Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Philips aposta em venda maior de LED no mercado de reposição
Comparação da intensidade de iluminação e corte da projeção da luz dos faróis originais de fábrica (à esquerda), equipados com lâmpadas de LED Philips (centro) e o LED da concorrência sem padronização da legislação

Aftermarket | 07/08/2018 | 18h36

Philips aposta em venda maior de LED no mercado de reposição

Empresa homologou lâmpadas aos padrões legais para substituir halógenas de faróis

PEDRO KUTNEY, AB

A Lumileds, divisão de iluminação automotiva da Philips, prevê o crescimento das vendas de lâmpadas de LED no mercado de reposição, para substituir lâmpadas halógenas H4 e H7 dos faróis originais de fábrica e H8, H11 e H16 dos faróis de neblina. Para motivar essa troca, a empresa aposta em apelo triplo: mais segurança, durabilidade e beleza. Também garante que é a única no Brasil a atender a legislação para a substituição, preservando a mesma área de projeção da luz e potência dosada para não causar ofuscamento aos motoristas dos veículos à frente ou que vêm no sentido contrário.

No Brasil nenhum carro sai de fábrica com faróis 100% LED, só modelos importados de gama superior usam esse tipo de iluminação original, mas a tecnologia começa a ganhar espaço também nos veículos nacionais para aplicação em luzes de sinalização, como lanternas e farol de rodagem diurna (DRL, na sigla em inglês). Mesmo globalmente, a proporção de carros zero-quilômetro com iluminação LED ainda é baixa, em torno de 5% nos faróis e 20% nas lanternas, segundo estima João Paulo Bogonovi, gerente geral da Lumileds Brasil.

“O sistema LED é mais caro mas tem vantagens, economiza espaço e energia, dura muito mais, por isso a tendência é de crescimento gradual do uso nos próximos anos, porque é difícil substituir rápido a tecnologia de lâmpadas halógenas que domina o mercado há mais de 30 anos”, diz o executivo.

O mercado brasileiro de reposição – que sem revelar porcentuais a Philips afirma liderar no segmento de iluminação automotiva – representa perto de 60% das vendas de lâmpadas da divisão Lumileds no País. Os outros 40% vão para fábricas de faróis e lanternas, que são fornecidos aos fabricantes de veículos, e correspondem, segundo a empresa, a uma fatia de 30% do fornecimento original de lâmpadas automotivas no Brasil, mas neste caso só vende LEDs de sinalização. Por enquanto, o LED para faróis será vendido exclusivamente no aftermarket, para quem quiser substituir as lâmpadas halógenas de fábrica.

ILUMINAÇÃO MAIS FORTE E DENTRO DA LEI



A maior potência de iluminação pode garantir mais segurança, por aumentar a visibilidade do veículo à noite. Para se ter ideia, enquanto a lâmpada halógena de um farol tem intensidade luminosa de 30 megacandelas por metro quadrado (Mcd/m2), a geração mais recente de LEDs emite mais de 100 Mcd/m2. Segundo a Philips, a segunda geração de lâmpadas LED que começa a ser vendida no mercado brasileiro de reposição entrega 160% mais iluminação do que uma lâmpada convencional.

Do ponto de vista estético, a luz branca do LED tem temperatura de cor de 6.200 Kelvin, dando ao veículo uma aparência mais moderna. A durabilidade também é muito maior, pode chegar a oito anos, porque o diodo emissor de luz é um semicondutor feito de material sólido, não tem filamento que se rompe com o tempo. “Muita gente vai vender o carro sem nunca ter trocado essa lâmpada”, destaca a gerente de marketing Juliana Gubel. A Philips dá garantia de três anos às suas lâmpadas LED, comparado ao máximo de dois anos da iluminação convencional.

Para colocar o LED para faróis no mercado de reposição, a Philips afirma que testou a lâmpada nos 10 carros mais vendidos no País em laboratórios credenciados pelo Inmetro. A empresa garante que seu LED, ao contrário de concorrentes, é o único no mercado que respeita o mesmo corte de iluminação e potência previstos pela legislação, para evitar problemas de segurança com ofuscamento da visão de motoristas que vêm em sentido contrário.

Para fazer a troca da lâmpada halógena pela LED dentro da lei existe certa complicação burocrática: o Código de Trânsito Brasileiro prevê que a modificação deve ser homologada por oficina credenciada – que afere se a iluminação respeita os limites de corte e potência previstos em legislação – e informada no documento do veículo.



Tags: LED, Philips Lumileds, lâmpada, iluminação, faróis, aftermarket, reposição.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência