Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Lucro do Grupo Renault cai 4,3% com menor contribuição da Nissan

Balanço | 26/07/2019 | 18h05

Lucro do Grupo Renault cai 4,3% com menor contribuição da Nissan

Resultado para o 1º semestre fecha em € 1,04 bi; vendas e faturamento também foram menores no período

REDAÇÃO AB

No primeiro semestre, o lucro líquido do Grupo Renault ficou 4,3% abaixo do resultado apurado em igual período do ano passado, ao fechar em € 1,04 bilhão, segundo balanço divulgado na sexta-feira, 26. De acordo com o relatório, os ganhos foram fortemente afetados pela menor contribuição da Nissan, que nesta semana também reportou lucro menor, razão pela qual decidiu reduzir sua capacidade produtiva global, além de anunciar a demissão de 12,5 mil pessoas no mundo.

As vendas globais tiveram queda de 6,7% nos primeiros seis meses do ano, totalizando 1,94 milhão de unidades, considerando todas as marcas do conglomerado (Renault, Nissan, Dacia e AvtoVaz). A empresa reforça que apesar disso, sua queda foi menor que a do mercado global, que encolheu 7,1% no período. A contribuição das empresas do grupo ficou negativa em € 35 milhões: há um ano, essas mesmas parceiras contribuíram com € 814 milhões. Só a Nissan entregou € 826 milhões a menos do que há um ano.



Com isso, a receita do grupo recuou quase na mesma proporção, de 6,3%, ao atingir € 28,05 bilhões. Segundo a Renault, não fosse por impactos negativos pelas taxas de câmbio, a queda teria sido de 5%. A margem operacional (lucro operacional) totalizou € 1,65 bilhão e representa 5,9% das receitas.

A divisão automotiva registrou fluxo de caixa negativo no fechamento do primeiro semestre em € 716 milhões, decorrente de investimentos que superaram os € 2,9 bilhões (€ 742 milhões a mais do que em iguais meses de 2018), além do impacto negativo da mudança de requerimento de capital de giro, com o desembolso de € 131 milhões.

“Em um ambiente mais difícil do que o esperado, o grupo manteve seu rumo e alcançou um nível de desempenho alinhado com suas expectativas para a primeira parte do ano. O lançamento de muitos novos modelos, a maior competitividade e o espírito de luta das equipes permitem que o grupo confirme seus objetivos de rentabilidade para o ano inteiro”, declarou em nota o CEO da Renault, Thierry Bolloré, que assumiu o cargo em janeiro deste ano no lugar de Carlos Ghosn.

Em uma revisão de suas perspectivas para 2019, o Grupo Renault acredita numa deterioração maior no setor e prevê queda de 3% das vendas mundiais de veículos com relação a 2018. Sua projeção anterior apontava retração de 1,6%.

Entre as regiões, a Europa deverá manter o volume estável, sem o efeito Brexit, com a Rússia caindo entre 2% e 3% - antes a companhia previa alta de 3% no mercado russo este ano.

Para o Brasil, o grupo espera que as vendas totais de veículos devam ser 8% maiores. A previsão ficou 2 pontos porcentuais abaixo da primeira previsão, que esperava aumento de 10% do volume total do mercado.

Neste contexto, o grupo muda sua orientação referente à receita e agora espera uma estabilidade, com montante próximo ao resultado obtido em 2018, considerando taxas de câmbio constantes. Em sua primeira projeção, a companhia esperava aumentar a receita, embora não tivesse comunicado o índice de crescimento. Contudo, a companhia manteve sua projeção de alcançar margem operacional de 6% no ano e fluxo de caixa positivo para a divisão automotiva.



Tags: Grupo Renault, balanço, lucro, Nissan, vendas globais.

Comentários

  • RogérioMakssurAjub

    Eraprevisível a queda dos lucros. Vejam a gama confusa de modelos do grupo em plataformas diferentes. Existe um mesmo carro em plataformas diferentes espalhados pelo mundo afora. Adaptação sempre foi uma adaptação e nunca uma solução robusta, segura e eficaz como a das plataformas universais. Fora tudo isso, temos motores diferentes e ineficientes ao invés de um grupo limitadissimo para facilitar pós venda.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência