Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Scania requenta produção de caminhão a gás no Brasil
Caminhão Scania a GNV começa a ser feito no Brasil em 2020

Indústria | 06/09/2019 | 11h53

Scania requenta produção de caminhão a gás no Brasil

Nova tentativa começa em março de 2020 na fábrica paulista, com pré-venda na Fenatran

SUELI REIS, AB | De Tatuí (SP)

A Scania requenta seu pioneirismo em produzir caminhões a gás natural veicular no Brasil (GNV), ao confirmar que vai fabricar em São Bernardo do Campo (SP) versões que podem ser abastecidas com o combustível gasoso, incluindo o biometano, derivado de resíduos orgânicos. A produção começa em de março de 2020, mas as encomendas podem ser feitas a partir do mês que vem na Fenatran (14 a 18 de outubro no SP Expo).

O projeto é fruto de investimento de R$ 21 milhões, parte do programa de R$ 2,6 bilhões que a empresa dedica ao País entre 2017 e 2020, e já fazia parte do plano da montadora de introduzir modelos a gás no portfólio com a nova geração de caminhões lançada em outubro do ano passado.

Segundo o diretor comercial da Scania Brasil, Silvio Munhoz, o novo caminhão será feito na mesma linha dos modelos movidos a diesel. “Tivemos de fazer grandes mudanças referentes à segurança na linha de montagem para a chegada do novo modelo a gás”, conta o executivo.

O caminhão a gás é equipado com motor ciclo otto, será capaz de rodar tanto com GNV mineral ou biometano, já que ambos são metano. O que muda é apenas o tipo de tanque. Munhoz confirma que após a pré-venda na Fenatran as concessionárias começam a entregar os modelos em abril.

Caminhões movidos a GNV vêm sendo testados por parceiros da empresa desde dezembro do ano passado, como é o caso da Citrosuco, que faz o transporte de suco de laranja entre a cidade paulista de Matão e o Porto de Santos. outra unidade tem feito a operação da São Martinho, empresa do setor sucroalcooleiro e que utilizou o caminhão em uma de suas operações off-road na safra de cana-de-açúcar.

“Ainda este ano teremos mais dois caminhões a GNV rodando em operações de longa distância [em trecho rodoviário] e mais um começará a rodar mais para o fim do ano na coleta de lixo”, disse Munhoz, sem revelar onde e quais são as empresas envolvidas.

CAMINHÃO MAIS CARO COM CUSTO MENOR



O diretor acrescenta que, em uma estimativa inicial, o caminhão a gás deverá custar entre 30% e 35% a mais do que uma versão a diesel. Ele reforça que o modelo traz benefícios ambientais, por emitir cerca de 15% menos CO2 quando abastecido com GNV e até 90% a menos com biometano. Mas o principal argumento de venda é o custo de manutenção cerca de 10% menor.

Para viabilizar o uso do biometano nos veículos, a fabricante firmou uma parceria com a ZEG, empresa do Grupo Capitale Energia, especializada na geração de energia renovável, para a demonstração de rodagem de um caminhão abastecido com o gás renovável, que pode ser produzido a partir de resíduos orgânicos. A Scania fornecerá um modelo G 410 XT 6x4 que será utilizado em uma das usinas da São Martinho: este será o primeiro caminhão fora de estrada no País abastecido com o biometano.

Por sua vez, a ZEG fornecerá o GasBio, nome dado ao biometano que está sendo produzido pela empresa no Centro de Biogás e Tratamento de Resíduos Leste, em um aterro em São Mateus, na capital paulista, onde foram investidos R$ 60 milhões. A tecnologia permite a produção do biogás a partir de restos da colheita de cana-de-açúcar, entre outras sobras agrícolas e também industriais. A companhia também desenvolveu processo de produção do combustível em estruturas de médio porte e que pode ser replicável. Isso significa que ela poderá instalar plantas de produção onde a oferta do gás é inexistente.

Segundo o Daniel Rossi, CEO da companhia e sócio-fundador do Grupo Capitale Energia, a ideia é implantar esses centros de produção em parceria com empresas do agronegócio, utilizando resíduos orgânicos dispensados por essas organizações e disponibilizar o biometano em rotas de transporte de produtos agropecuários.



Tags: Scania, caminhão, GNV, biometano, fábrica, produção, Fenatran, ZEG.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência