Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Internacional | 02/09/2019 | 18h14

Dieselgate pode custar mais US$ 122,5 milhões à VW nos EUA

Montadora já aceitou pagar US$ 96,5 milhões a 98 mil clientes com carros poluidores

REDAÇÃO AB

O dieselgate pode custar mais US$ 122,5 milhões aos cofres da VW nos Estados Unidos: isso porque a montadora aceitou pagar US$ 96,5 milhões em um acordo judicial para reembolsar 98 mil clientes que possuem veículos naquele país. Segundo informações da agência de notícias Reuters, a VW pagará valores que variam de US$ 518,40 a US$ 2.332,80 por veículo. O acordo ocorre pouco mais de um ano de negociações.

Além desses US$ 96,5 milhões, os advogados dos 98 mil consumidores vão reivindicar outros US$ 25 milhões extras em honorários e custos, dos quais US$ 23,9 milhões em taxas e US$ 2,1 milhões em despesas. Se for aceito, a empresa deverá desembolsar um total de US$ 122,5 milhões só de acordos judiciais.

Desde que a fraude foi descoberta e admitida pela VW em setembro de 2015, o dieselgate já custou € 30 bilhões em multas e custos de recompra de veículos à montadora.

Também na semana passada, a Agência de Proteção Ambiental norte-americana (EPA) revelou que a VW deve perder créditos de emissão de gases de efeito estufa e diminuir as classificações de economia de combustível de seus veículos. A EPA disse que o software responsável por burlar os dados de emissões reduziu a classificação de consumo de combustível dos 98 mil veículos em cerca de 0,4 km por litro ou 3,5%.

Cerca de 1 milhão de veículos de Audi, Bentley, Porsche e Volkswagen, ano/modelos 2013 a 2017 tiveram seus dados de consumo burlados pelo software. O sistema fazia com que a transmissão mudasse de marcha de maneira que melhorava a economia de combustível e as emissões de gases de efeito estufa durante os testes feitos pela EPA. Mas isso não acontecia em condições reais de uso dos veículos, que poluíam mais do que nos testes. Os modelos fraudados incluem versões de Audi A8, Bentley Continental GT, Porsche Cayenne e VW Touareg, mas nem todos os anos/modelos estão cobertos pelo acordo judicial.

A EPA disse que a Volkswagen subestimou as emissões de gases de efeito estufa em cerca de 220 mil toneladas.

O dieselgate, como ficou conhecido o escândalo da fraude de emissões pela VW, foi descoberto durante uma investigação da EPA e da California Air Resources Board sobre excesso de emissões de diesel em centenas de milhares de veículos nos EUA. Com isso, a montadora alemã admitiu em setembro de 2015 ter usado um software ilegal para enganar a agência nos testes de emissões daquele ano.



Tags: Dieselgate, VW, Volkswagen, Estados Unidos, emissões, EPA, acordo judicial.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência