Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Para Anfavea, esta será a década mais disruptiva da história

Panorama | 06/02/2020 | 19h19

Para Anfavea, esta será a década mais disruptiva da história

Balanço dos últimos dez anos mostra o que mudou e dá indícios do que está por vir

SUELI REIS, AB

“A década de 2020 dá todos os sinais de que será a mais disruptiva da história do setor automotivo e da mobilidade.”

Foi com esta premissa que o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, apresentou na quinta-feira, 6, na sede da entidade em São Paulo, um levantamento sobre a evolução da indústria nos últimos 10 anos no Brasil, reunindo dados de mercado, investimentos, o tamanho da indústria brasileira no mundo, além da mudança do carro nacional, do perfil do consumidor diante da nova mobilidade e outros assuntos relevantes que impactaram o setor na última década e como esta transformação pode indicar o que está por vir.


Em 10 anos, o Brasil ganhou 16 novas fábricas de veículos, das quais oito são de empresas que ainda não tinham nenhuma unidade fabril por aqui. O parque industrial automotivo conta atualmente com 67 fábricas espalhadas em dez estados da federação, considerando as plantas de automóveis e comerciais leves, caminhões, ônibus e máquinas agrícolas e rodoviárias.

Entre 2010 e 2019, as empresas instaladas no Brasil receberam o equivalente a US$ 29 bilhões em investimentos vindos de suas matrizes, enquanto as remessas de lucros somaram US$ 18,9 bilhões no mesmo período. Segundo a Anfavea, os investimentos foram aplicados não só em novos produtos, tecnologias e fábricas, mas também na manutenção das operações durante a crise.

“Se não fôssemos empresas internacionais, nem todos estariam aqui”, comenta o presidente da Anfavea.

Com tudo isso, as fabricantes dispõem de 2,4 mil modelos de veículos para o mercado brasileiro, considerando apenas o segmento de automóveis e utilitários leves e incluindo diferentes versões do mesmo modelo.

No entanto, muito do que o mercado interno absorveu em termos de veículos foi feito fora daqui: em dez anos, o País importou 5,1 milhões de unidades, volume que corresponde a 17% do total vendido no período. A maior parte, 6%, veio do vizinho Argentina, além de 2% do México e 1% da Alemanha, citando apenas os mais relevantes.

Na outra ponta da balança, as exportações tiveram quase o mesmo volume, 5,2 milhões de veículos feitos no Brasil e embarcados para outros mercados. Deste total, 49% teve a Argentina como destino, seguida pelo México, com 17%, Colômbia com 12% e Chile com 8%. Outros 10% incluem vendas para países da Europa e Ásia. Segundo a Anfavea, a participação das exportações com relação ao volume de produção de cada ano oscilou ao longo da última década entre 11% e 28%, sendo que no ano passado essa fatia foi de 14%.

Para Moraes, as exportações em baixa refletem um problema estrutural do País: “O mix de exportação é muito baixo; a reforma tributária tem que resolver isso”, defende.

A NOVA MOBILIDADE


A Anfavea aponta que atualmente no Brasil os consumidores contam com 250 diferentes aplicativos relacionados à mobilidade. Para o presidente da entidade, o novo cenário disruptivo já afeta a relação de posse do carro com o uso.

“Isso mostra que os consumidores estão cada vez mais interessados em pagar apenas pela utilização do carro, o que já afeta no nosso mercado, por exemplo, nas vendas diretas: parte do que vendemos para locadoras são oferecidos como serviço para empresas que não querem gerenciar uma frota, mas que precisam de uma; a manutenção e todo o resto fica por conta da locadora”, exemplifica.

Moraes analisa que esta transformação global e que chega para todos os mercados, embora em diferentes tempos e formas, levam a indústria a repensar seus modelos de negócio e a criar outras estratégias para o futuro da indústria. Parte dessas mudanças já está acontecendo e muitas delas partem da área de serviços.



-Faça aqui o download do levantamento da Anfavea: ‘Como foi a última década?’
-Faça aqui o download das projeções 2020 da Anfavea
-Veja outras estatísticas em AB Inteligência





Tags: Anfavea, indústria, investimentos, fábricas, veículos, mobilidade.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência