Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Rota 2030 chega a 32 empresas habilitadas ao incentivo de P&D

Legislação | 10/06/2019 | 18h51

Rota 2030 chega a 32 empresas habilitadas ao incentivo de P&D

Até agora, são 10 fabricantes de veículos e 22 de autopeças

SUELI REIS, AB

O Rota 2030, programa de desenvolvimento industrial voltado à indústria automotiva, já conta com 32 empresas habilitadas, com base nas portarias divulgadas até agora pela Secretaria de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação, vinculada ao Ministério da Economia. Deste total, 10 são fabricantes de veículos e as demais 22 são empresas de autopeças e componentes fornecidos ao setor.

Vale lembrar que o Rota 2030 é dividido em três vertentes e a habilitação das empresas diz respeito a apenas uma delas, que é o incentivo tributário que as empresas poderão receber ao investirem em pesquisa e desenvolvimento no Brasil. Esta habilitação não é obrigatória, mas voluntária, e uma vez habilitada a empresa se compromete em investir um porcentual mínimo do faturamento em P&D; em troca a regra prevê o abatimento de 30% dos investimentos realizados no valor do Imposto de Renda e Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL), limitado a 30% dos tributos a pagar - o desconto sobe para 45% se os aportes forem feitos no desenvolvimento de componentes considerados estratégicos (leia mais no Especial Rota 2030 preparado por Automotive Business).

Até agora, as habilitações foram publicadas de forma diluída. A primeira delas veio a público na edição do Diário Oficial da União (DOU) de 28 de dezembro de 2018, ainda no governo anterior por meio de portarias do MDIC, extinto após o novo governo tomar posse. Naquela ocasião, quatro fabricantes foram as primeiras habilitadas ao programa: Agrale, PSA Peugeot Citroën, Volkswagen e Voss Automotive, esta última uma empresa de autopeças.

Desde janeiro de 2019, as portarias referentes à indústria têm sido publicadas pela Secretaria de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação, conforme determinação do Ministério da Economia, que integra várias secretarias. A segunda leva de habilitações veio no DOU de 21 de maio de 2019, onde constam 22 habilitações, das quais cinco montadoras e 17 autopeças.

O terceiro lote de empresas habilitadas foi divulgado há menos de uma semana, na edição do DOU de 5 de junho, com portarias para a habilitação de seis empresas, sendo duas montadoras e quatro autopeças.

Veja abaixo a lista completa das 32 empresas habilitadas até agora ao Rota 2030 com a data da publicação e a portaria correspondente.


Habilitadas em 5 de junho de 2019 (veja a edição do DOU página 25):

Fras-le (Portaria nº 243)

Volvo (244)

General Motors (246)

S Riko Automotive (247 e 248)

Brascabos (249)

Prometeon Tyre (250).


Habilitadas em 21 de maio de 2019 (veja a edição do DOU página 26, página 27 e página 28):

Viemar Indústria e Comércio (Portaria nº 211)

FCA Fiat Chrysler (212)

CNH Industrial (213)

KLL Equipamentos de Transporte (214)

Borghetti Turbos e Sistemas Automotivos/Master Power (215)

Valeo Climatização (216)

Gestamp (217)

Delphi Powertrain (219)

Dana (220)

Weidplas Brasil Indústria e Comércio de Plásticos (221)

Renault (222)

Rudolph Usinados (223)

Mercedes-Benz (224)

Schulz (225)

Marcopolo (226)

Brose (227)

Scania (228)

Setbus Soluções Automotivas (229)

Iochpe Maxion (230)

WEG Drivers & Controls Automação (231)

Metalmatrix Indústria Metalúrgica (232)

Nelson Metalurgia (233).


Habilitadas em 28 de dezembro de 2018 (veja a edição do DOU página 378):

PSA Peugeot Citroën (Portaria nº 2.177)

Voss Automotive (2.178)

Volkswagen (2.179)

Agrale (2.180)



Tags: Rota 2030, habilitadas, autopeças, montadoras, Ministério da Economia, MDIC, indústria.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência