Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Empresas Randon projetam elevar vendas e receita líquida em 2019
Dirigentes Randon (a partir da esquerda): Daniel, David e Alexandre divulgam e comentam balanço financeiro positivo de 2018 (Foto: Julio Soares/Objetiva)

Balanço | 20/03/2019 | 22h58

Empresas Randon projetam elevar vendas e receita líquida em 2019

Presidente David Randon avalia que cenário positivo do mercado pode elevar a confiança e atrair investimentos

SUELI REIS, AB | De Caxias do Sul (RS)

Após encerrar 2018 com receita líquida 45% maior sobre o ano anterior, para R$ 4,3 bilhões, as Empresas Randon projetam um novo crescimento para 2019, na ordem de R$ 5 bilhões, representando alta de 16%. A estimativa para o ano aponta ainda que a receita bruta deverá crescer na mesma proporção, passando de R$ 6 bilhões para R$ 7 bi. As projeções foram divulgadas na quarta-feira, 20, durante apresentação do balanço financeiro ao mercado financeiro e à imprensa pelos executivos na sede da organização, localizada em Caxias do Sul (RS).

O bom desempenho das receitas em 2018 gerou um lucro líquido quase três vezes maior que o do ano anterior, passando de R$ 46,7 milhões para R$ 151,7 milhões – crescimento de 225%. Com isso, os principais componentes do balanço ficaram acima do projetado pela companhia.

O presidente das Empresas Randon, David Randon, afirma que importantes fatores vão continuar impulsionando o desempenho da companhia previsto para o ano: o próprio mercado de veículos comerciais que desde o ano passado vêm demonstrando sinais sólidos de consolidação da recuperação e a realização das reformas prometidas pelo novo governo, principalmente a previdenciária, cuja proposta já foi entregue à Câmara.

“Com isso, o Brasil terá um novo rumo, elevando a confiança e atraindo mais investimentos”, avalia David.

A divisão de autopeças foi responsável por 50,8% da receita líquida consolidada (R$ 2,2 bilhões), enquanto a divisão montadora (que inclui reboques, semirreboques, veículos especiais e vagões) respondeu por 45,3% (R$ 1,9 bilhão). Serviços financeiros compuseram os demais 3,8%. Segundo o presidente, a tendência para 2019 é que a divisão de autopeças continue respondendo por mais da metade do faturamento total do grupo por causa de sua maior abrangência global.

INVESTIMENTOS E RESULTADOS


Historicamente, a fabricante investe cerca de 2% do seu faturamento. Em 2018, esse montante foi de R$ 335,1 milhões. “O total investido no ano passado ficou ligeiramente abaixo do programado inicialmente, demonstrando nossa disciplina financeira nesse quesito”, avalia o CFO, Paulo Prignolato.

Na divisão montadora, o COO Alexandre Gazzi destaca que parte dos investimentos foram feitos tanto em produto quanto em treinamento e rede. Desde que iniciou uma profunda reestruturação durante a crise, a Randon Implementos também revitalizou sua rede de distirbuição, hoje com 80 casas. “Este é um processo que ainda não terminou, mas já passamos da metade dele”, comenta. “Também trabalhamos em conjunto com a cadeia de fornecedores, sem eles, não passaríamos pela crise”, reiterou.

O executivo lembra que no melhor ano do segmento de implementos, em 2013, o mercado total entregou 70 mil unidades. Naquela época, a Randon foi responsável por 30%, com 24 mil emplacamentos. “Neste ano de 2019, muito provavelmente vamos bater novamente as 24 mil unidades, embora o mercado estimado seja menor do que 2013, com 50 mil. De nossa parte, o segmento de implementos vai faturar mais”, aponta.

Em 2018, a marca emplacou 20,9 mil implementos, dos quais pouco mais de 17 mil foram dedicados ao mercado interno, conferindo uma participação de 38,6%. “Historicamente, nossa participação foi de 33% ou 34%; Em 2017, fizemos 40% e para este ano, nosso market share é estimado em 40%.” O executivo lembra ainda que cerca de 45% do total vendido no ano passado foi dedicado ao agronegócio, principalmente nas categorias graneleiro e basculante. “Neste 2019, trabalhamos com estimativa de crescimento na ordem de 10% a 12% da produção de caminhões, com vendas para o mercado interno acima de 18%, mas exportações ainda em baixa por causa da Argentina.”

Por sua vez, o COO da divisão de autopeças, Sergio de Carvalho, lembra que a empresa também vem investindo em uma nova operação no Espírito Santo, conforme já havia anunciado no ano passado. O montante de R$ 8 milhões para a primeira fase prevê o estabelecimento de um centro de distribuição para atender os mercados do Sudeste, Norte e Nordeste. “Uma segunda fase está prevista para a produção local da linha leve, de carrocerias sobre chassis; neste 2019, devemos concluir os estudos para iniciar a produção em 2020.”



Tags: Randon, balanço, faturamento, lucro líquido, receita líquida, investimentos.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência