Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Renault renova Duster para ficar onde está
Todas as partes externas mudaram, mas o SUV da Renault continua sendo reconhecido como um Duster

Lançamentos | 04/03/2020 | 18h20

Renault renova Duster para ficar onde está

SUV de entrada mantém posicionamento de mercado com preços e robustez iguais, mas melhora em design e equipamentos

PEDRO KUTNEY, AB | De Foz do Iguaçu (PR)

A Renault promoveu renovação bastante ampla no Duster, a primeira mais aprofundada desde o lançamento, em 2011, da primeira versão brasileira de seu SUV compacto de entrada. Design interno (mais) e externo (menos) foram aprimorados, o carro ganhou mais equipamentos de segurança e conforto, mas os preços foram mantidos, em quatro versões que vão de R$ 71.790 a 91.490 com todos os opcionais. Tudo para que o modelo fique onde está e ajude a marca a sustentar sua participação por aqui, que em 2019 subiu a 9% e garantiu o quarto lugar no mercado brasileiro.



Em seus melhores tempos, o Duster chegou a vender 45 mil unidades por ano. Em 2019, já em fase de pré-renovação, esse número baixou para 26 mil e ele foi o nono SUV mais vendido do País. No lançamento, o modelo se apresentou como porta de entrada do segmento de utilitários esportivos compactos que só tinha um concorrente (o Ford EcoSport) e representava 2,6% do mercado brasileiro. Hoje, após 280 mil unidades vendidas no Brasil, o Duster segue sendo uma via de acesso, mas precisou melhorar porque ganhou mais de uma dúzia de competidores diretos e sua categoria de B-SUV cresceu seis vezes, para parcela de 16,1% das vendas nacionais no ano passado.

“O Duster é um produto icônico da estratégia de regionalização de produtos que fez a Renault em dez anos dobrar sua participação de mercado no País [de 4,5% para 9%]. Com a renovação que fazemos agora, certamente esperamos aumentar as vendas e seguir na meta de obter 10% de participação até 2022”, disse Ricardo Gondo, presidente da Renault do Brasil.



Segundo a Renault, o Projeto América (Brasil, México, Colômbia e Argentina) do novo Duster envolveu mais de 1 milhão de horas de engenharia e 578 engenheiros, sendo 680 mil horas e 376 engenheiros focados no desenvolvimento do modelo brasileiro durante 36 meses, com 1,75 milhão de quilômetros rodados em testes.

A renovação do Duster é a última etapa do mais recente ciclo de investimento da Renault no Brasil, de R$ 3,2 bilhões de 2017 a 2019, que além do Duster incluiu desenvolvimento e reestilização de toda a gama da marca no País, incluindo os lançamentos de Kwid, Captur, novos Sandero e Logan.


Novas lanternas quadradas do Duster remetem ao Jeep Renegade

DUSTER MUDA PARA NÃO MUDAR



Com sua oferta de espaço e robustez por preços mais camaradas que a média da concorrência no mesmo segmento, pode-se dizer que o Duster tem a receita do maior sucesso mundial da Dacia, marca romena que pertence ao Grupo Renault, onde seu conceito foi projetado sobre a plataforma B0. Desde o lançamento no fim da década passada, como Dacia ou Renault, já foram fabricados 3,2 milhões de Duster em cinco fábricas localizadas em países emergentes (Romênia, Rússia, Brasil, Colômbia e Índia). Somente em São José dos Pinhais (PR) a produção do SUV soma 385 mil carros (incluídos aí números de exportação).

Ao mesmo tempo que precisava renovar o Duster para não perder terreno para a concorrência com um produto envelhecido, a Renault não queria mexer em sua receita de sucesso. “É um produto que permitiu a muitas pessoas entrarem no mundo SUV, que está ligado ao escapismo, liberdade e convivência com a natureza em caminhos offroad. O Duster continuará a ser essa porta de entrada, com posicionamento de preços abaixo do Captur, mas ao contrário do que muitos imaginam, ele não é só uma compra racional. Nossas pesquisas demonstram que 40% dos clientes do Duster são também fãs do carro”, afirma Frederico Goyret, diretor de marketing da Renault.

Por isso a renovação, embora bastante ampla, foi sutil para preservar a receita e ao mesmo tempo oferecer renovação. No exterior, segundo o fabricante nenhuma parte é igual às usadas na geração anterior, mas de perto ou de longe o SUV continua sendo facilmente reconhecido como um Duster. Ao menos 5 mil clientes parecem ter gostado do que viram ao fazer o cadastro no site de pré-venda do carro.

O novo design externo continua a privilegiar o aspecto de robustez do Duster, mas com presença mais marcante. A linha de cintura do carro subiu, as laterais ganharam vincos mais vistosos (para reforçar a sisudez característica dos SUVs), a ponta do capô também foi levemente levantada, grade e faróis ganharam nova aparência e na traseira as envelhecidas lanternas verticais foram substituídas por quadradas, muito parecidas com as do Jeep Renegade. Seguindo a identidade visual adotada pela Renault, os faróis incorporaram assinatura luminosa de LED, que faz as vezes de luz de rodagem diurna (DLR). Ficou estranho para uns, feio para outros, a protuberância instalada no para-choque dianteiro que abriga os faróis de longo alcance – opcionais, ainda bem.

Algo que foi mantido como deveria ser são as medidas generosas do Duster, que garantem bom espaço interno a cinco ocupantes. Ele continua superando todos os concorrentes da categoria B-SUV em comprimento (4.376 mm), altura do solo (237 mm), ângulos de entrada (30°) e saída (34°5’) e porta-malas (475 litros).


Novo painel conferiu aparência mais sofisticada ao Duster

Por dentro a Renault fez um belo trabalho no Duster, mas fez mudanças mais aparentes: ao contrário do exterior, no interior o SUV ficou menos rústico e mais sofisticado com uso de novos materiais e design que aumentaram a percepção de qualidade. O painel foi inteiramente redesenhado, ficou mais “limpo” – e mesmo sendo de plástico rígido, têm aparência mais suave. Os bancos ganharam novos revestimentos e os dianteiros cresceram, ficaram mais ergonômicos.


Novos materiais e design aumentaram a percepção de qualidade no interior do novo Duster

MAIS CONECTIVIDADE



Uma das principais novidades tecnológicas do Duster 2021 é a nova central multimídia Easy Link, que oferece mais conectividade e interatividade. A tela tátil de oito polegadas pode espelhar smartphones via Android Auto ou Apple Carplay. Até seis celulares podem ser pareados simultaneamente por conexão Bluetooth, sendo possível realizar duas chamadas pelo sistema ao mesmo tempo.

O sistema também oferece agora uma vasta gama de opções de personalização. O Easy Link permite o cadastro de até cinco perfis, que podem personalizar funções sem interferir nos outros usuários cadastrados. É possível escolher um nome e uma foto de capa, definir um layout personalizado da tela, salvar as preferências de configuração de som e rádio, armazenar até nove estações de rádio na memória, habilitar ou desabilitar o destravamento de portas sem a chave, personalizar o som das teclas e uma sequência de boas-vindas, incluindo avisos sonoros para o momento de abertura de portas e entrada no veículo.

Para auxiliar o condutor na economia de combustível e no monitoramento de suas viagens, a central mantém o Eco Scoring e Eco Monitoring, sistemas que já existem nos veículos Renault com Media Nav e Media Evolution.

A mesma tela também mostra imagens do sistema Multiview com quatro câmeras (uma dianteira, duas laterais e uma traseira) que dão ao motorista uma visão de todo entorno do veículo.


Faróis com assinatura luminosa em LED e novas rodas de liga leve

MAIS SEGURANÇA, MESMO MOTOR



Segundo a Renault, embora o Duster continue sendo construído sobre a plataforma B0, a carroceria recebeu reforços estruturais, garantindo maior proteção aos ocupantes. O aumento de 12,5% na rigidez torcional em relação à geração anterior permite ao carro encarar terrenos irregulares com maior robustez. Foram instalados novo cinto traseiro central de três pontos e cintos dianteiros com pré-tensionadores. Nos bancos traseiros existem dois pontos Isofix para a fixação de cadeirinhas infantis Mas não foi desta vez que o SUV ganhou airbags laterais: são oferecidos só os dois frontais obrigatórios por lei.

Melhorou bastante o pacote de sistemas de segurança ativa. O novo Duster traz em 100% da gama ESP (controle eletrônico de estabilidade da Bosch), freios ABS com AFU (auxílio à frenagem de urgência) e o HSA (assistente de partida em rampa), que mantém o veículo parado até dois segundos após a liberação dos freios em subidas. O carro agora também conta com alerta de ponto cego, que acende uma luz nos retrovisores externos quando um veículo se encontra na zona cega do motorista.

O Duster 2021 passa a ser vendido com apenas uma opção de motorização, o 1.6 SCe de 120 cv e torque de até 16,2 kgfm também produzido no Paraná – a beberrona versão 2.0 deixou de ser fabricada, assim como a ineficiente transmissão automática de quatro marchas. O câmbio pode ser manual de cinco marchas, disponível apenas na verão de entrada Zen, ou automático CVT que simula seis velocidades virtualmente. Ainda não se sabe se a Renault irá oferecer no Duster seu motor turbo 1.3 que deverá ser produzido no Brasil até o ano que vem.

Para melhorar o consumo urbano, todas as versões do Duster agora contam com sistema start-stop, que desliga automaticamente o motor nas paradas e religa automaticamente nas partidas.

Não haverá mais opção 4x4 para o SUV. Como a versão representava apenas 3% a 4% das vendas da geração anterior, a Renault preferiu simplificar a gama. Ainda assim, mesmo com tração 4x2, o Duster continua apresentando desempenho dinâmico bastante estável, com suspensão e altura do solo bem ajustadas para rodar no asfalto e estradas de terra. Rodando sobre ambos os pisos, as vibrações são bem absorvidas, o conforto acústico é bom e o carro não foge do controle com a precisa direção 100% elétrica – não mais eletro-hidráulica.

VERSÕES E PREÇOS DO RENAULT DUSTER 2021



Zen: R$ 71.790
Principais equipamentos incluídos no preço: barras de teto, direção elétrica, ar-condicionado manual, faróis com assinatura LED, airbags dianteiros, ABS com AFU, ESP, HSA, vidro com acionamento elétrico nas quatro portas, sistema start-stop, trava elétrica com fechamento automático, banco do motorista com regulagem de altura, alarme perimétrico, tomada 12V traseira, rodas de aço 16”, rádio 2DIN, quatro alto-falantes e chave canivete.
Opcionais: • Pacote Techno + R$ 3.000: multimídia Easy Link, faróis de neblina e rodas de liga leve 16”.

Zen CVT X-TRONIC: R$ 77.790
Todos os itens da versão Zen + câmbio CVT X-Tronic e ponteira do escapamento cromada.
Opcionais: • Pacote Techno + R$ 3.000: multimídia Easy Link, faróis de neblina e rodas de liga leve 16”.

Intense CVT X-TRONIC: R$ 83.490
Todos os itens da versão Zen CVT- X-TRONIC + grade dianteira cromada, maçanetas na cor da carroceria, barras de teto cromadas, aplique prateado nos para-choques, faróis de neblina, retrovisor externo elétrico cromado, rodas de liga leve 16”, vidros elétricos com função um-toque, indicador de temperatura externa, luz de cortesia no porta-luvas e porta-malas, espelhos nos dois para-sóis, volante revestido em couro, sistema multimídia Easy Link, sensor de estacionamento traseiro com câmera, ar-condicionado automático e controlador e limitador de velocidade.
Opcionais: • Pacote Outsider + R$ 2.300: proteção frontal com farol de longo alcance, alargadores de paralamas, friso para portas. • Bancos revestidos em couro + R$ 1.700.

Iconic CVT X-TRONIC: R$ 87.490
Todos os itens da versão Intense CVT X-TRONIC + sistema Multiview com quatro câmeras, alerta de ponto cego, sensor de luminosidade, chave cartão hands free, rodas de liga leve 17” diamantadas e apoio de braço.
Opcionais: • Pacote Outsider + R$ 2.300: proteção frontal com farol de longo alcance, alargadores de paralamas, friso para portas. • Bancos revestidos em couro + R$ 1.700.

A Renault promete lançar uma versão PCD (para pessoas com deficiência) do Duster 2021, com preço (possivelmente abaixo de R$ 70 mil) a ser anunciado “em breve”. A lista de itens de série é parecida com a da versão de entrada Zen, com exclusão de alguns equipamentos.



Tags: Renault Duster 2021, lançamento, SUV de entrada.

Comentários

  • SimoneRosin

    Muitobom, mas não acho bonita a lanterna traseira igual à do Renegade. Infelizmente não me agradou.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência