NOTÍCIAS
12/12/2017 | 15h15

Segurança

No Latin NCAP, Nissan melhora, GM segue mal

Entidade testa Murano, Kicks e Aveo vendidos no México


PEDRO KUTNEY, AB

Nissan Kicks: quatro estrelas na última bateria de testes de 2017 do Latin NCAP
Na oitava e última série deste ano de resultados de testes de segurança do Programa de Avaliação de Veículos Novos para América Latina e o Caribe, Latin NCAP, foram avaliados três veículos vendidos no México. A Nissan conseguiu melhorar seu desempenho geral com dois modelos testados, os SUVs Murano e Kicks, enquanto a GM continua a colecionar avaliações sofríveis em seus carros fabricados e vendidos em países latino-americanos: desta vez o sedã Chevrolet Aveo, um dos mais vendidos do mercado mexicano, não conseguiu obter sequer uma estrela para proteção de ocupantes adultos no crash test realizado para o Latin NCAP na Adac da Alemanha.

Comprovando o fato de que fabricantes de veículos só se preocupam com segurança em países onde são obrigados a fazer isso, seja pela legislação ou pela vontade do consumidor, o melhor resultado da última bateria de testes do Latin NCAP este ano foi obtido pelo Murano, vendido no México mas fabricado nos Estados Unidos, onde os requisitos são mais elevados.

MURANO MELHORA

O SUV de porte médio da Nissan melhorou sensivelmente o desempenho da proteção para ocupantes adultos, aumentando a avaliação de duas estrelas em testes realizados em 2016 para a nota máxima agora, cinco estrelas. A Nissan havia se comprometido a melhorar o rendimento do Murano nos testes de impacto frontal e lateral de poste, o que cumpriu com o modelo renovado, produzido desde 6 de outubro de 2017, desta vez com sete airbags de série e controle eletrônico de estabilidade (ESC).

Contudo, por uma variação mínima de pontuação, houve redução de quatro para três estrelas na proteção às crianças nos assentos traseiros do Murano, o que é explicado provavelmente devido à alteração na estrutura do carro, segundo avalia o Latin NCAP.

Assista abaixo às filmagens do teste do Nissan Murano



KICKS VAI BEM

Fabricado no México desde 2016 – e no Brasil desde o início deste ano –, o Nissan Kicks ganhou quatro estrelas tanto para a proteção do ocupante adulto quanto para crianças. Recentemente lançado no mercado mexicano, o SUV compacto tem dois airbags frontais de série e oferece ESC que cumpre com os requisitos exigidos pelo Latin NCAP para obtenção de nota máxima – a instituição exige que o sistema seja padrão nas versões mais vendidas do modelo testado e opcional em todas as opções.

O modelo não alcançou nota maior porque apresentou estrutura instável na área dos pés no teste de batida frontal, explicando a fraca proteção do peito. A avaliação nos impactos laterais foi de adequada para boa, aceitável em termos globais, segundo o Latin NCAP.

Os ocupantes infantis receberam boa proteção nos impactos frontal e lateral. O Kicks tem ancoragem Isofix para cadeiras infantis, conforme preconiza o Latin NCAP, mas não obteve nota máxima para segurança de crianças porque não tem interruptor de desativação do airbag dianteiro do passageiro nem a correta sinalização de Isofix, o que explica as quatro estrelas.

“É alentador ver o avanço da Nissan com o Murano, ganhando rapidamente nível de cinco estrelas para adultos, bem como maiores níveis de segurança no Kicks”, avaliou Alejandro Furas, secretário geral do Latin NCAP, na divulgação dos resultados na terça-feira, 12.

Assista abaixo às filmagens do teste do Nissan Kicks



AVEO INSEGURO COM AIRBAGS

Mesmo com dois airbags frontais de série, o Chevrolet Aveo produzido pela GM no México continua tão inseguro quanto a maioria dos veículos produzidos pela General Motors na América Latina – no Brasil o Onix, carro mais vendido do País, foi avaliado com nota zero pelo Latin NCAP. O mesmo ocorre agora com o sedã popular, que obteve zero estrela para proteção de ocupantes adultos, de acordo com o protocolo de avaliação do Latin NCAP – que promove testes de impacto frontal, lateral, contra poste e funcionamento do ESC, quando disponível. O Aveo, vendido em alguns mercados (inclusive o brasileiro) como Sonic, foi desenvolvido pela GM na Coreia, é um descendente da Daewoo, comprada pela corporação americana no início dos anos 2000.

A versão sem airbag do Aveo mexicano já tinha sido avaliada pelo Latin NCAP em 2015, igualmente com zero estrela para adultos. O problema está na estrutura instável do veículo, que com o impacto demonstrou colapsos na área dos pés, além de movimento da coluna de direção e dos pedais, aumentando o risco de lesões no motorista. Já o resultado nas batidas laterais foi considerado “de adequado para bom, apesar de uma alta penetração do carrinho no impacto lateral”, diz o relatório.

“O Latin NCAP demonstrou mais uma vez que o fato de incorporar airbags não garante que um veículo seja seguro quando a estrutura é instável. Solicitamos à GM que proporcione à América Latina e ao Caribe os mesmos níveis de segurança oferecidos, de forma padrão, em outros mercados”, criticou o secretário Furas.

Já para proteção a crianças no bando de trás o Aveo não foi tão mal. Com obtenção de três estrelas, o modelo mostrou avanço em relação ao avaliado em 2015, que só apresentava retenção de cadeirinhas com cintos de segurança. O Aveo passou a oferecer ancoragens Isofix e superior (top tether). Contudo, o desempenho melhor para ocupantes infantis também é explicado pela fraca proteção para quem viaja na frente: a estrutura dianteira instável absorve melhor o impacto na batida frontal, reduzindo a energia em direção ao banco traseiro. O Aveo também não tem sinalização correta das ancoragens Isofix, nem interruptor de desativação do airbag do passageiro, conforme requisitos do Latin NCAP.

Assista abaixo às filmagens do teste do Chevrolet Avbeo



“Esses três resultados mostram novamente a relevância e os benefícios de testar todos os modelos disponíveis no mercado, conseguindo que níveis mínimos de segurança globais sejam padrão para todos os consumidores da América Latina e do Caribe”, afirmou Furas. “Por causa dos testes do Latin NCAP, o mercado está reagindo com antecipação e além dos requisitos governamentais. Por isso solicitamos aos governos dos países da região que adotem urgentemente os padrões do teste de impacto frontal e lateral da ONU, além da obrigatoriedade do uso do controle eletrônico de estabilidade e de proteção para pedestres. Assim sendo, pedimos que os testes do Latin NCAP sejam obrigatórios para todos os veículos do mercado, permitindo aos consumidores terem informação clara sobre a segurança oferecida pelo modelo que desejam comprar”, completa.


Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:


QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 16/01/2018
Quem liderou os principais segmentos em 2017

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement
Advertisement Advertisement
QUALIDADE | 01/12/2017
Envolver e motivar colaboradores é essencial para gerar bons resultados
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
INOVAÇÃO | 19/01/2018
Há alguns obstáculos para fazer dar certo a relação entre elefantes e formiguinhas
AUTOINFORME | 10/01/2018
Só três dos 15 mais importados não são utilitários esportivos
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
DE CARRO POR AÍ | 12/01/2018
Que tal pagar uns R$ 64.000 pela versão Precision, 1.8, automática?