Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Iveco e Nikola farão caminhões elétricos a hidrogênio em sociedade
Os três cavalos mecânicos elétricos desenvolvidos pela Nikola serão industrializados pela Iveco, com tecnologia de células de combustível a hidrogênio

Negócios | 06/09/2019 | 17h32

Iveco e Nikola farão caminhões elétricos a hidrogênio em sociedade

CNH Industrial compra participação de US$ 250 milhões na empresa americana

PEDRO KUTNEY, AB | De Nova York (EUA)

No mesmo dia em que a CNI Industrial apresentou na Bolsa de Nova York seu plano de negócios para os próximos cinco anos, a companhia também anunciou a compra por US$ 250 milhões de participação acionária de 7,7% na Nikola, empresa de Phoenix, Arizona, nos Estados Unidos, que há cerca de dois anos vem desenvolvendo caminhões elétricos energizados por pilhas de hidrogênio, ou células de combustível – gerador eletroquímico que emite apenas vapor d’água. Com a sociedade, as divisões da CNH fabricantes de veículos comerciais e motores, respectivamente Iveco e FPT, vão se envolver na industrialização dos modelos pesados projetados pela Nikola, para tornar viável a produção comercial deles na Europa e Estados Unidos.

O negócio prevê que a CNH Industrial vai investir US$ 100 milhões em dinheiro na Nikola, os outros US$ 150 milhões serão pagos em serviços, com o uso da infraestrutura de desenvolvimento de produtos, engenharia, manufatura e assistência técnica da Iveco e FPT, como meio de acelerar a produção dos três cavalos mecânicos Nikola ONE, Nikola TWO e Nikola TRE (este último um cab-over projetado especialmente para atender a legislação de mercados europeus).

O grupo CNH é o primeiro sócio investidor a comprar as ações série D correspondentes a 25% da propriedade da Nikola, que colocou recentemente os papéis à venda para levantar US$ 1 bilhão e assim viabilizar a produção de seus veículos comerciais pesados elétricos até o fim de 2020.

Pelo acordo, a Nikola irá formar uma joint venture com a CNH Industrial na Europa e fornecerá à Iveco e FPT suas tecnologias, incluindo a arquitetura das células de combustível, eixos elétricos, inversores, suspensão independente, tanques de hidrogênio líquido, sistemas eletrônicos de gerenciamento do veículo com atualização on-line na nuvem, protocolos de comunicação entre veículos e estações de abastecimento, além da própria rede de postos.

“Temos muita sinergia a trocar. A Nikola tem pronta a tecnologia das células de combustível que nós não temos como desenvolver no curto prazo, enquanto nós vamos fornecer a capacidade industrial de produção de caminhões que eles não têm”, disse Suzanne Heywood, presidente do conselho da CNH Industrial.



MODELO DISRUPTIVO



O modelo disruptivo de negócio da Nikola prevê produção e venda dos caminhões elétricos com custos de operação mais baratos do que um similar a diesel, por meio de contratos de arrendamento (leasing) que incluem todos os gastos: veículos, serviços, manutenção e até o combustível, fornecido por uma rede própria de distribuição de hidrogênio desenhada pela própria empresa. Além dos cavalos mecânicos, a Nikola também desenvolveu projetos de postos de hidrogênio, com produção, armazenamento e abastecimento em um mesmo local, onde o gás é produzido por eletrólise da água com energia limpa, fornecida por captação solar e geradores eólicos. O objetivo é fornecer um ciclo energético completo e livre de emissões.

Com esta proposta, a Nikola informa já ter recebido 14 mil pedidos de arrendamento para seus caminhões elétricos – 800 deles foram encomendados pela cervejaria americana Anheuser-Busch. Tanto nos Estados Unidos como na Europa, serão oferecidos dois tipos de modelos elétricos: com células de combustível para rodar até 1,2 mil quilômetros com um tanque completo de hidrogênio, ou somente com baterias e autonomia de 480 km entre uma recarga e outra – estes devem competir diretamente com os Tesla Semi que o empresário concorrente Elon Musk promete lançar.

“Chegou o tempo de finalmente fornecer uma solução de emissão zero para o mercado de caminhões pesados. Enquanto outros fabricantes avaliam que veículos com esta tecnologia não serão viáveis dentro do prazo proposto pelas autoridades legislativas, Nikola, FPT e Iveco estão provando com esta parceria que isso é possível”, afirmou Trevor Milton, fundador e CEO da Nikola Corporation.



Segundo Milton, a Nikola já tem o domínio da tecnologia, mas precisava de um parceiro com ampla rede de produção e distribuição na Europa para viabilizar seus caminhões pesados elétricos na região. Para isso, vai utilizar os canais de vendas, serviços e garantia da Iveco. “Com o investimento e parceria industrial da CNH Industrial, poderemos trazer caminhões livres de emissões aos mercados europeus. Ganhamos acesso a meios de manufatura, poder de negociação em compras, validação de componentes, engenharia e muito mais. Poucos agora irão duvidar de nossa habilidade de vender caminhões”, afirma o empresário.

PASSO ADIANTE



Para a CNH Industrial, a adoção da tecnologia das células de combustível é um “passo adiante lógico” em sua estratégia de desenvolver motores para veículos comerciais movidos a gás natural liquefeito, já que o hidrogênio pode ser produzido e distribuído pela mesma rede de abastecimento já instalada na Europa. Nas últimas duas décadas a FPT produziu 50 mil motores a gás, enquanto a Iveco lidera as vendas de veículos comerciais que rodam com o combustível gasoso na Europa, com 28 mil caminhões e ônibus a gás em circulação.

A CNH espera que a joint venture com a Nikola na Europa irá cobrir o desenvolvimento de veículos elétricos, a bateria e com células de combustível, que serão lançados até o fim de 2022. “A Iveco agora está idealmente posicionada para oferecer aos clientes um leque ainda maior de soluções de transporte, incluindo gás natural, eletricidade e células de combustível”, avalia Hubertus Mühlhäuser, CEO CNH Industrial.



Tags: CNH Industrial, Nikola, Iveco, FPT, caminhão elétrico, pilha de hidrogênio, célula de combustível, negócio, participação.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência