Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Grupo Caoa confirma compra da Ford de São Bernardo
Da esq. para a dir.: Carlos Alberto de Oliveira Andrade, fundador do Grupo Caoa, João Doria, governador de São Paulo, e Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul (foto: Mário Curcio)

Indústria | 03/09/2019 | 20h23

Grupo Caoa confirma compra da Ford de São Bernardo

Empresa manterá produção dos caminhões na unidade do ABC e fará também um automóvel

MÁRIO CURCIO, AB

O Grupo Caoa confirmou na tarde de terça-feira, 3, a compra da fábrica da Ford de São Bernardo do Campo (SP). Representantes da Caoa, da Ford e o governador do Estado de São Paulo, João Doria, concederam entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. O desfecho da negociação será divulgado em até 45 dias, num processo conhecido como “due diligence”. O termo é utilizado em aquisições corporativas e se refere ao processo de análise das informação sobre a empresa à venda. Mais adiante serão divulgados o valor da negociação e novos investimentos. O grupo brasileiro dará continuidade à produção dos caminhões e também fará um automóvel ali, cuja marca ainda não foi divulgada.

“Não haverá dinheiro do BNDES na negociação, mas talvez venhamos a utilizar o IncentivAuto”, afirma o chairman e fundador do Grupo Caoa, Carlos Alberto de Oliveira Andrade.



Andrade deu a entender que o automóvel a ser produzido em São Bernardo do Campo terá marca diferente daquelas que ele já produz no Brasil (Chery e Hyundai). Disse que a fábrica “passará por mudanças para se tornar viável e lucrativa” e descartou a saída de Anápolis (GO), onde produz hoje veículos Hyundai e Chery. “Temos três lançamentos programados para lá”, garante o proprietário do Grupo Caoa, que também monta veículos da Chery em Jacareí (SP).

De acordo com informações do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a Ford montará ela própria os caminhões até o fim de outubro. Depois disso o grupo brasileiro assumirá a operação, “produzindo sob licenciamento da montadora”, afirma o presidente do sindicato, Wagner Santana.

“Hoje há 600 pessoas na linha de montagem da Ford. A Caoa vai gerar 750 vagas num primeiro momento”, afirma Santana. Segundo o líder sindical, a Ford mantém também 600 funcionários das áreas administrativas, que permanecerão ligados à montadora.

Segundo o sindicato, os trabalhadores que serão recontratados pela Caoa terão os salários até 30% mais baixos que aqueles pagos pela Ford.



Tags: Grupo Caoa, Carlos Alberto de Oliveira Andrade, Palácio dos Bandeirantes, João Doria, Chery, Hyundai, BNDES.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência