Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Mercado interno de caminhões mantém bom ritmo de emplacamentos

Transportes | 06/03/2020 | 17h35

Mercado interno de caminhões mantém bom ritmo de emplacamentos

Média diária de vendas em fevereiro foi a melhor para o mês desde 2014

MÁRIO CURCIO, AB

O mercado interno de caminhões mantém sinais de aquecimento. A média diária de emplacamentos em fevereiro foi de 356 unidades, a melhor para o mês desde 2014, como recorda a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

“A média diária de caminhões emplacados em fevereiro foi 7,6% maior que a de janeiro deste ano e 3,5% mais alta que a de fevereiro do ano passado”, afirma o vice-presidente da Anfavea, Marco Antônio Saltini.



Segundo a Anfavea, nos primeiros três dias úteis de março essa média saltou para 576 caminhões. “Devemos retornar ao nível de 8 mil a 8,5 mil caminhões por mês que vínhamos registrando no fim de 2019”, diz o executivo. No primeiro bimestre foram emplacadas 13,7 mil unidades. O total é apenas 1,2% menor que o de iguais meses de 2019.

PRODUÇÃO PODE SER AFETADA PELO CORONAVÍRUS


Saltini acredita que a demanda interna puxará a produção de caminhões já em março, mas admite a possibilidade de problemas pontuais por causa do coronavírus também no segmento de caminhões.

“Podem faltar componentes eletrônicos e outros itens vindos não só da China. Alguns fornecedores locais também dependem de peças importadas para completar seus conjuntos”, recorda o executivo. O problema pode ocorrer já em março ou abril.

Segundo a Anfavea, a maior parte das situações é contornável com estoques, diversificação de fornecedores e em alguns casos com a redução do ritmo das linhas de montagem.

Em janeiro e fevereiro foram produzidos 16,3 mil caminhões, volume 0,9% menor que o de iguais meses de 2019. As exportações somaram 1,8 mil unidades, resultando em alta de 35% pela comparação interanual. A maioria dos embarques era de modelos pesados.

PRODUÇÃO E VENDA DE ÔNIBUS RECUAM NO BIMESTRE


Nestes dois meses de 2020 as montadoras instaladas no País produziram 4 mil chassis de ônibus, volume 10,4% mais baixo que o de iguais meses do ano passado. A queda acompanhou o ritmo do mercado interno no período, com 2,8 mil unidades e retração de 10,1%.

Os números foram impactados pela menor quantidade de dias úteis de fevereiro. “Até o fim do primeiro semestre esperamos uma pequena alta nas vendas por causa de renovações de frotas urbanas”, estima Saltini.

Sobre a queda de 33,7% das exportações no bimestre (702 unidades), Saltini recorda que o período é curto e o volume, pequeno. “O atraso num embarque ou a entrega de um lote podem distorcer a realidade”, diz. Até o fim do ano a Anfavea projeta queda de 22% na exportação de veículos pesados.



- Faça aqui o download dos dados da Anfavea
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência





Tags: Caminhões, Anfavea, Marco Antônio Saltini, ônibus, mercado interno, produção, exportações.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência