NOTÍCIAS
09/01/2018 | 18h32

Mercado

Caminhões: MAN mais perto da líder Mercedes

Ranking de vendas fica estável, mas com mudanças na participação


GIOVANNA RIATO, AB

O ano passado não movimentou o ranking de vendas de caminhões, que permaneceu estável na comparação com 2016. Aconteceram, no entanto, mudanças importantes na participação de cada montadora no mercado, que enfim voltou a crescer e avançou 2,7% para 51,9 mil unidades. A Mercedes-Benz seguiu na liderança do segmento com 15,1 mil veículos vendidos, volume estável na comparação com o ano anterior. A questão é que o reinado da marca começa a ficar ameaçado já que a performance sem incrementos foi o suficiente para que a empresa perdesse um ponto porcentual de market share, que encolheu para 29% no ano.

Assim, a MAN/VWCO, vice-líder de vendas de caminhões, conseguiu chegar um tanto mais perto da concorrente, com 27,3% de presença no segmento em 2017, porcentual estável. A empresa que oferece no mercado nacional veículos das marcas MAN e Volkswagen entregou 14,2 mil unidades no Brasil em 2017, com evolução de 3,8% na comparação com o resultado de 2016. A companhia pretende fortalecer ainda mais o movimento ascendente este ano com as vendas da nova linha de caminhões Delivery (leia aqui).

A Ford permaneceu como a terceira marca de caminhões mais vendida do Brasil, com 7,8 mil veículos. A companhia é mais uma a manter volume estável e, assim, registrar leve queda, da ordem de 0,4 ponto porcentual, em sua participação de mercado, que encerrou o ano em 15%.

VOLVO E SCANIA SÃO AS QUE MAIS CRESCEM

As vendas de caminhões pesados foram as que tiveram maior crescimento ao longo do ano, de 23,4% para 18,7 mil unidades. As suecas Volvo e Scania, especialistas no segmento, surfaram nessa onda e tiveram boa performance no ano. A Volvo manteve a quarta colocação em vendas de caminhões, com 5,9 mil veículos entregues no mercado local, com incremento de 6%. O market share da marca subiu 0,3 ponto porcentual, para 11,4%.

A Scania foi a quinta mais vendida e a empresa que mais conquistou participação de mercado em 2017. A companhia conquistou 2,6 p.p. e respondeu por 11% dos caminhões vendidos no Brasil. Foram licenciados 5,7 mil veículos da marca, volume expressivos 35,5% superior ao registrado no ano anterior.

IVECO PERDE ESPAÇO, DAF CONSOLIDA CRESCIMENTO

A Iveco permaneceu como a sexta maior marca de caminhões do País, mas a posição fica cada vez mais difícil de sustentar. A empresa entregou 1,9 mil unidades no mercado local, com queda de 25,7%. Assim, encolheu em 1,5 p.p. a participação de mercado, para apenas 3,75%.

No caminho contrário, a novata DAF segue conquistando espaço nas vendas de caminhões no Brasil. Com mil veículos negociados localmente e alta de 55,7% sobre o volume registrado em 2016, a empresa garantiu a sétima colocação em vendas, com 2% de market share, porcentual 0,7 p.p. maior do que o do ano anterior.

A brasileira Agrale aparece logo atrás no ranking de vendas, com apenas 112 caminhões negociados no ano e baixa de 39%. A participação de mercado da empresa foi de 0,2%. Atrás dela aparecem marcas que já encerraram suas atividades produtivas no Brasil, como International e Sinotruk, que provavelmente emplacaram em 2017 algumas unidades do estoque que ainda mantinham localmente.

A Foton, que promete inaugurar fábrica em Guaíba (RS) e por enquanto monta caminhões na planta da Agrale em Caxias do Sul (RS), vendeu apenas 32 veículos no Brasil ao longo de 2017.


Comentários: 4
 

DALMI SILVEIRA PIO JUNIOR
10/01/2018 | 08h18
Importante

Eduardo Martins
10/01/2018 | 11h09
Nos extra-pesados, Scania e Volvo mandam.

Eduardo Martins
10/01/2018 | 11h11
Ótima reportagem, com olho clinico no que realmente aconteceu no ano, sem sensacionalismo e com precisão cirúrgica

Jose Antonio Correa
12/01/2018 | 18h23
Como a Scania é do grupo VW caminhões na somatória eles lideraram em 2017

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:


QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 16/01/2018
Quem liderou os principais segmentos em 2017

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement
Advertisement Advertisement
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
QUALIDADE | 01/12/2017
Envolver e motivar colaboradores é essencial para gerar bons resultados
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
INOVAÇÃO | 19/01/2018
Há alguns obstáculos para fazer dar certo a relação entre elefantes e formiguinhas
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
DE CARRO POR AÍ | 22/01/2018
Salão de Detroit sedia apresentações globais direcionadas aos EUA
AUTOINFORME | 10/01/2018
Só três dos 15 mais importados não são utilitários esportivos
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório