Automotive Business
  

Notícias

Ver todas as notícias
Mercedes-Benz projeta crescimento de 18% na venda de caminhões

Mercado | 31/01/2020 | 21h18

Mercedes-Benz projeta crescimento de 18% na venda de caminhões

Para 2020, fabricante aposta em um mercado de 120 mil unidades

SUELI REIS, AB | De São Bernardo do Campo (SP)

Em linha com a projeção da Anfavea, associação das fabricantes de veículos, a Mercedes-Benz espera que as vendas totais de caminhões cresçam 18% em 2020 no mercado brasileiro e atinjam o volume de 120 mil unidades. A previsão considera um PIB em alta de 2,5% este ano, bem como uma taxa Selic em 4,5%.




Segundo o vice-presidente de vendas e marketing para caminhões e ônibus, Roberto Leoncini, os caminhões pesados (ou extrapesados) que em 2019 responderam por 57% das vendas totais, ainda deverão liderar o mercado, mas em um ritmo de crescimento menor com relação ao que foi visto no ano passado. Ao mesmo tempo, a empresa vê uma melhora nas entregas de caminhões leves e médios.

“Em geral, o mercado dobrou desde o fim da crise e vem com uma tendência de crescimento. Sempre dizemos que venda de caminhão tem a ver com PIB, mas depende de cada segmento; há um descolamento porque cada um reage de uma forma. O extrapesado foi o dono da festa em 2019, mas os leves devem recuperar o mix este ano e os números vão ficar um pouco mais interessantes”, comenta Leoncini.

Com quase 30 mil caminhões emplacados em 2019, a Mercedes foi líder de vendas pelo quarto ano consecutivo com 30% de participação. Em 2020 espera elevar ainda mais sua fatia no mercado com a chegada da nova geração do Actros, lançada na última Fenatran. As entregas começam em abril e até agora a empresa já vendeu 500 unidades do modelo novo, dos quais 150 equipados com a câmera-retrovisor digital mirrorcam.

“O Actros 2651 foi o nosso caminhão mais vendido; a chegada da nova geração amplia o leque e provavelmente a participação vai ficar um pouco melhor em 2020”, analisa.

A fabricante aposta na retomada do setor de construção civil em 2020, o que pode dar uma ajuda extra ao segmento de caminhões pesados. No ano passado, as vendas para este tipo de aplicação responderam por apenas 15% das vendas; logística (61%) e agronegócio (24%) foram os grandes impulsionadores desta categoria.

“Acreditamos que a partir do segundo semestre deste ano haverá um crescimento forte dentro da construção civil, com pico em 2021 e 2022, pelos contratos de infraestrutura que já foram fechados”, indica Leoncini.

Para a Mercedes, as vendas maiores deverão ser acompanhadas pelo aumento da demanda de serviços, cujos negócios quase dobraram no último ano. Dados da empresa mostram que 38% dos caminhões negociados em 2019 saíram com algum plano de manutenção contratado: no ano anterior, essa fatia era de 27%. Além disso, a empresa alcançou o número de 12 mil caminhões conectados no Brasil.

“Para nós, este ainda não é um número bom, porque queremos 100% da frota conectada. A intenção é crescer, mas a demanda vem do cliente e cada vez mais eles estão querendo ter a informação; há casos de compradores tradicionais que nunca tinham cogitado o serviço e agora passaram a ser clientes também nesse quesito”, conta.

ÔNIBUS


Para o mercado de ônibus, a Mercedes-Benz também projeta o mesmo número da Anfavea e espera que o mercado passe de 20 mil para 23 mil. Leoncini lembra que o desempenho deste mercado também dobrou as vendas nos últimos dois anos. Em 2019, o segmento, que cresceu 43% sobre o ano anterior, registrou aumento dos volumes em todas as categorias, menos em ônibus de fretamento. Os urbanos e os rodoviários continuaram como os carros-chefe das vendas em 2019 e a Mercedes comemora porque também liderou o mercado de chassis de ônibus, com 54% ou 11,1 mil unidades.

Embora espere aumento das vendas para o ano, Leoncini admite que 2020 será um ano curto para o segmento, principalmente para a categoria de ônibus urbanos, por ser ano de eleições municipais.

“Estamos otimistas com o mercado, tanto para caminhões quanto para ônibus, e por causa disso vamos investir fortemente em inovações”, ressalta. O executivo reforça que para este ano, a empresa deverá lançar três novos veículos, entre caminhões e ônibus.



Tags: Mercedes-Benz, caminhões, ônibus, mercado, vendas, projeção.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência