Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Legislação | 07/11/2017 | 20h8

Carros podem receber selo de segurança no Brasil

Iniciativa está em discussão em grupo de trabalho do Rota 2030
GIOVANNA RIATO, AB

As montadoras devem ter um impulso extra para melhorar a segurança dos veículos nos próximos anos. Além da legislação que impõe a adoção de tecnologias capazes de salvar vidas, os empresas terão de lidar com a pressão do consumidor, que terá mais clareza do nível de segurança de cada carro por meio de uma etiqueta. Aos moldes do que já acontece quando o assunto é eficiência energética, cada modelo será classificado com uma letra que indica seu patamar em relação aos outros automóveis da categoria.

Este selo deverá ser colado nos carros novos, tornando-se mais um fator para que o cliente tome a decisão de compra quando vai à concessionária. O projeto está em discussão no grupo de trabalho de Segurança Veicular do Rota 2030, o novo conjunto de regras que vai guiar o desenvolvimento da indústria automotiva pelos próximos anos. “É quase certo que esta solução será adotada”, conta Alexandre Pagotto, que lidera o marketing da área Chassis Systems Control da Bosch e integra o grupo de trabalho pelo Sindipeças. Segundo ele, este será um dos pilares da atuação em segurança veicular que deve ser adotada pela nova legislação.

Outro ponto essencial, conta, é a definição de um “road map” que determinará prazos para a adoção de tecnologias nos próximos anos. “Assim as empresas terão clareza do que vai acontecer e poderão programar seus investimentos.” O terceiro pilar, diz Pagotto, é o incentivo fiscal, que servirá de estímulo para que as montadoras cumpram o cronograma. Ele evita entrar em detalhes, mas reconhece que o acerto mais provável seja a definição de um valor adicional de IPI, com a concessão de descontos conforme as companhias cumpram as regras do Rota 2030 (leia aqui).

A etiquetagem de cada empresa deve ser feita por autodeclaração, diz Pagotto. “As montadoras vão informar os parâmetros e tecnologias que entregam cada carro e isso vai gerar uma classificação de segurança.” Segundo ele, chegou a ser discutida a possibilidade de contar com órgãos externos para fazer a certificação, como o Latin NCAP, por exemplo, mas isso poderia aumentar demais a complexidade da solução. Além disso, a ideia certamente não teria grande popularidade entre as montadoras.

Tags: segurança, veicular, segurança, legislação.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
AB Inteligência