Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 05/12/2017 | 16h23

Importados: vendas anotam queda menor até novembro

Resultado faz Abeifa revisar projeção para o ano, de 27 mil para 29 mil

REDAÇÃO AB

As vendas de veículos importados fecharam o acumulado de janeiro a novembro com pouco mais de 26,4 mil unidades, volume que ficou 18,7% abaixo de resultado de igual período do ano passado, segundo dados divulgados na terça-feira, 5, pela Abeifa, associação que reúne 17 importadoras e montadoras. O índice de queda vem diminuindo e pela primeira no ano ficou abaixo da casa dos 20%: no acumulado até outubro, a queda foi de 20,3%.

- Veja aqui os dados de novembro da Abeifa
- Veja aqui outros dados de importados
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência.

Considerando o resultado isolado de novembro, os emplacamentos somaram 2.614 unidades, leve queda de 1,4% sobre igual mês de 2016 e pequeno aumento de 0,1% sobre outubro último, quando o setor vendeu 2.612 veículos.

“Felizmente, as vendas mensais se estabilizaram, mas sobre uma base muito fraca. Por isso, a menos de 30 dias do fim do Inovar-Auto, é um alento para o setor de veículos importados vislumbrar a possibilidade de retomar suas vendas, sem os 30 pontos porcentuais adicionais do IPI e sem a cota-limite de 4,8 mil unidades importadas por ano”, comenta o presidente da Abeifa, José Luiz Gandini.

Com o resultado de novembro, a entidade revisou para cima sua projeção de vendas para 2017: “Nossa previsão de fechamento de vendas para 2017 era de 27 mil unidades. Agora, chegaremos a 29 mil unidades, mas ainda muito aquém de nossas reais possibilidades”, analisa Gandini. Para 2018, as empresas mantiveram a estimativa em 40 mil unidades, o que significaria aumento de 37,9% sobre o volume de 29 mil unidades previstos para 2017.

O volume de vendas de importados pela Abeifa lhe confere participação de 2,1% do mercado total de veículos novos emplacados no período no Brasil, que foi de 1,96 milhão de unidades, considerando apenas automóveis e comerciais leves.

O presidente da entidade voltou a reforçar que com o fim do Inovar-Auto, em 31 de dezembro, e a instituição do programa Rota 2030 em 2018, os preços dos veículos importados não cairão: “Ao contrário, uma vez habilitadas ao Rota 2030, empresas que não conseguirem cumprir metas a serem estabelecidas pela nova política industrial poderão ter seus produtos com preços majorados”, explica Gandini.

Em outras ocasiões, o executivo já havia mencionado que as marcas habilitadas ao Inovar-Auto e que cumpriram os requisitos necessários, não foram sobretaxadas com os 30 pontos adicionais de IPI, ou seja, o imposto extra nunca foi repassado no preço ao consumidor final.



Tags: Importados, vendas, Abeifa, José Luiz Gandini.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência