Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Greve na Mercedes atravessa a semana
Votação pela manutenção da greve já mostra metalúrgicos em dúvida ou dispostos a voltar ao trabalho

Trabalho | 18/05/2018 | 19h00

Greve na Mercedes atravessa a semana

No entanto, novas negociações e avanço na PLR podem pôr fim ao movimento do ABC

REDAÇÃO AB

A Mercedes de São Bernardo do Campo (SP) permaneceu parada pelo quinto dia seguido. Os metalúrgicos recusaram novas propostas da montadora na manhã de sexta-feira, 18, e decidiram continuar em greve. A paralisação foi motivada sobretudo pelo reajuste salarial e pelo valor da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), benefício cuja negociação vez ou outra estende paralisações com esta.

Pelas imagens feitas na manhã do dia 18 (com muitos trabalhadores optando pelo retorno ao trabalho ou em dúvida na hora erguer os braços), pelos avanços na negociação e por novos fatos divulgados pelo sindicato dos metalúrgicos sobre a PLR, é provável que a greve se encerre no início da próxima semana.

Segundo o a entidade que reúne os trabalhadores, a proposta negociada pela entidade previa a reposição salarial da inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) em maio mais abono de R$ 2,5 mil, PLR paga em duas parcelas (65% em junho e o restante em dezembro) e estabilidade até maio de 2019, entre outras reivindicações.

Em relação a outras propostas anteriores, rejeitadas na terça, dia 15 (veja aqui), a montadora retirou o teto salarial de R$ 10 mil para aplicação integral da inflação e excluiu as reduções de jornada e de salário dos trabalhadores do setor administrativo.

Ainda de acordo com o sindicato, houve aumento também no valor do abono, que a princípio era de R$ 500, e um ajuste na PLR, incluindo no cálculo a exportação de alguns itens agregados.



Tags: Mercedes, sindicato, metalúrgicos, INPC, PLR.

Comentários

  • celsolino bento

    Nãoestamos em dúvida em relação a nossa luta iremos até o final ,a empresa não é um fundo de quintal para não dar o que é direito nosso estamos a mais de 4 anos sem aumento e abrindo mão dos nossos direitos pôr causa das crises e das demissões em massa que aconteceu aqui desde quando este Fernando Garcia chegou aqui ele já fechou diversas fábricas ex foi Black Decker. De santo André. A luta continua é só retornaremos ao trabalho quando derem além do que foi proposto . Plr justa não míseros 26 centavos por caminhão Aumento real Abono pela jornada adicionais de horas extras

  • Wagner

    O pessoal não ficou dividido, mais de 90% rejeitou a proposta

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência