Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Produção de veículos terá pequena alta de 5% em 2019
Para Dan Ioschpe, do Sindipeças, indústria nacional montará 3,15 milhões de veículos no ano que vem (foto: Luis Prado)

Indústria | 10/09/2018 | 13h09

Produção de veículos terá pequena alta de 5% em 2019

Caso se confirme a projeção, este será o terceiro período consecutivo de crescimento

MARIO CURCIO, AB

A produção de veículos deve ter alta de 5% em 2019, atingindo um total de 3,15 milhões. A estimativa é do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças). A informação partiu do presidente da entidade, Dan Ioschpe, durante o 6º Fórum IQA da Qualidade Automotiva, realizado em 10 de setembro em São Paulo.

Ioschpe admite que a estimativa de alta é pequena, mas recorda que o ano que se aproxima será o terceiro consecutivo de crescimento. Foram 24% em 2017 e serão 12% em 2018. Durante o evento, Ioschpe comemorou a inserção da cadeia de autopeças no programa Rota 2030, mas lamentou a falta de esforço por parte do governo para a simplificação da tributação no setor.

Para as empresas de autopeças, a insegurança jurídica em todas as áreas (trabalhista, tributária e ambiental) também permanece como entrave, assim como o excesso de burocracia, juros elevados e logística deficiente.

Dan Ioschpe recorda que o faturamento dos fabricantes de autopeças deve fechar 2018 com alta de 14,3%, mas a balança comercial terminará o ano deficitária em US$ 6 bilhões. Para o Sindipeças, o equilíbrio no comércio internacional de componentes passará, entre outros pontos, pela melhora nos acordos com o Mercosul, com o México e, na sequência, com o Japão e outros países e regiões relevantes.

Assim como o Sindipeças, a Anfavea, associação que representa os fabricantes de veículos, também ressaltou a importância de a Medida Provisória do Rota 2030 ter contemplado as empresas de autopeças: “O programa valoriza a pesquisa e desenvolvimento e é importante reter esses conhecimentos e talentos criados localmente”, afirma o presidente da Anfavea, Antonio Megale.

“Não podemos desprezar nosso conhecimento em biocombustíveis e a possibilidade de utilização futura do etanol como fonte de energia em células de combustível”, diz o presidente da Anfavea.



Ele recorda que a importação de componentes pelo regime de ex-tarifários (que beneficia itens sem similar nacional com tributação reduzida) terá como contrapartida o investimento local por seus fabricantes em pesquisa e desenvolvimento.

Megale acredita que o Rota 2030 vai favorecer as autopeças brasileiras, assim como o Inovar-Auto fez com os automóveis. Ele cita como exemplo o aumento da fatia no mercado chileno. “Com a modernização de nossos veículos, conseguimos aumentar de 3% para 9% nossa participação no Chile, um país aberto e que importa veículos do mundo inteiro", conclui Megale.

Assista ao vídeo do IQA com entrevista a Antonio Megale, presidente da Anfavea:




Tags: Sindipeças, Dan Ioschpe, Anfavea, Megale, exportações, balança comercial.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência