Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Scania transforma fábrica do ABC com manufatura 4.0
Fábrica da Scania em SBC/SP recebe até 2020 a maior parte do investimento de R$ 2,6 bilhões para modernização

Indústria | 21/02/2019 | 18h49

Scania transforma fábrica do ABC com manufatura 4.0

Áreas como a de solda de cabines é amplamente automatizada com 75 robôs conectados

SUELI REIS, AB | De São Bernardo do Campo (SP)

O investimento de R$ 2,6 bilhões que a Scania vem aplicando no Brasil desde 2016, a maior parte na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, chega ao seu ponto alto: a partir deste mês, a unidade começa a produzir a nova geração de caminhões, que foi apresentada ao mercado em 2018 e já tem pedidos que somam mais de 3 mil unidades até agora.

A preparação da fábrica exigiu esforço coletivo de equipes que foram até a Suécia para ver o modelo de manufatura que seria implantado no Brasil. A unidade de solda de cabine é uma das que mais sofreram alterações no processo de renovação e modernização do complexo industrial: foi totalmente reformulada e reestruturada a partir de conceitos de manufatura inteligente conhecidos como indústria 4.0.

Reinaugurada em agosto passado, a área de soldagem trabalha em dois turnos, com 45 pessoas cada, e agora avança no processo de aumento da produção das novas cabines. Com capacidade total para 25 mil unidades por ano em três turnos, ou 110/dia, a linha está a caminho das 50 canines/dia.

“Estamos nos preparando há mais de três anos para esse processo. A unidade de bodyshop foi especialmente refeita para a nova geração: só ela consumiu € 75 milhões. Hoje trabalhamos com 75 robôs, a unidade mais automatizada da Scania na América Latina e espelho da Suécia”, afirma o gerente responsável pela fábrica de solda de cabines, Ricardo Cruz.

A linha de solda a laser, operada por robôs, é capaz de fazer 25 modelos diferentes de cabine, incluindo as de caminhões semipesados. Os cortes necessários também são feitos a laser: as peças estampadas em aço de alta resistência são fornecidas pela Flama, do Grupo Aethra. Os robôs são responsáveis por cada ponto de solda na cabine do caminhão. Segundo Cruz, o sistema dispensa selante, usado no sistema tradicional. “Ele é infinitamente superior ao selante, que diferente do laser, desgasta com o tempo. A solda a laser, além de prevenir mais as infiltrações, deixa a cabine com aspecto muito superior, o que também contribui para a aerodinâmica.”


Unidade de solda a laser das cabines é feita por 75 robôs conectados

O gerente lembra que é por causa da nova aerodinâmica de toda a linha que os novos caminhões oferecem uma economia de até 2% no consumo de combustível. “Tudo no produto foi revisado, desde o teto até as caixas de rodas, cantos da cabine e retrovisores”, reforça.

Todo o sistema de gerenciamento monitora o fluxo de produção e qualidade, incluindo entrada de material sequenciado e prevenção de anomalias. O próprio sistema é capaz de apontar quando será necessário realizar revisões e manutenção dos ciclos robóticos a partir da coleta de dados em tempo real. Segundo Cruz, atualmente o sistema inteligente gerencia 85 mil tarefas agendadas ao longo do ano e a estimativa é de que este número suba para 100 mil tarefas/ano.

A área conta ainda com o escaneamento por fotogrametria, que fotografa o produto real feito pelos robôs e o compara com o projeto original em 3D para conferência de superfície e possíveis imperfeições.

Áreas como a de chassis, motores e transmissões também estão recebendo sistemas inteligentes de manufatura 4.0: “É mais eficiência para nosso negócio; entregar um produto com qualidade e no tempo correto”, afirma.


Nova área de revisão e homologação de peças foi criada para validar todos os itens da nova geração de caminhões

Outra inovação na unidade fabril que chegou com a nova geração de caminhões é a AAR, onde é feita toda a revisão minuciosa de peças produzidas pelos fornecedores da Scania. A área foi criada especialmente para o novo produto e é responsável por homologar cada um dos mais de 700 novos itens integrados aos caminhões.

“Todo o processo começou antes do início da produção, há peças que demoramos dois anos para aprovar: ela chega, avaliamos e dependendo do problema ela retorna para ajustes do molde, do projeto, até que fique dentro dos parâmetros exigidos. Existe o processo de revalidação a cada dois anos e dependendo da peça pode ser reavaliada a cada um ano”, explica o engenheiro coordenador da área.

Já a área denominada end flow é a responsável pela revisão e auditoria dos caminhões produzidos. É nela que são feitas todas as verificações, tanto visual quanto do funcionando do veículo, com testes em 100% da produção. Com capacidade para 120 caminhões por turno, a unidade faz atualmente a verificação de 85 por turno.

“Mais de 90% de todos os caminhões que passam por aqui seguem sem nenhum tipo de desvio. É aqui que o veículo recebe seu selo de qualidade”, aponta.

A última etapa da linha de revisão dos caminhões é o teste de estanqueidade: são mais de 6 mil litros de água (reaproveitável) para 10 minutos de teste.


Todos os caminhões passam pelo teste final de água para verificação de vedação da cabine



Tags: Scania, fábrica, caminhões, indústria 4.0, manufatura 4.0, robô.

Comentários

  • MarcoGuerra

    Trabalhodiretamente com caminhões sinistrados que passaram por reparação, ( pós venda ). Com a automatização dos pontos de soldas, sofrera alteração na reparação futura? Na Fenatran de 2019 teremos a possibilidade de verificar ou ter contatos com as mudanças? Grato,

  • JosuéMiron

    Trabalheina SCANIA de 1969 a 1995, 27 anos. É extraordinário a diferença no processo da minha época em comparação ao que foi mostrado indústria 4.0 atual.

  • JoséCicero izidio dos Santos

    Parabénsà todos os envolvidos nesse objetivo. Aproveitando eu sou supervisor de manutenção industrial e caldeiraria e estou à procura de uma nova oportunidade. Grato.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência