Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Compras de carros de luxo devem movimentar US$ 3,7 bilhões em 2019
Montadora encomendou a pesquisa para entender melhor os potenciais compradores do Q8

Mercado | 15/08/2019 | 21h06

Compras de carros de luxo devem movimentar US$ 3,7 bilhões em 2019

Veículos premium representam metade dos gastos com bens de alto valor

MÁRIO CURCIO, AB | De Campinas (SP)

Os chamados veículos premium respondem por apenas 2% das vendas da indústria automobilística local, mas as compras de carros de luxo devem movimentar até o fim do ano no Brasil algo como US$ 3,7 bilhões, ou metade dos US$ 7,4 bilhões que a reduzida parcela rica da população brasileira deverá gastar com a aquisição de bens de alto padrão, valor que cresce 4% sobre 2018. O restante do dinheiro será usado em hotéis, joias, relógios de pulso, óculos, canetas, bebidas, eletrônicos, cosméticos e bolsas.

Os dados são de uma pesquisa encomendada pela Audi como forma de entender como o novo utilitário esportivo Q8 se insere dentro desse nicho. O estudo mostra que o País tem 4 milhões de consumidores de produtos de luxo. Eles equivalem a 1,9% da população e têm patrimônio acima de R$ 400 mil.

“A Audi quer falar a linguagem daqueles que buscam o novo luxo, às vezes sem mostrar a marca ou com produtos personalizados”, afirma o diretor de marketing e comunicação da fabricante alemã, Cláudio Rawicz.

O levantamento mostra também que o Brasil ocupa o décimo lugar entre os países que mais compram produtos de luxo. O ranking é liderado pelos Estados Unidos, que consumiram US$ 71 bilhões em artigos desse tipo. Em todo o mundo esse mercado movimenta por ano US$ 1 trilhão. E a participação mundial dos carros de luxo nesse bolo também é de 50%, ou seja, US$ 500 bilhões.

“Um dos desafios desse mercado no País é a alta tributação, um produto de US$ 1 mil (FOB) pode chegar a US$ 2,3 mil”, revela Rawicz.




Um exemplo da pesquisa é a Ferrari 488 GTB 2019, que nos Estados Unidos sai por US$ 256,5 mil, ou R$ 949 mil. Aqui no Brasil o modelo custa R$ 2,77 milhões, o equivalente a US$ 730 mil.

Outro problema está nos juros dos cartões de crédito, que chegam a quase 300% ao ano. E 60% dos consumidores pesquisados revelam que conhecem alguém que se endividou por ter comprado algum item de luxo.

Tem mais: brasileiro adora produtos fajutos. De acordo com os pesquisados, 61% já compraram itens de luxo falsificados. Entre as desculpas para adquirir a imitação houve até quem respondesse que não encontrou o original para comprar. Em todo o mundo, estima-se que as falsificações gerem um impacto negativo anual de US$ 80 bilhões às marcas originais.

A pesquisa realizada também revelou que 40% dos compradores de artigos de luxo têm entre 26 e 35 anos e outros 24% estão na faixa dos 36 aos 45. Eles se concentram nas Regiões Sul e Sudeste. As mulheres são maioria entre os compradores desses produtos, 63%.



Tags: Audi, mercado de luxo, carros premium, Cláudio Rawicz.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência