Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

COVID-19 | 20/03/2020 | 21h12

Na Europa, a pior crise de todos os tempos na indústria automotiva

Associação de fabricantes afirma que epidemia de coronavírus ameaça 14 milhões de trabalhadores na cadeia e pede medidas urgentes de incentivo aos governos

REDAÇÃO AB

“Está claro que esta é a pior crise de todos os tempos a impactar a indústria automotiva.” Assim Eric-Mark Huitema, diretor geral da Acea, a associação dos fabricantes europeus de veículos, definiu em comunicado o atual momento do setor em meio à pandemia de coronavírus que está paralisando as linhas de produção no mundo inteiro.

“Com toda as fábricas sendo paralisadas e a rede de revendas fechada, estão agora em jogo os empregos de cerca de 14 milhões de trabalhadores europeus. Pedimos ações fortes e coordenadas em níveis nacionais e da União Europeia para promover apoio de liquidez imediata para as companhias automotivas, seus fornecedores e concessionários”, afirma Eric-MarkHuitema, diretor geral da Acea.



Segundo a associação de fabricantes, os efeitos sem precedentes da pandemia do Covid-19 já provocou colapso na demanda e o consequente fechamento temporário da maior parte das fábricas de veículos e componentes na Europa. Também estão sendo enfrentados casos de contágio e quarentena entre os empregados.

Os 16 grupos fabricantes de veículos associados à Acea têm 229 plantas de montagem e produção em operação nos países da União Europeia, que juntas empregam diretamente 2,6 milhões de pessoas na manufatura. Em toda a cadeia são gerados mais 13,8 milhões de empregos indiretos.

“Apreciamos as medidas que já foram anunciadas para o imediato apoio aos trabalhadores e às empresas. Mas precisamos abrir diálogo urgente com o presidente da Comissão Europeia para duas propostas. Primeiro, é necessário adotar medidas concretas para evitar danos irreversíveis ao setor que podem vir com perda permanente de empregos, capacidade de produção, pesquisa e inovação. Em segundo lugar, a Europa precisa estimular a recuperação da indústria, que será um contribuinte-chave para acelerar a retomada da economia europeia como um todo”, defende Huitema.

A Acea destacou ainda que também é importante manter o fornecimento de componentes de reposição, bem como a rede de serviços de manutenção, que são vitais para funcionamento de serviços de emergência como ambulâncias, assistência médica, bombeiros, polícia e organizações de apoio.



Tags: Europa, União Europeia, UE, Acea, Associação dos Construtores Europeus de Veículos, coronavírus, Covid-19, fábricas, produção, mercado.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência