias exclusivas para cada uma delas. Aliado a isso, trabalhou ações de CRM e preparou sua rede de concessionária em paralelo. “Desta forma conseguimos impactar o cliente em diferentes canais por um longo período de tempo, do Salão do Automóvel, em 2016, quando mostramos o carro aos consumidores, passando pelo período de pré-venda até chegar ao lançamento”, contou Carlos Henrique Ferreira, diretor de comunicação da Renault do Brasil. Como resultado, a montadora contabiliza volUme de reservas quatro vezes superior ao estimado para o período de pré-venda.


A partir da esquerda: Edmardo Galli (Latam da IgnitionOne), Carlos Henrique Ferreira (Renault) e Patrícia Lorenzino (IBM)

Tags: Marketing, tecnologia, inteligência artificial, Watson, IBM, Renault, Kwid.


Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência