Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Produção de carros no País deve recuar 4%, estima consultoria

COVID-19 | 20/03/2020 | 20h00

Produção de carros no País deve recuar 4%, estima consultoria

Bright Consulting calcula impactos da pandemia de coronavírus na indústria automotiva brasileira

REDAÇÃO AB

Será grande e multifacetado o impacto do agravamento da pandemia de coronavírus na indústria automotiva brasileira. Trabalho dos consultores Paulo Cardamone e Cassio Pagliarini, da Bright Consulting, divulgado na sexta-feira, 20, indica que a produção de veículos leves (automóveis e utilitários) deverá recuar a patamar pouco inferior ao de 2017, para 2,67 milhões de unidades em 2020, ou 4% abaixo de 2019, revertendo a expectativa do fabricantes, que era de crescimento de 7%, para 2,8 milhões.

Os consultores ponderam que o desempenho poderá ser ainda pior se as paralisações já anunciadas de linhas de produção no País entre este mês e o próximo forem estendidas por mais tempo. Eles fizeram a projeção de redução da produção considerando que o pico da disseminação do coronavírus vai acontecer nos próximos 30 a 45 dias e estabilização da propagação só viria no último trimestre de 2020.

Mesmo sem as interrupções nas fábricas, o desempenho da produção brasileira de veículos já estava prejudicado pelas exportações reduzidas em função da recessão dos mercados com os quais o Brasil se relaciona, além da provável falta de peças importadas.

A paralisação nos últimos meses de empresas em Wuhan, epicentro da pandemia do Covid-19 e sede de grande parte dos fornecedores chineses de autopeças, já se fez sentir nas fábricas mais próximas, com falta de componentes para montadoras na Coréia do Sul e Japão. No Brasil, onde a maioria das operações deverá parar nas próximas semanas, os efeitos dessa quebra de fornecimento continuarão a ser sentidos nos próximos dois ou três meses, dizem os consultores.

“A busca pela recuperação futura da produção perdida está fora do radar neste momento e será dependente de improvável retomada mais acelerada das vendas e de custos maiores causados principalmente pela desvalorização cambial”, dizem os consultores da Bright.



BRASIL ENTRA EM RECESSÃO, VENDA DE CARROS CAI 3%



Os consultores da Bright avaliam que a recessão econômica global causada pela pandemia afetará com força o mercado brasileiro de veículos leves. As vendas de carros novos ou usados vão cair tanto pela perda de produção quanto pela falta de compradores. Levando em conta o cenário atual, a consultoria estima que serão vendidos este ano no País 2,61 milhões de veículos leves, nível próximo ao de 2018 e 3% menor em relação a 2019, também revertendo as expectativas dos fabricantes, que esperavam mercado 9% maior este ano.

O resultado positivo previsto de aproximadamente 600 mil emplacamentos no primeiro trimestre, que representa alta de 5% na comparação com os mesmos três meses do ano passado, deverá ser revertido ao longo dos próximos meses de queda.

Primeiro, a aplicação de quarentena e regimes de emergência para conter o contágio já faz cair naturalmente a demanda por automóveis, pois as pessoas não sairão de casa e grande parte da rede de concessionárias estará fechada. Mas depois disso os estragos continuam, com tendência de crescimento do desemprego e consumidores inseguros em fazer compras de alto valor ou financiamentos neste momento.

A Bright avalia que a situação deverá acelerar o movimento disruptivo que já afetava o modelo de distribuição de veículos. Os concessionários serão mais impactados pela aceleração da aplicação de soluções de vendas digitais, que serão utilizadas para amenizar os impactos da atual crise e do acesso à rede. O risco dessa tendência cresce exponencialmente para a sobrevivência das grandes concessionários, pontuam os consultores.

O DESAFIO DE CUSTOS MAIS ALTOS E RECEITAS REBAIXADAS



Cardamone e Pagliarini alertam que no momento o grande desafio da cadeia automotiva será o de gerenciar um fluxo de caixa extremamente fragilizado por impactos no suprimento, produção, vendas e distribuição de veículos. Enquanto os custos aumentam, as receitas estão sendo rebaixadas pelo efeito da queda dos negócios.

O choque econômico pela paralisação de tantas atividades será gigantesco. Grandes corporações conseguem calcular e gerenciar o prejuízo gerado em uma semana sem produção, que possivelmente será seguida de cortes de custos e demissões. Mas empresas de pequena escala como lojas, prestadores de serviço e trabalhadores autônomos podem simplesmente não sobreviver ao período de portas fechadas, que representará uma redução dramática de seus recursos e, provavelmente, muitas falências.

A desvalorização cambial, como consequência da percepção de aumento de risco do Brasil, tem grande impacto nos custos e, por consequência, nas vendas de veículos. O mercado financeiro já precificou que o câmbio que deve se manter na casa de R$ 4,80 a R$ 5,00 por dólar por um longo período. O efeito direto dessa alta é o aumento do custo dos veículos produzidos no País, tendo em vista que hoje o conteúdo importado, dependendo da montadora, varia de 30% a 70%, por conta do aumento de conteúdo tecnológico dos carros e das decisões dos fabricantes de importar esses sistemas e componentes nos últimos anos.

A consultoria calcula que aumentos de preços entre 10% e 20%, adicionais aos reajustes já praticados no período, terão de ser repassados ao mercado rapidamente, o que irá impactar ainda mais severamente as vendas de veículos no varejo.



Tags: Produção de veículos leves, carros, utilitários, coronavírus, Covid-19, fábricas, produção, mercado, projeção, previsão, Bright Consulting, consultoria.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência