Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Vendas de caminhões e ônibus chegam a 123 mil em 2019, prevê Anfavea

Mercado | 07/10/2019 | 19h48

Vendas de caminhões e ônibus chegam a 123 mil em 2019, prevê Anfavea

Em nova projeção, fabricantes apostam em crescimento de 35% no segmento pesado

SUELI REIS, AB

“Fizemos em nove meses o que fizemos em todo o ano de 2018”. É com este registro que o presidente da Anfavea, Luiz Carlos de Moraes, comemora o desempenho das vendas de caminhões, cujo volume atingiu as 74,2 mil unidades no acumulado de janeiro a setembro, quase o total dos emplacamentos registrados em todo o ano passado, quando chegaram a 75,9 mil caminhões.



- Faça aqui o download da revisão das projeções da Anfavea
- Faça aqui o download dos resultados da Anfavea
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência



Com a forte recuperação do segmento de transporte de carga ao longo do ano, puxado pela categoria de caminhões pesados (com PBT acima de 15 toneladas) graças à demanda do agronegócio, e também com o aumento expressivo das vendas de ônibus, a associação das fabricantes revisou suas projeções para o ano elevando o volume de vendas e de produção de ambos os segmentos, enquanto diminuiu as expectativas para suas exportações.

Segundo a nova previsão, o mercado brasileiro deverá consumir 123 mil veículos comerciais pesados, dos quais 103 mil caminhões e 20 mil ônibus. Na projeção anterior, divulgada em janeiro, as fabricantes esperavam elevar as vendas do segmento pesado em 15,3% e atingir pouco mais de 105 mil unidades.

“O crescimento continua forte para caminhões e ônibus”, reforça o presidente da Anfavea.



No caso de caminhões, os licenciamentos de 103 mil unidades representarão crescimento de 35,7% sobre o volume de vendas de 2018, que foi de 75,9 mil. Esta será a primeira vez que o segmento supera a casa das 100 mil unidades desde 2014, quando as vendas de caminhões somaram 137 mil. Na previsão anterior, as montadoras contavam com aumento de 15,8% das vendas e esperavam vender pouco mais de 88 mil caminhões.

Até agora, entre janeiro e setembro, os emplacamentos de caminhões aumentaram 40,7% com a venda de 74,2 mil unidades. Segundo dados da Anfavea, a média diária de vendas do segmento está em 9 mil unidades por dia útil de venda.

Para ônibus, o novo volume estimado em 20 mil chassis significará crescimento de 17,6% sobre os 15 mil licenciados no ano passado. As previsões anteriores apontavam para a venda de 17 mil ônibus e alta de 12,7%. A categoria de ônibus urbanos e escolares estão impulsionando este mercado, sendo que este último vem sendo incentivado pelas entregas previstas nas licitações do programa Caminho da Escola, que promove a renovação de frota de ônibus escolares no País.

Segundo o vice-presidente da Anfavea, Gustavo Bonini, a média diária de vendas de ônibus saltou de 1,1 mil para quase 1,8 mil unidades por dia útil ao longo dos meses, chegando a atingir 2 mil em agosto e voltando a 1,6 mil e setembro.

PRODUÇÃO EM ALTA, EXPORTAÇÃO EM BAIXA


Com o aumento das vendas ao mercado interno, a produção também teve seus números de projeções revisados pela Anfavea. Se antes as fabricantes previam entregar 150 mil caminhões e ônibus, agora o volume passou para 145 mil. Se estimativa for confirmada, a produção terá crescido 8,2% e não mais 11,9%, conforme previsto anteriormente pelas empresas. Até agora, foram produzidos 8,9% mais veículos pesados no acumulado de nove meses, para 109,2 mil, sendo 87,4 mil caminhões (+13,2%) e 21,7 mil ônibus (-5,5%).

Este volume de produção só não será maior por causa da queda das exportações, que segundo a entidade deverá encerrar o ano na ordem de 40,7%. De janeiro a setembro, as vendas ao exterior diminuíram 44%, considerando a soma de caminhões e ônibus pouco acima das 15 mil unidades. Bonini acrescenta que o número reflete a queda das exportações para a Argentina.

E A FENATRAN?


Neste mês entre os dias 14 e 18 a indústria de caminhões realiza a 22ª edição da Fenatran, a maior feira do setor de transporte de carga da América Latina. Segundo Bonini, as novas projeções de vendas para o mercado não refletem necessariamente o efeito da feira, que se tornou uma evento onde se fecha negócio, deixando de ser apenas uma exibição de novos produtos e serviços.

O executivo ressalta que a projeção levou em conta o comportamento dos últimos meses e aponta que a avaliação das montadoras é com base no cenário econômico, tratando-se apenas de um ajuste técnico.

“A expectativa é de que seja uma boa feira, mas que possa motivar o transportador a antecipar sua compra, que é sempre programada ao longo do ano”, explica Bonini.



Tags: Vendas, caminhões, comerciais pesados, ônibus, projeções, Anfavea.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência