Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Ford Ranger 2020 ganha tecnologia e perde motor flex

Lançamentos | 25/06/2019 | 20h32

Ford Ranger 2020 ganha tecnologia e perde motor flex

Marca aposta só nas versões diesel, melhora suspensão, adiciona sistemas e cobra o mesmo preço do modelo 2019

PEDRO KUTNEY, AB | De Mendoza (Argentina)

A Ford tomou medidas para tornar mais competitiva sua picape média fabricada na Argentina. A Ranger 2020 chega às concessionárias brasileiras em agosto pelos mesmos preços da linha 2019, agora em seis versões cabine dupla de R$ 128.250 a R$ 188.990, só com duas opções de motorização diesel, 2.2 de 160 cv ou 3.2 de 200 cv. O motor flex gasolina-etanol não será mais oferecido. Sem grandes mudanças visuais, a Ranger ganhou em tecnologia, com novos acertos de suspensão e novos sistemas eletrônicos de segurança que deixaram a picape bem mais confortável de ser dirigida.

“A Ranger tem grande importância em nossa estratégia global de produtos. A Ford é especialista em picapes, vendeu 1 milhão delas em 2018 e quase 300 mil foram Ranger. Nossa picape tem grande percepção de qualidade junto aos clientes e com as melhorias e atualizações que fizemos agora a tendência é aumentar as vendas na região”, afirma Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul.



As mudanças de desenho da nova Ranger foram feitas principalmente na grade e para-choque dianteiros, para dar à picape média a mesma identidade visual da outras picapes Ford, em especial a Série F. Lançada na década de 1980, hoje a Ranger é fabricada em quatro países – além de Argentina, Tailândia, África do Sul e Estados Unidos – e vendida em 190 mercados ao redor do mundo. Apesar de algumas adaptações regionais, o modelo vem sendo atualizado globalmente e constantemente. Este ano chegou a vez da América do Sul, onde é a segunda picape média mais vendida – atrás por larga margem da Toyota Hilux.

NOVO FÔLEGO NO BRASIL





Segundo Antonio Baltar, diretor de vendas e marketing da Ford Brasil, o fim da opção flex no mercado brasileiro foi determinada pelos próprios clientes da Ranger: menos de 5% das compras eram do modelo bicombustível – e no mercado de picapes médias essa proporção caiu de 25% há alguns anos para 8% atualmente. “A imaginação do consumidor de picapes é diesel. Sempre que o preço da versão flex subiam, aumentava a procura pelas versões diesel”, explica.

O público-alvo da Ranger e está localizado principalmente no Centro-Oeste brasileiro, onde o agronegócio sustenta altas rendas normalmente pouco afetadas por crises econômicas. Enquanto compradores de automóveis mais simples sumiram do mercado por falta de recursos e empregos, os compradores de picapes médias mantêm inalterado seu poder de compra e por isso o segmento permanece sempre com vendas estáveis ao longo do tempo, com trocas de veículos que acontecem normalmente a cada três a quatro anos. Em resumo: é um segmento muito rentável e de produtos com alto valor agregado. Todas as evoluções da Ranger 2020 foram pensadas sob esses conceitos.

Para Baltar, as mudanças feitas na linha 2020 da Ranger devem dar novo fôlego à picape, que de janeiro a maio deste ano, apesar do crescimento de 18,8% nas vendas com quase 8 mil unidades emplacadas, desde o ano passado perdeu para a VW Amarok o terceiro lugar que há anos ocupava no segmento. Contudo, a Ford prefere observar que desde o lançamento da atual geração, em 2012, a participação de mercado da Ranger em seu segmento saltou de 9,4% para 16,1% em 2018.

“Com foco maior no diesel e oferta de mais tecnologia do que a concorrência devemos recuperar participação”, avalia Baltar. A estratégia foi agregar equipamentos e sistemas que se somados, dependendo da versão, deixam a Ranger de R$ 2 mil a R$ 12 mil mais barata do que as três concorrentes na frente, VW Amarok, Chevrolet S10 e Toyota Hilux (nesta ordem crescente).

De todas as versões, o diretor projeta que a mais vendida será a XLS com 40% da demanda. O motivo é a oferta nessa configuração da opção 4x2 automática, que torna o preço mais competitivo dentro do segmento. Outros 20% das vendas, ele calcula, deverão ser da topo de linha Limited, enquanto a Ranger XL, mais simples e com câmbio manual, não deverá passar de 20% das preferências, porcentual parecido para a XLT, que fica um degrau antes do topo.

MUDANÇAS INTESTINAS





“Dedicamos muito tempo para criar uma nova proposta de valor à Ranger, que não envolve só preço, mas durabilidade e pós-venda, além de tecnologia que deixa nossa picape algo como três anos à frente da concorrência”, diz Baltar, para reforçar que as principais mudanças na linha 2020 não são visuais, mas intestinas.

Desde o lançamento da geração atual em 2012 e a última renovação em 2016, esta é a segunda grande atualização da Ranger, que segundo a Ford ganhou cerca de 600 novas peças, com desenvolvimento de 40 fornecedores locais e 60 globais. Os arranjos incluíram o projeto de uma nova suspensão com três ajustes diferentes dependendo do motor usado – no caso do Brasil só dois diesel mas a picape segue sendo vendida com opção a gasolina em outros mercados sul-americanos. Com isso, a picape ficou muito mais estável e confortável.

Na prática, o resultado é bom. Em uma avaliação por mais de 100 km rodando no asfalto e na terra aos pés da Cordilheira dos Andes em meio às vinícolas de Mendoza, na Argentina, a Ranger provou ser muito estável e confortável para dirigir. O motor 3.2 de 200 cavalos, acoplado à transmissão automática de seis velocidades, forma um conjunto quase tão esperto quanto a um motor a gasolina. Mesmo com a caçamba vazia em estradas esburacadas, a picape não pune os ocupantes com grandes sobressaltos.

“São mudanças que não se veem, mas se sentem”, resume Gustavo Oneto, gerente de desenvolvimento de produto na Argentina. Como exemplo, ele cita a tampa da caçamba, onde foi instalada uma barra de torção que amortece impactos e reduz em 70% o esforço para abrir ou fechar – ação que agora pode ser feita só com o dedo indicador.

De acordo com Gilmar de Paula, engenheiro-chefe da plataforma Ranger na América do Sul, a Ranger 2020 passou por extenso desenvolvimento que consumiu 15 mil horas de testes, com 1,7 milhão de quilômetros rodados em todas as variações possíveis ambientes, no gelo da Suécia a 29 graus negativos ao deserdo californiano de Mojave com 50 graus positivos, de zero a 4 mil metros de altitude.

Entre as exclusividades da nova Ranger, que outras picapes médias não têm na região, o engenheiro cita a maior capacidade de imersão sob a água, de até 800 milímetros, graças ao trabalho feito para subir o alternador e sistemas elétricos, além de selamento de conexões.

A Ranger agora também vem equipada com alguns dos mais modernos sistemas eletrônicos de assistência ao motorista no pacote Advance Trac. Câmera de alta resolução e radar controlam o funcionamento da frenagem automática de emergência com reconhecimento de pedestres e ciclistas, controle adaptativo de velocidade de cruzeiro (ACC), e sistema de auxílio de permanência na faixa de rodagem (LKA) que atua no volante – com alerta de parada para um café caso o motorista saia da faixa por mais de cinco vezes. O controle de estabilidade e tração tem sistema anticapotamento, controle adaptativo de carga, que regula automaticamente suspensão, freios e direção.

Também estão na lista de equipamentos direção elétrica com compensação de vento lateral, até sete airbags, controle de oscilação de reboque, diferencial traseiro blocante eletrônico, multimídia Sync 3 com navegação por GPS, ar-condicionado digital com duas zonas de temperatura, monitor individual de pressão dos pneus, novos faróis com luz diurna em LED e lâmpadas de xênon para o farol baixo – o que segundo a Ford aumentou em 25% a qualidade da iluminação.



VERSÕES E PREÇOS



| XL 2.2 4x4 Manual Cabine Dupla (CD): R$132.320
Vem equipada com direção elétrica, ar-condicionado, trava elétrica das portas, computador de bordo, chave canivete com controle remoto de abertura e fechamento global e rádio com tela de 3,5 polegadas com conexão Bluetooth, USB e para iPod 4. Tem também o pacote AdvanceTrac, composto por controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, controle automático de descida, assistência de frenagem de emergência, luzes de emergência em frenagens bruscas, controle de oscilação de reboque, sistema anticapotamento, controle adaptativo de carga e diferencial traseiro blocante eletrônico. Três airbags (dianteiros e de joelho para o motorista), aviso sonoro de cinto de segurança e ganchos Isofix para cadeiras infantis fazem parte dos itens de segurança. As rodas são de aço de 16 polegadas, com pneus 255/70 R16 All Terrain.

| XLS 2.2 4x2 Automática CD: R$128.250
| XLS 2.2 4x4 Manual CD: R$147.520
| XLS 2.2 4x4 Automática CD: R$ 154.610
Além dos equipamentos da XL, agrega ar-condicionado digital com controle individual de temperatura para o motorista e o passageiro, central multimídia Sync 3 com tela sensível ao toque de 8 polegadas e comandos de voz, painel configurável com duas telas de 4,2 polegadas, novos faróis de neblina, sete airbags (frontais, laterais, de cortina e de joelho para o motorista), vidros elétricos com fechamento a um toque para o motorista, retrovisores elétricos, piloto automático, câmera de ré, sensor de estacionamento traseiro, alarme, limitador de velocidade, chave programável MyKey, ajuste de altura e lombar do banco do motorista, compartimento climatizado no console e aviso luminoso do nível do lavador do para-brisa. As rodas são de liga leve de 17” com pneus 265/65 R17 All Season na versão 4x2 e pneus 265/65 R17 All Terrain nas 4x4.

| XLT 3.2 4x4 Automática CD: R$176.420
Itens da XLS mais bancos e volante revestidos em couro, abertura e fechamento global dos vidros, sensor de chuva, para-brisa acústico, multimídia Sync 3 com navegação, faróis automáticos, faróis com ajuste de altura, sistema de monitoramento individual de pressão dos pneus, retrovisores com piscas integrados e rebatimento elétrico, vidros elétricos com fechamento a um toque para os passageiros, faróis com projetor, espelho retrovisor eletrocrômico e para-sóis com espelho e iluminação, estribos laterais, grade, faróis, retrovisores, maçanetas e para-choque traseiro cromados. Rodas de liga leve de 18 polegadas com pneus 265/60 R18 All Season.

| Limited 3.2 4x4 Automática CD: R$188.990
Piloto automático adaptativo, sistema de permanência em faixa, acendimento automático dos faróis, sensor de estacionamento dianteiro, ajuste elétrico do banco do motorista em oito posições, sistema de personalização da luz ambiente com sete cores, rack de teto, santantônio exclusivo pintado na cor da carroceria e protetor de caçamba, faróis baixos de xênon com luz de rodagem diurna de LED e farol alto automático, chave com sensor de presença e botão de partida, sistema de reconhecimento de sinais de trânsito, sistema de frenagem autônomo com detecção de pedestres, alerta de colisão, tampa da caçamba com assistente de abertura e fechamento e travamento elétrico, rodas de 18 polegadas com acabamento em cinza perolizado e diamantado.



Tags: Ford, Ranger, lançamento, diesel, flex.

Comentários

  • Renato

    Deixaro mesmo preço de 2019, até parece piada super alto o valor é o país numa economia travada... deveriam baixar o preço isso sim.

  • Fernanda

    Incrívelo poder de manipulação de mercado O preço está absurdo. Custo benefício, parabéns ao idealizador q o agronegócio e o maior aquisidir a mesma ....como assim foi deixado uma massa populacional onde já estavam as dquirindo sua ranger sem fôlego agora. .. Quanto irá custar uma revisao? Acredito que deram um tiro no pé e simplesmente irá adormecer como a antiga f1000 Q era o luxo nis anos 80 início dos anos 90 Vou correr e vender a minha

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência