NOTÍCIAS
30/11/2017 | 17h02

Indústria

Henkel prevê aumento dos negócios com carro elétrico

Incluindo autônomos, modelos devem aumentar o volume de adesivos


REDAÇÃO AB

A fabricante de produtos adesivos Henkel prevê um aumento expressivo no volume de adesivos, selantes a partir do avanço das novas tecnologias para a indústria automotiva, como carros elétricos e autônomos conectados no futuro.

“Uma janela de oportunidades incrível está se abrindo para a Henkel. Hoje, um carro leva em média 17 kg de adesivos e esse volume deve aumentar significativamente, bem como o valor agregado dessas soluções com tecnologias mais avançadas”, afirma o diretor de adesivos para indústria automotiva da Henkel, Murilo Brotherhood. “Baterias de íon lítio para carros elétricos requerem maior controle da temperatura, e o aumento de minicomputadores e equipamentos elétricos para os carros autônomos demandam mais adesivos de alta performance para proteção em condições adversas e uma adesão segura.”

Segundo estudo da consultoria Frost & Sullivan, até 2030, os carros autônomos responderão por 10 a 15% da frota circulante da Europa. Até lá, os veículos elétricos deverão ocupar até 75% daquele mercado, estima outra pesquisa realizada pela Universidade Tecnológica do Paraná.

As principais tendências de evolução tecnológica da indústria automotiva apontam para o uso maior de adesivos e selantes, como câmeras e sensores e seus componentes eletrônicos a fim de fixá-los e protegê-los. A empresa se antecipa e diz que já possui dez diferentes soluções para câmeras em carros autônomos.

No caso de baterias de íon lítio, a empresa possui produtos para o gerenciamento do calor, desenvolvidas para proteger as baterias do superaquecimento. Segundo a Henkel, adesivos e selantes podem reduzir de 10% a 15% o peso do automóvel ou cerca de 140kg a menos.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:


QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 16/01/2018
Quem liderou os principais segmentos em 2017

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement
Advertisement Advertisement
QUALIDADE | 01/12/2017
Envolver e motivar colaboradores é essencial para gerar bons resultados
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
INOVAÇÃO | 19/01/2018
Há alguns obstáculos para fazer dar certo a relação entre elefantes e formiguinhas
AUTOINFORME | 10/01/2018
Só três dos 15 mais importados não são utilitários esportivos
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
DE CARRO POR AÍ | 12/01/2018
Que tal pagar uns R$ 64.000 pela versão Precision, 1.8, automática?